Princesa Diana

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Death--.jpg Princesa Diana já morreu!

Virou comida de minhoca!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

ESTE ARTIGO É SOBRE UMA EX-GOSTOSA!!

Se você acha que ela está enrugada, gorda ou morta e enterrada, é porque o Tempo, o grande comedor, também traçou esta. Respeite os veteranos e não vandalize este artigo! Gerações passadas já homenagearam na intimidade do banheiro esta

EX-GOSTOSA

Joana.jpg


Diana sorrindo falsamente para os britânicos idiotas que a idolatravam.

Cquote1.png A Rainha dos Corações? Ela não sabe do que já fui chamado. Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Princesa Diana
Cquote1.png Chique no último. Cquote2.png
Jeca Guei sobre Princesa Diana
Cquote1.png People's Princess. Cquote2.png
Cantor Ritchie sobre Princesa Diana

A Princesa Diana (ou Daiana, para os burros que se confundem com a pronúncia em inglês) foi uma loirinha de olho azul oportunista que se casou "por amor" com o Príncipe Charles, em 1981.

Todos pensam que morreu em um trágico acidente de carro... Mas há quem acredite que ela simulou sua morte, porque estava cansada de ser caçada por paparazzi, e que hoje vive na Lua, onde está tendo um romance com Elvis Presley.

Princesinha[editar]

Diana foi obrigada a se casar com o príncipe de orelhas de abano pela própria sogra, a Rainha Elizabeth II, que cutucou suas costas com uma espada durante toda a cerimônia de casamento. Ela recebeu então o título de Princesa de Gales, país que nunca quis conhecer e onde milhares e milhares de servos trabalham dia e noite para pagar os gastos da monarquia.

Diana logo percebeu que a vida luxuosa não era tão ruim. Ela e sua amiga, Maria Antonieta, adoravam sair juntas e ir a shoppings, restaurantes, viagens, traçar homens... pelo menos até a decapitação dessa. Mas Diana logo a trocou por Sissi, demonstrando o quanto valorizava a amizade.

Quando percebeu que Charles estava gostando de outra mulher, Camilla Parker-Bowles, a Milla, Diana ficou determinada a se vingar, porque não tolerava a ideia de que Charles a trocara por aquela coisa horrível e carcomida. Passou a chamar atenção de todos, chorando e vomitando em público (era bulímica).

Dormiu com Charles apenas duas vezes, e assim nasceram os filhos, Príncipe William e Príncipe Harry, ambos filhos do motorista, ou do mordomo, ou do segurança, ou do servo da glebe, ou do faxineiro, ou do jardineiro, ou do cavalo, ou do cão, ou do gato, ou do rei, ou do hamster do rei, ou do vagabundo, ou do canário, ou de qualquer homem com quem tenha dormido mais de 500 vezes.

Como o marido não era bom de cama (já estava brocha), Diana atraiu vários súditos ao seu quarto, entre eles David Beckham, Tony Blair, Ali G, Austin Powers, Ozzy Osbourne, Paul McCartney, Robbie Williams, Elton John e George Michael (estes últimos ainda afirmavam que serem homens na época). Mas o melhor amante foi, sem dúvida, James Bond.

Fama[editar]

Como as inglesas, em sua grande maioria, são feias, logo passaram a idolatrar Diana, bem como os gays (que o diga Sir Elton John).

E se não bastasse tanta idolatria e assédio da enjoada e chata imprensa mundial, a princesa era sempre recebida com exarcebados buquês de flores. Eram tantas rosas, margaridas, violetas, bromélhias, orquídeas, lírios, girassois, narcisos e até maravilhas, que Diana virou um tipo deDona Florinda dos ingleses.

Divórcio[editar]

Charles comemorando seu divórcio bem sucedido

Fazendo-se de vítima no Tribunal (no melhor estilo emo), Diana praticamente depenou Charles durante seu divórcio, roubando-lhe milhões de libras esterlinas, castelos, palácios, jóias, cavalos e saquinhos de chá. No final do processo, saiu com classe: mandou a velha da Rainha tomar no cu.

Mil e uma noites[editar]

Certo dia, Diana decidiu viajar em seu tapete voador na Arábia Saudita, onde conheceu Dodi al-Fayed, um playboy moreno podre de rico.

Diana planejava exigir 50% dos bens de Fayed, assim como fizera com Charles. O próximo alvo de sua "lista" seria Bill Gates.

Morte[editar]

Na limosine de Lady Di e Dodi.
Laudo da Scotland Yard mostra que Diana estava viva quando morreu.

Em 1997, na Cidade Luz (não, não é Las Vegas), Diana morreu em um hospital após sofrer um acidente de carro. Triste, né? O motorista, que tomou um porre, era um excelente ator e, por isso, conseguiu disfarçar a embriaguez de Diana quando todos entraram no carro.

Então, no meio do caminho, milhares de paparazzi em cima de cavalos começaram a tirar fotos do casal. Enquanto Diana, no melhor estilo Dercy Gonçalves, mandava-os à puta que pariu, o motorista decidiu usar o turbo do carro, batendo em cheio em uma pilastra.

Em seu funeral, Diana, já fantasma claro, assistiu a tudo de camarote, comendo pipoca ao lado da Madre Teresa de Calcutá, que falecera um dia antes. Já tinha em mente uma série de defuntos zilionários otários nos quais podia dar o golpe. E foi a última vez em que apareceu em público.

Legado[editar]

Diana pode até ter ajudado alguns miseráveis famintos na África, mas seu verdadeiro legado é que ela tem mantido jornais e revistas de fofocas bem ricos desde sua morte. A cada semana eles escrevem um artigo intrigante a seu respeito e vendem bem.

Ver também[editar]