Por uns Dólares a Mais

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Clint eastwood manwithnoname.jpg Howdy, pal, este artigo é do Velho Oeste!

Ele anda de diligência, maneja um 3oitão com perfeição e seu bando é o mais
procurado da região. Entre, peça uma bebida e aprecie a beleza das dançarinas
do saloon, mas se vandalizar este artigo, vai parar num duelo!

Fuck the police
'Por uns Dólares a Mais' (BR)
Um velho e um fumante juntos, tem como isso da errado?
Itália
1965 • cor • 2 horas
Direção Sergio Leone
Roteiro Meu pau de óculos
Elenco Clique aqui e seja feliz
Gênero Novela mexicana com tiroteio na Itália
Idioma Alguns


Por uns Dólares a Mais (em inglês: Fuck the police) é um filme do gênero faroeste spaghetti (nome idiota, eu sei), ou seja, é um filme com muita sujeira e pessoas fazendo nada por mais da metade do filme. Resumindo, é um bang bang antigo, que seria mais interessante se fosse um gang bang antigo, mas mesmo não tendo nenhuma loucura erótica é até bem divertido, se você for um vagabundo que não tem nada melhor pra fazer por mais de duas fudendo horas!!! O que é o meu caso...

Enredo[editar]

Aquecimento[editar]

O filme começa com um cara andando a cavalo em um deserto durante uns minutos nisso você já pensa: "Mais um daqueles filmes chatos e demorados de faroeste... AAAHH", até que do nada o cara toma um tiro e aí começam os créditos. Que louco, não?

Depois de muito tempo, os créditos acabam, e a câmera então mostra dentro de um trem, no qual está lá sentado o coronel Douglas Mortimer e um velhote qualquer (que o chama de reverendo só porque tava lendo uma bíblia). O trem está indo em direção à casa do caralho mas, após certa discussão, o coronel simplesmente caga e anda para todos os passageiros e ativa o freio de emergência do trem em Tucumcari. Um cara da companhia vai falar com ele, mas o coronel dá um gelo no coitado e não se importa: ele simplesmente NÃO se importa! É importante ressaltar que o trem para exatamente no local certo para ele e o cavalo dele saírem.

Agora em Tucumcari, o coronel avista um cartaz de procurado de um bandido qualquer que acha que vale cem mil em barras de ouro que valem mais do que dinheiro (dois dos zeros no cartaz foi o próprio quem botou), o que até empolga o coronel. Mesmo descobrindo que na verdade aquele verme maldito só valia mil dólares, como o coronel já tava aposentado e precisava de um dinheiro, foi atrás do cara do cartaz. Ele então vai para uma espécie de barzinho onde tocam covers do Reginaldo Rossi e outros bregas. Na hora em que ele chega, a música faz aquela pausa dramática. A princípio, o balconista não vai muito com a cara do coronel (isso é algo em que o filme falhou, porque um cara com um bigode daquele e a pessoa não ir com a cara? É impossível e ponto final).

Primeiras saudações[editar]

O coronel dá uma prensada nele. Nesse ponto, já nem tem mais música. O balconista dedura o fora da lei só com os olhinhos. O coronel sobe lá, chega no apartamento do criminoso, bota o cartaz de procurado por debaixo da porta e apenas faz o famoso "toc toc". Só que em vez de ouvir um quem é, ouve "pou pou pou"; o coronel então sai da frente, logicamente. Quando finalmente ele arromba a porta, tá lá: uma gostosa na banheira dizendo "me possua", e o filha da puta que ele tá atrás fazendo parkour lá fora. Ao invés de ir fazer parkour também, o coronel se despede da moça malandramente: "nós se vê por aí" e vai andando na maior calma lá pra baixo. Note que o cara que saltou do andar de cima foge com um paletó na mão; mas assim que chega até o cavalo, joga a roupa no meio da rua, possivelmente pra tentar correr com menos peso.

Nessa cena, tu acha que vai começar uma perseguição a cavalo, mas é aí que você se engana! Do nada, o cara puxa uns fuzil do cavalo que tu fica WTF??? Nisso, o bandido tá fugindo, e ao som de MC Carol (Jorginho me empresta a doze, vou matar esse maconheiro) juntamente com um barulhinho de mola, ele derruba o cara do cavalo. Após um breve erro de gravação, onde o cara parece que veio correndo e o cavalo some, o tal sujeito (já baleado) tenta acertar o homem de preto dando uns quatro tiros de teste. Mas o coronér, que joga de sniper, mata ele com mais algum apetrecho maluco (que deixaria até mesmo o Inspetor Bugiganga impressionado). A cena então corta para ele (o coronel) pegando os mil dólares com seu puta cachimbo foda e perguntando sobre um tal de Baby Cavanagh, um bandido que agora ao invés de estar naquele buraco, tá na puta que pariu. Mas com algo a mais, pois quem também está atrás dele é um tal de Manco (ou melhor, Clint Eastwood).

