Engravatado Peter Burke

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa



Cquote1.png Você quis dizer: Babá de colarinho branco Cquote2.png
Google sobre Peter Burke
Cquote1.png Engravatado Cquote2.png
Mozzie sobre Peter Burke
Cquote1.png O único que conseguiu me prender. E agora tenho que fazer trabalho escravo pra ele! Cquote2.png
Neal Caffrey sobre Peter Burke
Cquote1.png Peter... Cquote2.png
Neal sobre qualquer coisa com Peter Burke

Seu cotidiano: vigiar um colarinho branco e ainda amar sua, segundo seu escravo e a todos os homens héteros que assistem, a série, esposa gostosa

ENGRAVATADO PETER BURKE é um engravatado de White Collar que trabalha pro FBI como agente da área de Crime do Colarinho Branco e babá, e que foi o único naquela agência que conseguiu prender Neal Caffrey, e ainda conseguiu desenrolar com o chefe dele para que ele se tornasse escravo da agência (daí surgindo o trampo secundário dele como bnabá), fazendo com que seu ego chegasse às alturas, só para jogar na cara dos colegas de FBI que prendeu o cara que ninguém conseguiu prender.

Vive temendo que Neal faça merda, já que, acontecendo, quem se ferra é ele.

Pelo fato de ter de trabalhar engravatado, recebeu de Mozzie o apelido de “Engravatado”, e também porque colarinho branco chamando agente federal pelo nome já é pedir um pouco demais.

Após finalmente prender Neal e torná-lo seu escravo, pode voltar a se lembrar que é casado, e que tinha uma esposa gostosa (palavras do próprio Neal) o esperando na seca.

No meio, é apelidado de “arqueólogo”, porque ele era arqueólogo antes de se tornar agente e babá, mas, como ficou alérgico a poeira que vinha dos trabalhos, teve que mudar de carreira.

O Começo:[editar]

A dupla dinâmica, escravo e senhorio, junta

Peter era um garoto caipira que, ao contrário dos colarinhos branco que ele botaria em cana no futuro, não tinha dinheiro, então, tinha que mexer muito em pau (sem duplo sentido, o único que faz isso com duplo sentido é o ator que interpreta o Neal e talvez o Mozzie, com aquele jeitinho dele ele não me engana...) no seu emprego de carpinteiro, trabalhando em negócios de família, com o próprio pai, ou seja, 90% dos ganhos pro pai, 8% pro governo americano com os impostos e 2% pra ele.

Para saber se a distribuição era bem feita, teve que aprender matemática, ficando bom nisso, e sabendo que estavam fazendo a divisão certa.

Após o fim do Ensino Médio, fez o High School National Exam e conseguiu uma vaga em administração em uma universidade que não é nem Harvard ou Stanford, sob a promessa de mercado de trabalho aberto, querer seguir com os negócios de família e porque acreditou na lábia de alguns que diziam que era o curso universitário mais fácil.

Se formou e descobriu que aquela história de mercado de trabalho aberto aos recém-formados era propaganda enganosa. Sem ter o que fazer, tentou ser arqueólogo, que, em certas partes do mundo, daria uma boa grana, inclusive nos Estados Unidos.

Vinha realizando seu trabalho, mas, o maior pesadelo do trabalhador contemporâneo aconteceu com ele: ficou inválido, com alergia. Sem poder continuar na arqueologia, foi pra Quântico tentar ser agente do FBI.

Lá, teve que recomeçar a vida em um lugar onde seu canudo de nada valia, e teve que lidar com vários esnobes de Harvard, entre eles, Jones e Diana, que tinham muita Harvardele, porque ele não ligava pra nenhum deles, e ricos são carentes de atenção.

Após conseguir se tornar um agente, se inspira no personagem de Samuel L. Jackson em Fórmula 51 e usa o diploma de administração como seda, só que não consumiu: era para um disfarce em uma missão, que era prender um falsário que vendia passaportes paraguaios para brasileiros que moravam nos EUA, que, assim como os que não desistiram daqui, queriam comprar sem impostos.

Nessa missão, conhece Elizabeth Burke, a organizadora do casamento. E nem precisa dizer que eles começaram a namorar ali mesmo e se casaram logo após o flagrante.

Caça ao Neal:[editar]

Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que o verdadeiro JigSaw estava deitado no chão o tempo todo, ou que Mireille é filha da Mistral.

Spoiler3.jpg

Parte 1:[editar]

Após mais um tempo, sobe na vida e se torna o chefe da divisão de colarinho branco no FBI, sendo uma senhora injustiça com os que fizeram direito em Harvard, que só estavam começando por lá.

Recebeu a missão de prender Neal Caffrey, que na época era só mais um ladrão pé-de-chinelo que queria passar a perna no patrão e furar seu olho. O olho foi furado, mas a perna não foi passada e ele fugiu. Peter se esqueceu da mulher gostosa que tinha e começou a caça, pois só tinha o pirulito dele (Ui!), o que não ajudava nas investigações.

