Pondicherry

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Pondicherry (do francês: Pudim de Cereja) é o nome oficial pelo qual são conhecidos antigas fazendas de queijo brie no sul da Índia, hoje desativadas e transformados em templos xivaístas. São oficialmente um grupo de cinco exclaves pertencentes à França, todavia o governo francês esqueceu que é dono destes territórios desde meados do século XX, portanto os indianos, feito uma praga de gafanhotos, tomou estas cidades, todos vestidos de boina e camisa xadrez com bigodinhos postiços para se passarem por franceses, todavia o banho eles tomam porque fedem mesmo assim, afinal o calor úmido que fazem nessas cidades faz qualquer pessoa feder o sovaco após 5 minutos de exposição ao clima das monções.

História[editar]

A Praia da Pedrada.

Quem leu um livro de história sabe que a Índia tornou-se uma verdadeira balbúrdia e casa da mãe joana durante o século XVI, quando todas potências marítimas e não-marítimas europeias começaram a mandar navios para lá afim de importar índias, pimenta-do-reino e coreografias de dancinhas divertidas. Com a França não foi diferente, mas a diferença da exploração francesa das outras potências é que os franceses ao invés de apenas pegarem o que queriam e ir embora, eles construíram várias pequenas cidades ao longo da costa indiana, um total de cinco, para que em todas eles pudessem comprar o pão francês algo que não existia nas outras cidades indianas, produto alimentício que para eles é apenas "pão".

O tempo passou, e com o advento da Internet os franceses passaram a comprar suas índias, pimenta-do-reino e estudar coreografia de dancinhas indiana sempre pela internet, abandonando as pequenas e isoladas cidades indianas de Pondicherry. Quando Gandhi declarou a independência da Índia durante o bug do milênio de 2000, os territórios indeterminados de Pondicherry foram então declarados territórios da união.

Economia[editar]

Devido ao estilo de vida francês lá instaurado, as cidades de Pondicherry nada produzem, pois criar vacas para fazer queijos é totalmente proibido, então eles não tem nada para fazer porque não tem um país inferior para explorar, então as pequenas cidadezinhas de Pondicherry são sustentadas pelo governo.

Geografia[editar]

Além de Pondicherry propriamente dita cercada de Tamil Nadu por todos os lados, há ainda a cidadezinha de Karaikal ao sul. Mahé localizada lá na Casa do Kerala. E por último Yanam escondida na caótica Andhra Pradesh.

Idioma[editar]

Em Pondicherry falam tâmil,telugu e malayalam como idioma primário, inglês como idioma secundário e o francês como língua franca terciária. O francês deveria ser pela lógica o único idoma de Pondicherry, mas depois que a França esqueceu que a cidade existia em 1954, Pondicherry acabou adquirindo independência e os cidadãos pondicherrianos tinham percebido que a Inglaterra dominava toda a Índia e que por isso o país inteiro falava só inglês, e logo viram que o francês era um idioma inútil, fresco, gay e que era cansativo fazer biquinho toda a hora.

Mesmo assim o francês é bastante ensinado nas instituições de educação da cidade até hoje, porém os professores de francês já estão cansados de fazer biquinho para pronunciar alguma sentença e estão se aposentando muito cedo por isso, e o pouco de professores que sobrou estão dando aulas que são sem sucesso.