Ponto de Equilíbrio

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
213442112.gif Ponto de Equilíbrio dá um tapa na pantera!

Por isso ninguém entende o que ele(a) diz!

Clique aqui se você quiser dar um tapa também.

Rioband.jpg Coé, merhmão, erhte arhtigo é CARIOCA!

Não vandaliza, tá ligado, senão a chapa vai eshquentá, viado! Agora deixa eu irh na praia toshtá nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Ponto de Equilíbrio numa plantação de maconha

Cquote1.svg Você quis dizer: Ponto de Macumba Cquote2.svg
Google sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg Cadê a Ganja? Cquote2.svg
Mato Seco sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg Joguei tudo na privada e dei descarga, e fingi que tava só fazendo a barba... Cquote2.svg
Marcelo D2 sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg Malandro que é malandro atura malandragem, ié ié, glu glu Cquote2.svg
Sérgio Malandro sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg Eu tenho medo... Cquote2.svg
Planta e Raíz sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg São vocês que sustentam o crime, bandinho de maconheiros de merda... Cquote2.svg
Capitão Nascimento sobre Ponto de Equilíbrio
Cquote1.svg Esses caras estão me plagiando? Cquote2.svg
Bob Marley sobre Ponto de Equilíbrio

Ponto de Equilíbrio é um centro de macumba é uma banda de reggae originária da Etiópia do Rio de Janeiro.

Primórdios[editar]

Helio Bentes dando um tapa na macaca

No começo dos anos 90 uma gangue de traficantes da Vila Isabel perdeu o controle das bocas de fumo para a gangue do cantor Belo. Sem dinheiro e sem Dorgas alguns deles foram obrigados a virar hippies e tocar nas calçadas de Copacabana a troco de moedas. Helio Bentes se tornou o líder dos hippies e deixou o cabelo igual ao do Bob Marley. A bandinha então contava com um cavaquinho, um pandeiro e uma dúzia de batuques e ficou conhecida na praia como Helinho e seus Exús. Helinho e seus Exús tocavam cover da Alcione89 e Zeca Pagodinho, mas ganhavam muito pouco pedindo esmolas e tudo que ganhavam era gasto em orégano e Pó Royal. Um dia chegou um pó royal batizado com cogumelos azuis e Helinho teve uma visão e escreveu vinte músicas em menos de 12 horas. Como todas as músicas pareciam pontos de macumba resolveram batizar a banda de Ponto de Equilíbrio e assim surgiu a banda.

Tempos de crise[editar]

A banda começou a tocar em botecos de quinta categoria mas o dinheiro continuava curto. Eles decidem então voltar para o crime e começam a plantar maconha no pé do Cristo Redentor. Com o dinheiro da erva eles compram instrumentos como teclado, guitarra e bateria e fazem algumas gravações toscas e caseiras. Serginho Malandro ouviu o som deles e gostou, e passou a ser o empresário da banda e patrocinou o primeiro CD. As músicas caíram no gosto dos maconheiros e hippies e o show deles subiu de 200 reais para 500 reais, uma grande evolução. Serginho Malandro faliu e desistiu de continuar bancando a turminha e quem assumiu foi Edir Macedo que queria expandir seus negócios entre a classe dos dorgados. Com o dinheiro de Edir eles gravaram o segundo álbum e trocaram tudo que fosse Jah por Jesus e o disco foi um tremendo fracasso. Edir puto da vida rasgou o contrato e novamente a banda foi jogada ao limbo do esquecimento.

A Porra de Jah[editar]

Sem ter mais a quem recorrer eles voltam a plantar maconha, dessa vez no Jardim Botânico e com o dinheiro eles lançam o terceiro álbum chamado A porra de Jah e assim eles alcançam a grande massa e show deles fica mais caro que o do É o Tchan.

Ver também[editar]