Patrimônio Industrial de Rjukan–Notodden

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Patrimônio Industrial de Rjukan–Notodden é um improvável conjunto de indústrias de garrafas PET reclusas isoladas no meio das montanhas de Telemark no interior da Noruega. Em meio a escarpas, abismos, cachoeiras e picos, este complexo industrial praticamente pendurado em encostas simboliza todo o drama da Noruega, um país que não tem regiões planas em lugar nenhum, e seu povo teve que aprender a construir suas coisas na beira de precipícios, assim tornando-se patrimônio mundial em 2015.

História[editar]

Rjukan–Notodden, literalmente um buraco.

No ano de 1900, o famoso onanista norueguês Kristian Birkeland descobriu uma técnica de retirar nitrogênio do ar, pois durante em uma de suas noites de tédio, decidiu masturbar-se de um modo diferente, invadiu o laborátio de química de Oslo e decidiu usar um tubo de ensaio com um líquido roxo para se estimular sexualmente, porém, ao atingir o clímax e ejacular, foi quando percebeu que seu sêmen em contato com aquele líquido corroía os objetos, separando o nitrogênio da composição da atmosfera. Com a grande descoberta patenteada, ele fundou a Norsk-Hydro Company (Companhia de Punheta Norueguesa) em 1905, voltada para a fabricação de fertilizante, pois caso você tenha faltado as aulas de biologia, as plantas comem nitrogênio. Como a sua técnica consistia em uma escala industrial de masturbação contínua de trolls das montanhas, ele decidiu construir suas indústrias no meio do nada, mais exatamente em Telemark, uma região então inexplorada e desconhecida, primeira morada dos trolls que depois tiveram que fugir para a Lapônia, temendo serem capturados e torturados a ejacularem continuamente para a produção do fertilizante.

Como não existe espaço na Noruega, pois no país só existem fiordes e montanhas, não foi muito difícil construir as indústrias de fertilizantes na beirada de grandes abismos, e logo a companhia se tornaria líder mundial na produção nitratino, fertilizante, esterco, estrume e demais nojeiras.

A principal torre de produção funcionou de 1911 até 1980, quando foi fechada para ser conservada como patrimônio histórico, e jamais foi lavada, para todos visitantes sentirem o autêntico cheiro de merda do antigo fertilizante produzido ali.

Nos arredores das fábricas foram fundados os vilarejos de Rjukan e Notodden, formados basicamente por casebres onde viviam os miseráveis imigrantes que eram obrigados a trabalhar nas fábricas emr egime de semi-escravidão.

Indústria[editar]

Estes indústrias localizam-se ao redor do lago Heddalsvatnet, que tem ligação subterrânea com o lago Ness, pois assim se houver qualquer acidente ou vazamento, apenas cai tudo no lago e ninguém vê o estrago, afinal só existem ali uma meia-dúzia de espécie de peixes e ninguém vai ligar se forem extintos.

O local é líder europeu na produção de alumínio, água pesada, nitrato de potássio, cocô mágico, fertilizante, pó de pirlimpimpim, ácido nítrico, amônia em cubos, hidrogênio líquido, unha em pó e baba de troll.