Porto dos Milagres

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Boratnice.jpg Yackshmash! I like you, I like sex, it's nice! High five!
Borat está feliz porque você vai adicionar novas imagens a este artigo! Chenquieh!!!
Rede-GROBO.png PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.

Cquote1.svg Iemanjá, Odoyá, Odoyá, rainha do Mar Cquote2.svg
Gal Costa, anunciando que essa porra vai começar.

Escrita por Agaynaldo Silva, Porco com Vinagre Porto dos Milagres foi mais uma novela de sucesso das 8 exibida em 2001, no lugar de Laços de Família e sendo substituída por outro sucessão ainda maior que foi O Clone, após A Indomada, 4 anos antes, obter êxito.

Enredo[editar]

Uma história de amor, de aventura e de magia, só que aqui temos o mar e as praias nordestinas servindo de pano de fundo. O golpista Félix Guerreiro e sua mulher Adma, os vilõezões dessa novela que é mais uma a unir toda a família na frente da TV, ao tentarem fugir da polícia da Espanha, encontram uma cigana que profetiza que Félix atravessará o mar e será rei (tá, e eu vou ser o Presidente do Brasil). É quando o casal bandido decide voltar ao Brasil, mais precisamente à cidade de Porto dos Milagres, que dá nome à essa bagaça, no litoral baiano, onde mora Bartolomeu Guerreiro, irmão gêmeo de Félix (eta, clichê), o homem mais rico do lugar. Vítima de Adma, Bartolomeu é envenenado e morre, para que Félix herde sua fortuna.

Félix então torna-se rei, mesmo que sem coroa, trono nem cetro. Mas uma puta, sua mãe Arlete, bate à sua porta trazendo no colo o recém-nascido filho de Bartolomeu. Para livrar-se do herdeiro legítimo, Adma ordena que Eriberto, seu cai pra trás capataz, dê fim à mulher e à criança. Eriberto pega um barco com Arlete e o bebê ao mesmo tempo em que o pescador Frederico e sua mulher Eulália, prestes a parir, estão em outro barco, navegando à procura de um médico. Eriberto mata Arlete e, quando vai se desfazer do bebê, o jogando no mar para que vire comida de tubarão, uma onda o impede, virando a embarcação. A criança, numa cesta, é guiada até o barco de Frederico, desesperado porque seu filho nasceu morto e tentando salvar a mulher. Ao retirar o bebê do cesto, Frederico acredita que ele foi enviado por Iemanjá (claro, para levantar a audiência, vale tudo). Eulália falece logo depois de ver o bebê, achando que é seu filho.

Cquote1.svg E faleceu. Cquote2.svg
Maguila sobre Eulália, após as pernas abrir.

Frederico promete a criança a Iemanjá, dizendo que do mar o menino nunca vai se afastar (aham...), só que numa dessas, Frederico se afasta do mar e morre (quem mandou mexer com a entidade?). Guma, filho de Bartolomeu, o homem mais rico da cidade e herdeiro legítimo da sua fortuna, acaba indo parar nas mãos de um pobre pescador. No presente, Guma é um pescador respeitado por todos de sua comunidade. E Lívia é namorada de Alexandre Guerreiro, filho de Félix e Adma, ou seja, outro vilão para atrapalhar o romance dos pombinhos (aai...). Porém, Lívia e Guma se apaixonam ao se conhecerem e esse amor é ameaçado pela sensual Esmeralda, a cigana que leu a mão de Félix lá na Espanha, louca de amor por Guma. E por Alexandre, já que Guma é também o principal desafeto de Félix quando ele é eleito prefeito de Porto dos Milagres, só que aí ela já não sabe para qual dos dois ela irá dar sua pomba. E Félix nem desconfia que Guma é seu sobrinho e que ameaça seu trono, como profetizara a cigana anos antes.

E todas aquelas tramas paralelas que ninguém se lembra, pois só servem para... ah, não, espera, ainda tem o núcleo do puteiro da cidade, e lá Rosa Palmeirão roda bolsinha para garantir seu sustento.

Elenco[editar]

Trilha sonora[editar]

Volume 1[editar]

Capa: logo da novela
Contracapa: Leonardo Brício

  1. Caminhos do Mar - Gal Costa (tema de abertura dessa joça)
  2. Por te Querer - Belô Velloso
  3. A Lua Q Eu T Dei - Ivete Sangalo com participação instrumental de Herbert Vianna na guitarra
  4. Crendice - Carlinhos Marrom
  5. Entre o Céu e o Mar - Elba Ramalho
  6. Um Raio Laser - Jota Quest
  7. O Bem do Mar - Dorival Caymmi
  8. Só no Balanço do Mar - Daniela Mercury e Dominguinhos na sanfona
  9. Sob Medida - Fafá de Belém
  10. Sem Amor - Patrícia Mellodi
  11. Dinamarca - Gilberto Gil e Milton Nascimento
  12. Fofura - Uai Sô
  13. Como Plural - Roberta de Recife (filha do Robertinho de Recife, exatamente)
  14. Instante Eterno - Ivan Lins

Volume 2[editar]

Capa: Flávia Alessandra

  1. Feliz - Leila Pinheiro
  2. Usted Se mi Llevó la Vida - Alexandre Pires
  3. Atração Fatal - Roberta Miranda
  4. Por Enquanto (versão Acústico MTV) - Cássia Eller
  5. Quando Você Não Vem - Eliana Printes
  6. Babaobá - Maurício Mattar e Geraldo Azevedo
  7. Saudade de Amar (If Ever) - Nana Caymmi
  8. Prontos Pra Amar - Guilherme Arantes
  9. O Impossível - Erasmo Carlos
  10. É Doce Morrer no Mar - Dori Caymmi
  11. Por Entre os Dedos - José Augusto
  12. Trip to Heaven - Everson Dias Passengers
  13. Tema do Gay Rei - Guilherme Dias Gomes
  14. I Miss You - Everson Dias Due Angeli

Sátira[editar]

  • Foi parodiada pelos Cassetas como Porco com Vinagre, repetindo o sucesso da novela original.