Raul Cortez

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Dark-Art-Grim Reaper 01DesktopNexus.jpg

Raul Cortez já morreu!

Não era corredor, mas esticou as canelas!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Cquote1.svg Eco... Cquote2.svg
Raul Cortez sobre Esse artigo
Cquote1.svg Papa del mio corazione Cquote2.svg
Reinaldo Gianecchini sobre Raul Cortez

Raul Cortez é um espanhol metido a italiano. Atuou em trocentas mil novelas, mas as que todos lembram são as quando ele já está velho e acabado como O Rei do Gado - o Maledito Berdinazzi - Terra Nostra e Esperança. Cquote1.svg Cáspita! Cquote2.svg

Infância[editar]

Nasceu numa casa entre a Pompéia e a Vila Romana. O pai dele era um ex-toureiro em Madri e a mãe vendia peixe fresco em Lisboa. Se conheceram no navio feito Titanic e Raul nasceu no Brasil. Filho mais velho de seis irmãos, Raul passou a infância ajudando o pai que virou açougueiro. O pai matava os bois, porcos e galinhas e Raul arrancava fora as vísceras e as tripas.

Raul Cortez em Jesus Mafioso

.

Estudava por ali mesmo e montou com os amigos um grupinho de pagode. No começo Raul tocava rebolo mas mudou para o cavaquinho. O grupo se chamava Rauzito e seus Maledetos Leopardos e chegou a tocar no forró lá do Brás uma casa de show daqueles tempos remotos. Ao terminar o ensino médio pensou em ser advogado, mas desistiu quando subiu ao palco pela primeira vez interpretando o diabo na peça O Pão que o Diabo Amassou.

O palco[editar]

Depois que subiu no palco uma vez não parou mais. Na peça Os Monstros interpretou um travesti infiltrado na máfia, e foi tão convincente que ficou com fama de gay por uma boa parte de sua vida. O sucesso veio quando interpretou um comunista decadente na peça Rasga Coração, mais conhecido como a queda do grande cu.

Rede-GROBO.png PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.