Paxtakor Toshkent Futbol Klubi

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Paxtakor Toshkent Futbol Klubi
Escudo do Paxtakor Toshkent.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Pocotó Tá-quente Futbol Klubinho
Origem Bandeira do Uzbeqistão Uzbequistão - Tashkent
Apelidos
Torcedores
Torcidas
Fatos Inúteis
Mascote
Torcedor Ilustre
Estádio Pocotó Stadium
Capacidade
Sede
Presidente
Coisas do Time
Treinador
Pior Jogador da história Nuvola apps core.png
Melhor Jogador da história Crystal Clear action bookmark.svg.png
Patrocinador
Time
Material Esportivo
Liga Campeonato Uzbeque
Divisão
Títulos
Ranking Nacional
Uniformes



Paxtakor Toshkent Futbol Klubi, ou Pakhtakor Tashkent em português (não que ajude tanto a pronúncia) é o time mais tradicional do Uzbequistão, tendo que se contentar apenas com isto mesmo, sendo muito famoso por ser o único time do mundo em cujo escudo há um pudim, sendo este mesmo time um dos principais motivos da conquista da independência do Uzbequistão em 1991.

História[editar]

Fundação e anos soviéticos[editar]

Clube fundado em 1956 na única cidade do Uzbequistão, a capital Tashkent, o seu primeiro jogo oficial foi um amistoso contra o famoso Molotov City FC da cidade de Sperm, o qual venceu de 1x0. Diz a lenda que após o jogo, os jogadores adversários fizera uma cena de bukkake sobre a bandeira do Paxtakor, o que gerou o seu escudo durante a era soviética onde havia um desenho de gosma de esperma no centro do distintivo.

Por muitos anos o Paxtakor foi o único time do Uzbequistão, algo compreensível pelo bom senso, pois é desnecessário haver tantos times nesse meio do nada, sendo este time aceito no campeonato soviético através de um sistema de cotas para minorias, servindo basicamente para irritar os times de Moscow e São Petersburgo que tinham que viajar até o Acre onde era o mando de campo do Paxtakor.

No ano de 1959 chegou na primeira divisão soviética, algo que só foi possível porque a hegemonia dos times russos só acontecia devido aos anabolizantes que seus jogadores tomavam, mas como os atletas do Paxtakor viviam bebendo leite de iaque, conseguiam seu suplemento para se igualar aos russos. Como todo bom time uzbeque, o Paxtakor jamais ganhou alguma coisa, colecionando mortes na praia, como por exemplo a conquista do vice da Copa Soviética de 1968 com derrota perante o Torpedo Moscow. Tal coleção de fracassos anuais influenciou fortemente a cultura do futebol uzbeque, onde todos times do país atualmente só fazem é perder e nunca ganhar alguma coisa.

Sabe-se que a conquista do primeiro rebaixamento no campeonato soviético aconteceu em 1971, mas ano seguinte retornou, sendo mais comum para o Paxtakor apenas ser um figurante mesmo, e irritar profundamente os times russos ao obrigá-los viajar para o Uzbequistão.

Acidente de 1979[editar]

Goleiro Sergey Constantinovich Pokatilov eternizado, tomando um frango, no Memorial do Acidente de 1979.

O time do Paxtakor foi o protagonista num grave acidente aéreo, quando em 1979 um voo que levava o time para enfrentar o Dinamo Minsk na Belarrussa foi atacado por OVNIs e todos os jogadores e comissão técnica do time foram abduzidos e nunca mais devolvidos. Acredita-se que aquele avião foi vítima de um experimento secreto russo sobre viagens no tempo, o avião foi enviado para o passado, caindo e criando a explosão em 1908 em Podkamennaya Tunguska na Sibéria.

Tal episódio gerou trauma profundo no clube, e o time jamais voltou a viajar de avião, locomovendo-se apenas por frotas de ladas.

Era moderna[editar]

Em 1986 o CSKA Moscow, Lokomotiv Moscow e Zenit Saint Petersburg enviaram um ofício ao imperador Mikhail Gorbachev, denominado perestroika, alegando que ele deveria conceder a independência ao Uzbequistão e poupar de uma vez por todas que eles tivessem que viajar ao Uzbequistão em todo campeonato soviético. Gorbachev concordou, mas como na época as correspondências na União Soviética caminhavam através de burricos, demorou até 1991, quando o Paxtakor foi oficial banido do campeonato soviético.

Assim, o Paxtakor precisou inventar o campeonato uzbeque, para não ficar desocupado, sendo campeão em sua estreia, em 1992, camaradamente dividindo o título com o Neftchi Fargʻona, já que era o único time adversário existente.

Liga dos Campeões da AFC[editar]

Desde a fundação da Liga dos Campeões da AFC em 2002, o Paxtakor participou de todas as edições possíveis, afinal a única coisa que ele tem que fazer é ficar pelo menos em quarto, sendo que nem existem mais de 4 times no Uzbequistão (pelo menos não o que a lógica nos permite deduzir). Todavia, as mais de 10 participações consecutivas no torneio, foram todas para apenas ser eliminado por uma grande variedade de times.

Títulos[editar]

  • Campeonato Uzbeque: 11 vezes (1992, 1998, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2012, 2014, 2015)