Porto Alegre do Norte

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Caraca, essa porra fica longe Cquote2.png
Qualquer um sobre Porto Alegre do Norte

Porto Alegre do Norte é uma embaixada do Rio Grande do Sul lá no Mato Grosso em forma de município.

História[editar]

A movimentadíssima avenida principal da cidade no horário de rush do meio-dia de uma terça-feira.

Local habitado durante tempos imemoriáveis pelos índios tapirapé (receberam esse nome pelo hábito de darem um "tapa na pantera"), até hoje um ou outro índio ainda pode ser encontrado nas matas.

Em 1966, logo após o estabelecimento de Luciára, vaqueiros sem nada de melhor para fazerem de suas vidas, decidiram subir o rio rumo a oeste para ver se encontravam o lendário chupa-cabras. Infelizmente não encontraram o que perseguiam, e fatigados e perdidos decidiram dar início ali mesmo, naquele limbo total, a uma pequena concentração urbana nas margens do Rio Xavantino.

Só em 1975 o avanço chega à pequena aldeia com a chegada da BR-153 que trouxe com ela também os posseiros, caminhoneiros e prostitutas, que juntos organizaram um pequeno núcleo populacional.

Em 1986 passa a ser considerado um município, e devido à grande quantidade de imigrantes gaúchos falidos que foram despejados de suas terras, a cidade é batizada como Porto Alegre do Norte.

Geografia[editar]

Cidade isolada lá no meio do nada entre o Rio Araguaia e Rio Xingu, localizada num dos piores limbos do Brasil (Pará, Tocantins e Mato Grosso), literalmente não tem para onde fugir, só um rio fedendo à coisa morta...

Economia[editar]

Abandonada à própria sorte, a cidade sofre com o esquecimento pelos governo estadual e federal (mas ninguém mandou construir uma cidade lá na puta que pariu). A economia é baseada na agricultura e pecuária, como em qualquer cidade pobre.

Ainda exibe altos índices de desemprego, graças à vagabundagem de sua população que passa os dias bebendo pinga nos botecos sujos da beira da estrada.