"Here comes a new challenger"[editar]

Quando Clint Eastwood aparece.

A cena então corta para Clint andando na chuva. É incrível como o sujeito consegue ter um ar sério mesmo estando vestido com um tapete. Nessa hora, as pepecas começam a umedecer: essa cena é fantástica porque ele acende um cigarro na chuva, mal se molha e ainda deixa a plateia molhadinha. Após entrar no saloon, pede um fogo pro xerife pra acender seu baseado (a chuva deve ter apagado). Mas aquilo é apenas um migué pra ir atrás do Baby Cavanagh, que até então estava lá, tranquilo, jogando seu pokerzinho.

Clint vai lá, afasta a mão de outro sujeito, mete a mão no baralho e distribui umas cartas só pra ele e o Baby. É apenas um minigame duma partida amistosa de poker. Enquanto isso, o xerife (que é muito rato) vai na barbearia dar uns toques. Sem pensar duas vezes, o cliente tira a meleca da cara e joga o pano na careca do barbeiro. Voltemos para o saloon... Obviamente, Clint ganha; o cara pergunta qual era a aposta. Clint, calmo como sempre, responde: "Sua bunda". O pessoal da mesa fica abismado, e é aí que começa uma briga. Mas não é uma briga comum, porque Clint derrota o cara apenas com uma mão! Uma mão! Eu prefiro acreditar que uma fita de vídeo custa 200 reais, do que um cara apenas com uma mão possa derrotar um fora da lei (mas não é qualquer cara, é o Clint Eastwood).

Ele pergunta então para o Baby como vai ser? Vivo ou morto, indicando assim que era um adepto da necrofilia, mas chegam então os capangas do fora da lei. Clint simplesmente vê se a barba dele tá bem feita (ao contrário do cara que veio da barbearia) e dá dois tiros nos três caras, que capengam um pouco mas vão deitar na rua. Em seguida, atira no chão e mata o Cavanagh sem nem ver onde o cara tava. Guarda a arma girando (claro!) e vai falar com o xerife.

O xerife reclama do salário fala umas groselha e então Eastwood pergunta para ele:

Cquote1.png Um xerife não deve ser corajoso, leal e, acima de tudo, honesto? Cquote2.png

Cquote1.png Sim Cquote2.png
Resposta do xerife

Manco então pega o distintivo dele na maior moral, dá a estrelinha pra uns caras que tavam conversando ali fora e diz:

Cquote1.png Acho que vocês precisam de um novo xerife Cquote2.png

Ele sobe no cavalo e vai embora. Mais foda que isso, só dois disso.

O terceiro elemento[editar]

Ramón Valdés detonando como Coronel Douglas Mortimer.

Se até então o filme tava interessante, acontece uma fuga de prisão envolvendo o Lima Duarte que é incrível! O chefão lá da porra toda ta dormindo na sua cela e o seu parceiro de cela (que é o Lima Duarte) ta muito apreensivo, quando chega os capangas do chefe e libertam ele, o chefão então pergunta se o Niño vai bem e ele responde "muito melhor com você aqui", já da pra perceber que rola uma tensão amorosa entro o Niño e esse chefão do crime, e agora o mal verdadeiro se manifesta, porque só um cara muito mais muito mal para matar o Lima Duarte a sangue frio... E eles vão saindo e vão matando. Quando finalmente eles tão livres a noticia vai á tona que El Indio escapou da prisão, lógico que os cara vão querer meter o dinheiro nessa grana.

El Indio quer matar o cara que botou ele na cadeia, vai até a casa do cara e bota uma musiquinha do colar pra tocar, a música era sem você não viverei, do Ovelha nisso quando a música acabar o cara tem que puxar a arma e matar El Indio que está com a arma na mão e todos os capangas mirando nele, logicamente ele morreu, né, mas ninguém se importou muito, pois a música do Ovelha foi superior a qualquer coisa.

Nisso o Coronel estava se passando por bandido e descobriu que em El Paso tem o banco mais bem protegido do mundo e por isso os ladrões vão querer roubar, claro, lógico, melhor plano. Só que não! Clint então chega em El Paso e descobre que o Coronel tá por lá (mesmo eles não se conhecendo), um garotinho aborda Eastwood e fala que esse hotel é melhor porque tem uma ninfomaníaca (meio que todas as mulheres são) e o Clint da aquela risada do tipo "hm, hoje o velho Clint vai fuder!".

