República Velha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é relacionado à história.

Os militares monitoram este artigo.

Caravela-1.jpg
Período conturbado, antes de Darth Vargas assumir a Banana da Morte.

Cquote1.svg Como eu vou votar se não sei ler, ô abestado! Cquote2.svg
Tiririca sobre "voto de cabresto".
Cquote1.svg Ah... mas eu não vou obedecer o filho de uma figa de um fazendeiro qualquer! Cquote2.svg
Lampião sobre "coronéis".
Cquote1.svg Gostei dessa tal "política dos governadores"! Cquote2.svg
Geraldo Alckmin sobre São Paulo ser útil para alguma coisa.
Cquote1.svg Naquele tempo se podia andar nas ruas com tranquilidade. Cquote2.svg
Sua bisavó sobre República Velha.
Cquote1.svg Quem me desafiar eu mando pagar cinquenta flexões! Cquote2.svg
Marechal Deodoro sobre República Velha.
Cquote1.svg Foi o melhor período histórico do Brasil. O Estado era mínimo !!! Cquote2.svg
Liberal sobre República Velha

República Velha foi nada mais nada menos do que a primeira república de um país troglodita chamado Brasil que sobreviveu entre 1889 a 1930, ano em que Getúlio Vargas lançou seu plano diabólico. A República Velha ficou conhecida por suas mais de oito mil revoltas violentas e pelos votos fraudulentos manipulados pelo imperialismo norte-americano por coronéis sem escrupúlos.

No início[editar]

No princípio Deus criou os céus e a Terra o Império Brasileiro era a verdadeira "ordem e progresso" que comandava o país, entretanto no ínterim dos fatos o lorde Dom Pedro II se viu obrigado a largar tudo porque a Família Real estava sendo ameaçada de morte por traficantes cariocas (e olha que era 1889!) e tambèm por não ter dado aos ex-donos de escravos novas mulatas para servirem como serventes sexuais. A Monarquia foi desmoralizada e os republicanos tomaram o país em um piscar de olhos.

A primeira parte da República Velha ficou conhecida como "República do Peixe Espada", por semelhanças que não tinham nada a ver (hã?) com este formidavél ser marinho. Os dois primeiros presidentes militares do Brasil, Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto, eram dois sujeitos mal-encarados que não ligavam muito para o futuro do Brasil e cagaram e andaram para os problemas da nação. Como resultado de sua incompetência a "República do Peixe Espada" acabou sendo tragada por um tubarão e daí presidentes civis assumiram o controle.

Política[editar]

Já escolheu em quem votar? Não tem problema, o coronél escolhe por você!

A política oficial da República Velha era conhecida como o Quarteto Fantástico: Política do café-com-leite, Política dos Governadores, Coronelismo e voto de cabresto. O primeiro princípio era baseado na economia agrária da época, que consistia na produção de café Pimpinela™ e leite Elegê™ e algumas refinarias de óleo diesel espalhadas no sertão pernambucano. O segundo princípio era umas maracutaias que garantiram apoio no âmbito federal-estadual e estadual-municipal, tudo para cumprir com os interesses mesquinhos da corja política.

O Coronelismo era o comando de coroas armados e seus capangas pau-mandados nos cafurdós do Brasil, lugares onde nem pessoas que viajam por lugares exóticos desejariam ir. Os coronéis possuíam mais poderes do que os próprios prefeitos, escolhiam empregos para os cidadãos, batizavam crianças e tiravam fotos para revistas de fofocas nas horas vagas. O "voto de cabresto" era um empurrãozinho que os coronéis davam para os eleitores votarem nos candidatos certos (com tanto que esses candidatos fossem pré-indicados pelos tais coronéis).

Cquote1.svg Eu falei que o governador deveria ser mineiro! Você vai morrer! Cquote2.svg

Revoltas[editar]

Uma série de revoltas afundou o país na miséria desde os tempos de Prudente de Morais. Listando somente as que mataram alguém importante temos mais de cinco grandes revoltas na República Velha:

Cangaço[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Cangaço

O saudoso Lampião rei do Nordeste foi o principal nome do Cangaço brasileiro, uma forma de protesto contra o Coronelismo; tipo Black Blocs. Se achando um Robin Hood latino, Lampião se opôs à inúmeros coronéis, saqueou fazendas e ajudou a pobretada do Nordeste a ter uma renda extra além do habitual Bolsa Família. Na década de 1920 o Cangaço já não tinha mais força para existir e Lampião acabou sendo morto por policiais sem piedade no coração.

Fim da República Velha[editar]

Com a Crise de 1929 os preços do café despencaram nas bolsas de valores e a Economia foi para o beleléu, coisa que não acontecia desde o Encilhamento de Ruy Barbosa nos primeiros anos de República. A política do café com leite foi desfeita e os gaúchos abandonaram seus chimarrões e calças bufantes para tentarem usurpar o poder de ambos PRP e PRM. Na presidência de Washington Luís alguns candidatos "vampiros" à presidência surgiram e eles queriam o sangue de Washington, o Compadre. Em 1930 Getúlio Vargas junta uma patota de militares e põe Washington Luís e Júlio Prestes, outro candidato à presidência, para correr; desmontando os esquemas da República Velha. Era uma nova era para a história brasileira, e uma nova merda também.

Ver também[editar]