Perigo (Todo Mundo Odeia o Chris)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Você quis dizer: Polishop ambulante Cquote2.png
Google sobre Perigo (Todo Mundo Odeia o Chris)
Cquote1.png Ei, cara, só porque o nome do cara é "Perigo", e ele faz coisas à margem da lei, não quer dizer que ele faz coisas contra a lei Cquote2.png
Jerome sobre Perigo
Cquote1.png Olha, vocês podem adotar uma dessas crianças africanas por 17 centavos por dia. E o melhor: não vão morar com vocês! Cquote2.png
Perigo fazendo comercial de crianças para a Madonna
Cquote1.png Caralho, Perigo! Isso aqui esta quebrado! Cquote2.png
Alguém reclamando das mercadorias de Perigo

Perigo é mais um clichê do seriado Todo Mundo Odeia o Chris. Como ele mora em um bairro pobre e violento, esses tipos de bairro devem seguir certos padrões. Tendo: Uma vadia, no caso a Keisha, uma bodega velha, no caso, a bodega do Doc, um mendigo, no caso, o Golpe Baixo e, finalmente, um cara que vende coisas de precedências duvidosas (eufemismo para coisas roubadas). Pra quem não sabe, Perigo é um cara patrocinado pela polipobre, por isso suas coisas não prestam.

História[editar]

Imagem do Google sobre Perigo

Como o pessoal da produção do seriado não quis gastar muito com o cenário, contendo apenas a escola e o bairro e alguns lugares como cinema e estádio, eles optaram por existir o Perigo, para assim não irem ao shopping e evitar ter mais um cenário. Falo isso pelo fato de eles nunca irem ao shopping e acho que vocês também não.

Perigo foi abandonado em frente a um orfanato pela sua Mãe, criado pelas Freiras sem graça e tendo que fazer atividades chatas como cozinhar e fazer massagem nos ombros das velhas do orfanato. Ele foi pegando desgosto por aquele lugar e pensava em fugir de lá o mais rápido possível. Embalado pela canção "A fuga de casa", Perigo foi embora. Andando pelas ruas ermas de Brooklyn, passou fome, sede e necessidade. Para não morrer de fome ele começou a juntar tudo que é lixo por onde passava e vender para as pessoas dizendo que eram coisas de valor. As pessoas compravam, iludidas pela lábia do safado que mais se parecia com o Zeca Urubu da turma do Pica-Buceta-Pau. Vendo aquilo, um vendedor da Polishop o levou para criar em casa.

Personagem notório na turma do Chris[editar]

Ele não engana vende apenas produtos quebrados e quinquilharias. Ele é um personagem bem participativo na turma do Chris onde ele tem mais que 5 falas por episódios e quando o pessoal responsável pelo roteiro não tem muita criatividade coloca um episódio onde Perigo vende algum produto velho e quebrado para variar e as pessoas passam o episódio inteiro reclamando.

Reconhecimento de mau caratismo[editar]

O vendedor da Polishop o reconheceu como um exímio vendedor. Sendo capaz de vender gelo para esquimós, uma calça para Saci, um jumento para um Cearense, uma roupa de macho para um fã de emocore e outras maluquices, Perigo cresceu e teve que procurar emprego, e foi para dentro do estúdio do seriado Todo mundo mete o pau no Chris porque ele é negro.

Sendo assim, a PoliPobre resolveu patrocinar ele e, de quebra, ele ganhou ajuda do pessoa do Paraguai e Xina.

O que o Perigo vendeu para as pessoas[editar]

Bolsonaro já comprou do Perigo.
  1. Ele vendeu o último pedaço da cruz para uma fiel.
  2. Ele vendeu um talo da maçã que Eva mordeu.
  3. Ele vendeu um pedaço de foguete utilizado para a farsa viagem a Lua que o homem diz ter feito.
  4. Ele vendeu o último ingresso para a turnê do show do Michael Jackson, mesmo depois de ele ter morrido.
  5. Ele vendeu o banco PanAmericano, por isso ele faliu.
  6. Ele vendeu a tocha olímpica que foi roubada em angra