Ele chega lá e o balconista diz que não tem como porque o quarto tá ocupado, o Clint devia estar pensando...

Cquote1.png Foda-se eu sou o Clint Eastwood Cquote2.png

Ele puxa o livro de registros e risca o nome do cara.

Cquote1.png Deixa que eu resolvo Cquote2.png
Clint sendo foda

A mulher que já queria transar, vendo aquilo, agora pronto! Tava tipo tang, só jogar na água vira suco.

E não é que o Lima Duarte sabia sobre o segredo do cofre? Por essa ninguém esperava hein?

Do nada desce senhor Barriga, "por favor, a conta"

Clint entra no quarto e a cena corta, claro que cortaram né porque ninguém queria ver o Clint comendo a mulher, (mentira queria sim) para El Indio e seu bando planejando o próximo ataque que cagadamente é no banco em El Paso, Indio conta a historia de como Lima Duarte construiu um cofre de madeira que esconde o verdadeiro dinheiro do banco de El Paso não o enorme de ferro inutilmente grande.

Encontros (sem Fátima Bernardes)[editar]

A gangue do Indio finalmente chega na cidade, eles não perdem tempo vão direto para o Saloon. Clint quase é extorquido por uma criancinha gaga! Manco chegando no Saloon avista o Coronel acendendo um fósforo nas costas do corcunda da gangue! Vou repetir, ele acende um fosforo no corcunda da gangue. O corcunda enlouquece! Quando vai puxar sua arma, o Niño não deixa, e o Coronel fica lá olhando para gangue do tipo, "vocês ainda estão aqui porque?" Ae eles saem, o corcunda estava claramente puto da cara, óbvio né, acenderam um fósforo na corcunda dele!

Clint então vai ver um velho mamado que fala sobre trem e umas outras groselhas que deixariam o baiano da espaçunave orgulhoso, aí do nada passa um trem e só falta derrubar a casa do cara, depois de passado o trem o senhor de idade fala também do Coronel Douglas Mortimer que era um soldado e agora virou um caçador de bandidos e todo esse submundo de charutos, foras da lei e acima de tudo sarcasmo que apenas tapa buraco no coração dos homens que sofrem nesse mundo sem regras e em uma loucura sem sentido que viaja em ideias e se desfaz em vários pedaços igual os cigarros que eles ascendem.

Chega a noite, tá lá o Coronel (a.k.a. Ramón Valdés) fumando seu cachimbo, nisso chega um chinês que estava sendo escravizado (redundância?) pelo dono do hotel, e pega a bolsa do Coronel e leva lá pra baixo, isso tá lá o Ramon Valdés com uma cara de tipo:

Cquote1.png Wat this motherfucker chinese doin' with ma motherfucker bag? Cquote2.png

Clint e o Coronel se enfrentando.

O Ramón Valdés desce as escadas seguindo o chinês maluco, com a cara dita acima (digna de Oscar). Quando chega lá embaixo, do lado de fora, o Clint esperando ele lá, o Clint manda o chinês leva a bolsa para a estação de trem o Coronel manda deixar a bolsa, o chinês ficou ali em um impasse fudido, desistiu e foi fazer pastel de flango. Nisso os dois então vão se enfrentar (a música então sobe e começa um vixe muita treta), só que eles não podem atirar um no outro, logo o Clint atira no chapéu do Coronel e da mais um seis tiros com o chapéu no chão, nossa que incrível? Né? Nisso o Coronel atira no chapéu do Eastwood e no ar fica atirando, e não faz a porra de um fudendo furo! E isso faz os dois meio que se respeitarem, o que não faz sentido nenhum! Mas da pra aceitar porque é um filme europeu falando sobre a história dos Estados Unidos (que já é meio doida) e isso, obviamente, faz um completo sentido.

Trocando alianças[editar]

Depois eles vão conversar sobre como acabar com o chefão (El Indio) só que claro eles são muito machos, então um fica tentando ser melhor que o outro na conversa, o Coronel sugere uma aliança e dá três bons motivos para eles se aliarem:

  1. El Indio tem muitos capangas.
  2. Não quero começar uma treta.
  3. Meu bigode é muito irado.

Eles então se aliam e tem a brilhante ideia de infiltrar o Clint no bando do chefão, libertar um prisioneiro de dentro de uma cadeia e machucar um radialista, isso tudo por que eles são os bonzinhos da história...

Um monstro desse merece perdão?

Nisso mostra, El indio deitado e morgado, fumando uma maconha (ninguém é de ferro) e lembrando quando matou um cara que estava curtindo a noite com a namorada. Perceptível desta maneira que a índole deste vilanesco sujeito é tão dúbia e desprezível ta qual os seres humanos (se podem ser chamados assim) que colocam fotos com o filtro de animais domésticos em sua foto de perfil, VA-GA-BUN-DOS!!!

