Rei de Midland

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
CarlosMagno-coroacao.jpg
Cruz-3.jpg
Este artigo fala sobre coisas medievais!
Tenha respeito ou Sua Majestade irá lhe acusar de traição, lhe jogar em um calabouço fétido e pedir para seu carrasco favorito lhe torturar diariamente por 4 anos, te transformando em uma espécie de boneca da Deep Web
Rei de Midland
Kingmidland.jpeg
Foto oficial de Sua Majestade
Pseudônimo(s) O Benevolente, O Justo, O Tarado, O Pedófilo
Ocupação Rei
Interesses Brincar de Pai de Família com sua filha, Charlotte

Rei de Midland é um personagem do anime/mangá Berserk, tão importante que nem nome possui. A princípio, era um velho caduco que acreditava que todos os nobres eram lixos inúteis e incompetentes, e que os plebeus com grande valor deveriam ter a oportunidade de ascender até a nobreza, se fizessem por merecer. Porém, depois que a Rainha de Midland virou churrasco, ele demonstrou a sua verdadeira face, de velho louco com desejos de fazer um anal giratório com a própria filha menor de idade, enquanto ouve a mesma gritando como um porquinho da índia com câncer.

História[editar]

Em seus últimos anos, o velho tava só no bagaço.

Assim como qualquer rei que se preze, não foi eleito por ninguém, já que ninguém gostava dele mesmo, apenas herdou o trono de teu pai, um velho cachaceiro que cobrava impostos altos do povo para gastar com prostitutas baratas, cerveja artesanal e em partidas de truco valido o toba.

A princípio, preocupado com sua reputação, o Rei de Midland fazia questão de acompanhar os seus soldados nas batalhas sangrentas comuns no insano mundo de Berserk, assistindo de camarote enquanto as suas tropas eram esquartejadas por porretes gigantes e dizimadas pelos exércitos sanguinários do Reino de Chuder. Não fazia porra nenhuma em batalha, mas apenas por estar presente onde o couro tava comendo ao invés de ficar apenas batendo punheta em seu trono de marfim, fez com que ele ganhasse o respeito de seu povo, e fosse reconhecido como um rei que tem pensamento social, um rei amigo da comunidade. Mas como o Filósofo Píton já alertava em seus manuscritos, isso era apenas para comer alguém - No caso, sua própria filha, Charlotte.

Depois que ficou velho demais para sair do palácio, e corria o risco de ser morto por qualquer vírus da gripe, o rei passou a apenas observar o quão inútil a galera da nobreza era, já que eles ficavam comendo e bebendo o dia inteiro e nunca tinham ido pra uma batalha de verdade. A única esperança do rei para destruir o Reino de Chuder e dominar o mundo era Griffith, um especialista no conceito de estratégia que era o líder do Bando do Falcão, um grupo composto por um monte de mercenários bêbados.

Considerando os inúmeros sucessos do Bando do Falcão nas missões suicidas e sem esperança que lhes eram delegadas, o rei foi promovendo Griffith várias vezes consecutivas, até ele ser um dos membros mais importantes da nobreza. Esta ascensão meteórica começou a incomodar Julius, o irmão do rei, atual general e o próximo a subir ao trono, que acreditava que os plebeus eram tudo lixo, e que deveriam permanecer no lixo até a morte. Por isso, ele até tentou matar o falcão com uma flecha envenenada com Guaraná Jesus, mas assim como todos os inimigos de Griffith, acabou sendo caçado e morto. Seu filho, Adonis, um moleque andrógino, também foi morto no processo, já que Griffith nunca deixa pontas soltas.

Depois que promoveu Griffith ao vago posto de general, viu ele ganhar sozinho uma guerra que já durava 100 anos e viu sua mulher e seus parças serem queimados vivos em um incêndio "misterioso", o rei ficou meio doidão, e passou a bater várias bronhas pensando em sua filha de 17 anos, Charlotte, para desestressar. Seu maior sonho oculto era descabaçar a garota com o seu pênis de 12cm mole e 10cm duro, porém viu tudo ir abaixo, quando uma criada lhe contou que Griffith já havia feito o trabalho.

Agora 100% putaço, o rei acusou Griffith e seu Bando do Falcão de traição, mandou caçá-los e ordenou que seu carrasco favorito, que realizava suas sodomias depois da meia noite, ficasse torturando o falcão branco por alguns anos, até ele arrepender-se de ter comido Charlotte e desejasse virar gay. A tortura ocorreu nos calabouços do palácio por 1 ano exato, até que Guts e seus parceiros foram resgatar seu amigo dos BDSM diários. Diferente do esperado pelo rei, Griffith não virou gay por contas das torturas, afinal ele já era isso há muito tempo.

Depois[editar]

2 anos após a fuga de Griffith, o rei passou a sofrer com um câncer de pênis, já que fazia apenas os exames de próstata, mas nunca os de testículos. Estando muito mal, a beira da morte, ele tem uma última visão da volta de Griffith, vê seu pau caindo e morre de morte morrida, deixando o trono livre para seu velho inimigo assumir e destruir a humanidade com os seus demônios de estimação.