Placa de rede

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Um adaptador, placa de interface de rede ou ainda NIC (do ingrêis Network Interface Card) é uma parafernália da tecnologia que nos permite estarmos aqui hoje. Ele pode ser física (onboard ou separada em forma de placa ou adaptador USB) ou virtual (VirtualBox, VMWare, KVM, etc) e normalmente costuma transformar sua vida num verdadeiro inferno quanto ele queima ou resolve simplesmente deixar de funcionar.

Uma placa de rede em pessoa.

O apetrecho é o responsável por criar um elo de ligação entre o seu computador e a interwebs — ou se você não tem pago a conta telefônica desse mês, será uma ligação entre sua máquina e a rede local — e atualmente configura-se como um dos itens essenciais de um microcomputador ou notebook, só não mais importante que o processador, placa-mãe, o pente de memória e a fonte pra ligar o computador e assim você poder acessar o feiçi ou o zapi-zap.

Características[editar]

Um adaptador do tipo USB, usada quando a entrada que você tem na Mobo e o adaptador PCI da placa deixam de funcionar.
Dica: experimente usá-la em uma porta USB 1.0.

Dependendo da arquitetura de rede usada no local onde o indivíduo vai configurar a rede, uma placa de rede pode ter vários formatos. O mais comum mesmo é que ela tenha o mesmo formado ethernet comuns em PCs das Casas Bahia ou aqueles um pouco melhorezinhos. Para conectar à placa, normalmente é usada um cabo com conector RJ-45 (par trançado) ou RJ-11 (telefônica), este último usado no Acre. Também existem placas que vem com entradas pra aquele cabo da NET™ que você acha que é fibra ótica, fibra ótica e também antenas, bastante usadas nos microcomputadores de pessoas que mesmo fodidas ao extremo, adquirem um PC e sem dinheiro pra assinar plano de internet resolvem roubar o Wi-Fi do vizinho.

Estas placas podem ter várias velocidades, sendo o mais comum hoje em dia serem de 10/100/1000 Mbps. Neste caso, elas podem aceitar conexões até 1Gbps de throughput. Fazendo uma analogia barata com o sexo, throughput é como se fosse o tamanho da buceta. O máximo que ela vai permitir de passagem, seria um tronco com 1Gbps de circuferência. Qualquer Celeron® da Ricardo Eletro já sai de fábrica com uma placa onboard com suporte a até 1000 Mbps, mas se o usuário quiser jogar sem lag no Brasil, ele pode comprar uma placa com suporte a até 10000 Mbps, neste caso vai poder conectar a máquina conexões com até 10 fuckin' Gigas de throughput.

Por fim, estas placas possuem cada uma um endereço MAC, que em hipótese alguma poderão se repetir na mesma rede. Se você conseguir ser tão burro a ponto de comprar uma dessas placas em alguma dessas feiras do rolo/paraguai e ela ver com alguma dessas "figurinhas repetidas", parabéns, você se fodeu (a não ser que use algum sistema operacional ruim, porque aí você vai poder editar esse "endereço único").

Ver também[editar]