Sequestrou a Kate, a ex-ex dele e conseguiu com que ele fosse correr atrás dela após (não) ter roubado a Caixinha de Música do Castelo Rá-Tim-Bum em um show do The Asteroids Galaxy Tour na Dinamarca (leia-se o comercial da Heineken). Acabou que, o Neal, achando que finalmente transaria após ficar no hospital, acaba preso, e ele finalmente chupa o pirulito dado pelo colarinho branco (isso ta ficando estranho...)

Parte 2:[editar]

Peter tirou Elizabeth da seca finalmente, mas, como Neal iniciou uma rebelião ideológica na cadeia, conseguiu fugir, com medo que seu olho fosse furado, e, como Peter era o único cara competente no FBI, é lhe dada a missão, de novo, de prendê-lo. Como ele foi burro a ponto de voltar onde foi preso, Peter só ligou uns pontos.

Como ele se solidarizou com a história de amor prestes a terminar de Neal, eles chegaram a um acordo: ele podia procurar a amada, mas tinha que fazer trabalho escravo no FBI.

Sendo o Senhorio de Neal:[editar]

Caixinha de Música e Fractal:[editar]

Salvando,l mesmo que sem querer, a vida de Neal

Para começo de história, ele, assim como o resto da humanidade, achava que Neal tinha roubado a Caixinha de Música, mesmo sem saber que, no comercial da Heineken, cantaram “The Golden Age” após o fracasso de Neal e Alex, como forma de celebração por a Caixinha ainda estar com eles naquele show.

Por ter feito 10 anos de casa, ganhou um anel de pureza, dado a todos os agentes. Neal viu uma foto onde o cara que estava traçando a Kate tinha um anel desses, ou seja, achou que ele estava furando o olho dele, mas, como ele é bem casado, tem uma esposa gostosa (o que ele falou 2 temporadas depois), gosta muito do cachorro dele e não eras o único que tinha esse anel, conseguiu provar a inocência.

Após conseguí-la, recorreu ais clichês da televisão para salvar a vida de Neal, enrolando até o avião explodir com a Kate lá dentro, graças a própria que queria ser usada de isca pelo Fowler Adler para matar Neal.

Depois, foi a vez de tentar manter Neal longe de confusão com essa caixa, faz jus ao apelido de “arqueólogo”, ganho em Quântico, e vai fundo até saber o que realmente aconteceu com ela: quem roubou, quem não roubou e o que aconteceu.

Querendo saber o que aconteceu, compra umas Heinekens (Heineken mesmo, dadas as circunstâncias do não-roubo) e um vinho vagabundo e vai conversar com Neal sobre isso. Após saber da verdade, descobriu que a Caixinha de Música era um projeto nazista, e que era para ser o show do Kraftwerk naquela noite, para tornar a história mais alemã que ela já é mas, como o pessoal do grupo estava com diarreia, colocaram o The Asteroids Galaxy Tour mesmo.

Após ser enganado em um plano de corrupção no FBI, foi afastado e, para provar a inocência, monta o grupo de vândalos “Os Sete do Burke”, originalmente eram só 6: o próprio, Neal, Jones, Diana, Sara e Mozzie, mas, precisava de alguém que soubesse dar tocos com categoria. Elizabeth entrou no time para exercer essa função. O grupo foi um sucesso, mas, como todos só pensavam em si próprios, foi dissolvido após a única missão.

Nessa época, ainda foi envenenado, quem manda aceitar Vodka de estranho?), e morreu, e, assim como todos os envenenados em programas de televisão que morrem, ressuscita e continua sua busca, e ainda fez parte da conspiração de Keller, que queria se tornar o maior filho da puta da história das séries, o sequestrando em troca de uma cadeia onde ele não fosse “a mocinha”. Como o FBI é falho, ele não só conseguiu sair de lá, como ganhou a liberdade.

Obras Nazistas:[editar]

A música da Caixinha tocou e eles descobriram o tesouro. Após salvar a vida de Neal matar Adler, Neal comete o pior erro de sua vida: o manda provar que foi ele que roubou as provas. Uma merda de ideia, principalmente se o cara era apelidado de “arqueólogo”.

Enquanto tenta provar, consegue o manifesto do navio e tem a ideia de merda de usar um polígrafo danificado para interrogar Neal, ou seja, ainda não podia provar, mas, pelo menos, jogou na cara dele que iria provar.

Foi polígamo, valeu US$15 mil, conseguindo “uma por fora” em uma missão, mas, como o relacionamento azedou, ele a pôs em cana e se casou de novo.

Com medo de perder na reputação, chamou o instrutor dele em Quântico, que tinha certeza de que Neal foi o ladrão. Mais atrapalhou que ajudou, e, nessa brincadeira, Keller, comemorando sua liberdade sequestrou a esposa dele, querendo algo com ela após ter sido dispensado pela Eliza Dushku. Com uma mulher daquelas, qualquer um teria medo de ter o olho furado...

Concluindo, em Quântico, não ensinam aos agentes a não serem enganados. Pelo menos ele está sendo enganado pelo Neal. Deve ser fácil passar a perna nos federais. Aí o pessoal da CIA vai sacanear...

Kenny3.jpg Peter Burke morreu...
MAS VOLTOU!!!

E nem agradeceu a Shen Long...

Clique aqui pra ver os que deram a rasteira na morte.