Clint então bota o plano em ação e vai ao ataque, liberta o amigo do chefão da cadeia e vai la falar com El Indio, o Indio claro pergunta:

Cquote1.png Porque você ajudou meu amigo? Cquote2.png

Clint responde:

Cquote1.png Achei que ajudando ele, a gente fizesse uma festa na árvore Cquote2.png

Cquote1.png Festa na árvore? Cquote2.png
Pergunta confuso Indio

Cquote1.png É, só vai quem trepa Cquote2.png

El Indio aceita a resposta e convida ele para uma suruba. Eastwood então da as costas e vai embora. Antes de ir embora Indio fica intrigado,

Cquote1.png Pra onde está indo? Cquote2.png

Cquote1.png Bem já que vai ter suruba, vou comprar os lubrificantes Cquote2.png e vai embora.

Mais tretas[editar]

Chega a manhã, Clint mata 3 capangas só de zoas (uma suruba sem acidentes não é suruba, ponto) e vai rumo ao banco em El Paso para junto com o Coronel acabar com esses cretinos. O coronel e Manco ficam la de forma inocente na frente do banco esperando os caras chegar só que se esqueceram da principal regra de uma suruba, nunca deixe os fundos exposto, dito e feito os capangas do cara comeram o cu e deixaram os "mocinhos" com a cara da coisa que os malfeitores acabaram de comer (exato! Seus respectivos ânus) destruindo a parede com explosivos e roubando o armário com o dinheiro e não o cofre. O que já era esperado, mas na hora fica bem foda. Mentira! Esse filme é da década de 60, lógico que é tosco.

Reação do Clint após tomar um tiro nas costaas.

Manco e Mortimer se encontram para reformular o plano, Manco manda o Coronel ir se fuder e dá as costas, do nada Mortimer puxa a pistola e atira no pescoço de Clint que fez uma cara parecida quando você descobre que o pênis da sua namorada é maior que o seu. Ele então explica o plano e que o melhor caminho é pelo sul. Clint aceita e vai de encontro com El Indio e sua gangue. Chegando lá El indio diz que vai pro Sul que é o plano do Coronel também ae o Clint sugere ir pro Norte El indio muda de ideia e vai pro Leste, fiquei mais confuso que um suco de limão que parece tamarindo e que tem gosto de groselha. Ao chegar no leste Eastwood precisa derrotar 3 forasteiros sem atirar neles, para provar dessa maneira que é um bom atirador, eis que tem a brilhante ideia de derrubar umas frutas de uma árvore que um mexicano ilegal (redundância?) não conseguia tirar com seu bastão (a árvore estava longe para caralho!) ae ele derruba uma, duas, nisso aparece atrás dele o Mortimer derrubando um monte! Só sei que os 3 forasteiros olharam um para o outro do tipo, eu me caguei mas não quero demonstrar, ae eles vão embora antes que tomem um balaço na espinha! E o mexicano lá todo feliz com as frutas.

Os dois entram na taberna e o Coronel logo após ser peguntado de como descobriu que era Leste e não Sul, ele da lá uma explicação até convincente, mas eu acho mais fácil ele ter errado o caminho e ter aparecido lá sem querer. Chega a sopa do Coronel e junto entra a gangue de malfeitores em cena.

O corcunda reconhece o cara que acendeu um fosforo em sua corcunda desrespeitando-o e vai lá tirar satisfação, o Coronel tá lá de boa tomando sua sopa, quando é confrontado, o Corcunda vai la tirar uma onda,

Cquote1.png Vamos, acende outro fosforo Cquote2.png
Corcunda

O Coronel lá tomando sua sopa, simplesmente responde:

Cquote1.png Normalmente eu fumo depois de comer, porque você não volta em 10 minutos? Cquote2.png
TURN DOWN FOR WHAT!!!

Agora a treta ta feita, o Corcunda fica putasso! Mortimer se levanta lentamente, um vixe muita treta sobe e a contagem para troca de tiros começa: é 1... 2... 3! O Mortimer puxa uma segunda arma que estava guardada provavelmente em seu ânus e mata o malfeitor com problema na coluna.

El indio e o Coronel vão bater um papo e Mortimer se oferece como o cara que consegue abrir o cofre sem usar explosivos. Tempo para entender como isso é fora do normal, ele acabou de matar um dos melhores capangas do seu maior rival e ainda quer oferecer seus serviços? Sim! Esse cara tem peito. E vale ressaltar que ele ainda quer ganhar 5 fudendo mil dólares disso tudo, eu não tenho nem como descrever o quão foda isso é.