Renge Houshakuji

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esse artigo foi totalmente escrito por otakus, porque tudo é kawaii! ^^


XD Kawaii.jpg Cuidado! Este artigo é sobre uma GURIA RETARDADA!

E bebe vodka com leite condensado!

Clique aqui pra ver mais garotas malucas


Cquote1.png Você quis dizer: Otaka? Cquote2.png
Google sobre Renge Houshakuji

Renge Houshakuji. Vendo-a assim, ninguém pensa que ela é totalmente quase doida.

Cquote1.png Experimente também: Otaku Cquote2.png
Sugestão do Google para Renge Houshakuji
Cquote1.png Ela é viciada em animes! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Renge Houshakuji
Cquote1.png Larga do meu pé, ô coisa! Cquote2.png
Kyouya Ootori sobre Renge Houshakuji
Cquote1.png Quem é essa doida? Cquote2.png
Haruhi Fujioka sobre Renge Houshakuji

Apresentação[editar]

A verdadeira face de Renge.

Otaka desde que se dá por gente (ou pelo menos desde que aparecer no anime), Renge Houshakuji é uma típica guria retardada, que aparece de vez em quando no mangá/anime/yaoi Ouran High School Host Club e não à toa, já que a mesma é viciada em coisas yaois outros tipos de viadagens.

Apesar de ter cara de uma personagem tipicamente japonesa (com olhos puxados, cara de tonta, falar japonês e coisas do tipo), Renge nasceu na França (ou pelo menos mora lá), onde a sua otakisse é abafada pelo mal-cheiro dos habitantes dalí, mas pelo menos ela é limpinha (ou não).

Nunca conheceu nenhum dos membros do Clube de Anfitriões pessoalmente e nem sabia das suas existências, porém, alucinada pelo monte de animes, jogos e coisas otakas que vê todo o santo dia, acabou vendo em Kyouya Ootori (o mais ganancioso e aproveitador dos Anfitriões) a imagem de seu personagem favorito de vídeo-game, além de seu "esposo virtual" (WTF?), nada de outro mundo para uma verdadeira otaka.

Vous parlez français?[editar]

O sonho de consumo de Renge na vida, sendo este todo virtual.

Nos tempos em que vivia na França, Renge nunca foi das mais animadas garotas da sua idade, já que ela passava a maior parte do seu tempo enfornada dentro do seu quarto, vendo pornografia na internet, assistindo anime, vendo yaois na internet, assistindo anime, jogando alguns games na internet, assistindo anime, comendo (afinal ela tinha que parar uma hora pra comer), assistindo anime, enfim, sua vida cotidiana pode ser resumida em simplesmente assistir anime (O RLY?).

Na escola ela nunca foi das mais populares, principalmente com os garotos, já que achava que todos os meninos franceses eram gays, só por eles falarem fazendo biquinho apesar de isso ter alguma lógica. Taxada de "anormal" pelos seus amigos por gostar de coisas gays, Renge acabou se isolando socialmente, tal qual um bulling faria nos tempos de hoje. Cansada de toda essa puta falta de sacanagem (em todos os sentidos), acabou se isolando, ainda mais, em seu quarto, onde comprou um vídeo-game em que mostavam homens perfeitos, bonitos, educados e delicados, ou seja, gays.

A cara de surpresa do povo do Host Club ao descobrir que Rengue era um Otaka.

Tal game era quase como um "casamente virtual" (WTF?), onde ela escolhia um dos personagens entre os sete alí existentes (quase muito semelhante ao número de membros do Ouran High School Host Club, mas isso são detalhes), se casava virtualmente com ele e faziam várias coisas, como um casal qualquer mas sendo tudo de brincadeirinha. As práticas de tecnofilia eram constantes, mas nada além disso poderia acontecer, infelizmente (ou felizmente).

O pai de Renge, preocupada com a filha, dava-lhe tudo o que ela pedia, tal qual um pai que nunca está em casa faria para recompensar o tempo em que está viajando e gastando grana com putas baratas. Depois que voltou de mais uma viagem, o pai dela decidiu tomar o Chá das Cinco com filha e contar-lhe sobre o seu grande negócio que abriu no Japão, como se ela se importasse em saber disso. Depois, ele resolveu mostrar uma foto do seu novo investidor com os seus filhos, para a surpresa de Renge. Pois não era que um dos filhos do "novo amigo do papai" tratava-se do seu marido virtual?

O Clube de Anfitriões[editar]

O famoso Host Clube de Ouran.

Desesperada para perder a virgindade de verdade conhecê-lo, Renge avisa na mesma hora que irá para o Japão e que irá se casar com um dos filhos do cara, saindo mais do que imediatamente de casa e pegando o primeiro voo para lá (que, a propósito, tal avião que ela usou não ficava nada mais e nada menos do que no quintal da sua casa). Viajando para lá, como uma verdadeira fofoqueira agente secreta, Renge fez tudo o que foi possível para descobrir onde é que ficava a escola em que o seu marido estudava, até que conseguiu saber que ele estudava na Escola para Ricos e pessoas não estão interessadas em estudar Ouran, bem no centro de uma cidadezinha esquecida no Japão.

Mas não foi fácil para ela também achar a turma dele, tendo que consultar as suas concorrentes em potencial novas colegas de classe, até que conseguiu arrancar delas à força descobrir que ele participava de um Clube de Prostituição presente na escola, mas que eles preferiam chamar de Clube de Anfitriões, só para a polícia não pegar nos pés deles ou alguma coisa do tipo (nada demais).

É claro que Renge não poderia permitir que seu marido ficasse em um lugar assim, alguma coisa tinha que mudar.

Ao dar as suas caras naquele bendito clube de interesseiros, não demorou para que ela logo fosse percebida por um Anfitrião, sendo este justamente Tamaki Suoh. Com o seu jeito de conquistador, não demorou muito para que fosse desprezada pela mocinha que, caso vocês tenham esquecido, era casada. Foi então que ela avistou Kyouya Ootori, informando à todos (ou pelo menos a quem quisesse ouvir) que ela era a noiva dele.

Depois que todos os integrantes do clube ficaram de boca aberta com a revelação, principalmente Kyouya que era a vítima, foi então que ela explicou o fato de ser casada com ele através de uma série de vídeo-game e animes, caracterizando-a assim como uma otaka, para a surpresa de todos os Anfitriões que nunca tinham conhecido um otaku na vida, haja visto que essas otakisses são mais quistas nos meios da massa ao invés da classe Zelite do anime. E assim Renge, que era "casada" com o mão-de-vaca cabeça do Host Clube, acabou se denominando a supervisora geral do clube, mesmo que ninguém a tenha convidado para fazer parte do quadro.

Mudando o Host Club[editar]

O motivo para Tamaki ter sido escolhido como o Príncipe Emo Solitário.

Depois de conhecer um pouco cada um dos integrantes do clube, foi então que Renge percebeu que tudo estava errado por alí, sendo que somente o seu amado estava o mais correto de todos (claro!). É então que ela entra com a ideia de que a característica de todos os membros do clube deveria ser mudada, afim de sair daquela rotina deles repassarem sempre uma face de conquistadores e nada mais para as suas clientes, pois qualquer menina poderia acabar se desinteressando pelo clube devido a rotina que eles sempre estariam promovendo (se bem que isso era somente coisa da cabeça dela, pois não tinha menina que não gostasse daquele jeito gay dos rapazes).

Kyouya acabou achando uma boa ideia o fato das personalidades de cada Anfitrião mudar um pouco, principalmente o fato da sua personalidade continuar a mesma de sempre (já que o problema, como disse Renge, não era com a dele, mas sim com a dos outros). Com isso em mente, cada um dos outros integrantes do clube recebeu suas novas características:


  • Tamaki Suoh - Seria o então Príncipe Solitário, um emo que somente sabe falar mas não pega ninguém (basicamente o que ele já fazia o tempo todo);
  • Hikaru e Kaoru Hitachiin - Seriam os Irmãos Esportistas, que ainda manteriam aquela viadagem o "amor fraternal";
  • Mitsukuni Haninozuka - Seria o Baixinho Encrenqueiro, com cara de bebê mas jeito de marginal, um delinquênte juvenil;
  • Takashi Morinozuka - Seria o Puxa-saco do de cima, se bem que isso nem precisava ser exposto aqui;
  • Haruhi Fujioka - Por fim, ela seria a Paga-lanche de Mitsukuni e sua principal vítima nas maldades deste.

Honey mostrando o porquê de ter sido escolhido como o marginal do grupo.

Apesar da ideia não ser dar piores, até que o pessoal gostou um pouco das suas novas personalidades, porém, quando Renge decidiu que aquilo poderia ser transformado em um grande filme, foi então que o pessoal percebeu que tinha dado muita liberdade à menina. Depois que tais filmagens acabaram dando errado e quase provocado uma briga entre Tamaki com alguns estudantes, foi então que achou-se melhor dar logo umas cagadas na menina, afim de sanar eventuais futuros problemas. Arrependida por tentar mudar todo mundo, a moça pede desculpas para todos e acaba voltando para a França, principalmente depois de ter sido rejeitada por Kyouya que preferiu ficar com Tamaki.

Mais tarde ela volta para o Ouran, depois de uma tentativa fail de criar um Host Club na terra de Napoleão, sendo bem recebida (ou não) pelos membros do Clube, onde acabou assumindo, de novo, o cargo de gerente feminina, ou seja, somente falar, falar, falar e não ter nenhum dos seus pedidos acatados. Ah, sim, ela também acabou se apaixonando por Haruhi (WTF?).

Ver também[editar]