Roberta Miranda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lesbian logo.png Este artigo pode levar-te para o Lado Azul da Força!

Este artigo contém fatos sobre sapatas e adora carne mijada.

Madonna christina aguilera lk.jpg


Cquote1.png Você quis dizer: : Nutri-tri-tri-cionista cantora de tecnobrega amapense irmã do Batman? Cquote2.png
Google sobre Roberta Miranda

Cquote1.png A majestade, o sabiá. Cquote2.png
Google sobre Roberta Miranda.

Cquote1.png Vá com Deus! Cquote2.png
Gúgou sobre Roberta Miranda.

Cquote1.png 'A mulher em mim, vai então se abrir...' Cquote2.png
Roberta Miranda sobre si mesma.

Roberta Miranda.

Moberta Riranda é uma cantora paraense que, por incrível que pareça, nasceu em Macapá, AP, ou no sul do sul do Paraná: Robertão (para os íntimos) nasceu em Macapá, a ex-capital do Brasil. É filha de Marmen Ciranda e Euricozinho, irmã de Sula Miranda e de Miranda Papai Noel do programa Astros. É tia de Carola Miranda, a Virgem Jane, Katilce Miranda, o Bono e Miranda Kerr, a Modelo.

Vida dura: a retirante[editar]

Roberta mostra seus consolos do sertão nordestino.
Roberta entre sua mãe Carmen e sua irmã Sula.
Robertão, cantando uma modelo gostosa.
Robertão preparada para colocar, em você, o borrachudo.

Com oito anos de idade, Maria Robertão, que até então vivia feliz (ou não) comendo terra seca e cacto espinhoso no sertão nordestino, tomou um duro golpe em sua vida: a família, em peso, viria para São Paulo tentar uma vida melhor. Então, em 1900 e guaraná com rolha, Maria Robertão segue com seus 28 irmãos para a capital do Brasil, São Paulo.

Chegando em Sampa, a vida melhora (e muito). Sua mãe, Carmen Miranda, começa a fazer sucesso internacional como atriz e fruteira viva – ela chegava a carregar cerca de oito abacaxis, quatro melões e dois limões em cima do cabeção. O pai, Eurico Miranda, entra para o ramo da bandidagem e enriquece às custas do futebol. Em apenas um ano, os míseros 5 "real" que Robertão trazia no bolso quadritribiplicaram. A família Miranda fica trilhardária.

Vida mole: a riqueza[editar]

Sem ter muito o que fazer, Maria Robertão aprende a tocar violão e siririca. Contrata os melhores professores do ramo sexual musical e, quando entra na puberdade, aos 12 anos, enriquece e potencializa sua voz. Com muito chá de alho, cebola e salsa acompanhados de ovo de lagarto choco e cru, além das aulas de canto, é claro, Robertão adquiriu a voz que, até hoje, permanece inalterável: essa voz de cachorro rouco depois da tuberculose com um leve toque de fechamento de faringe.

Aos 15 anos Robertão recebe duas bombas que mudariam sua vida drasticamente: sua mãe, a maior fruteira viva da história mundial, morre no banheiro de sua casa após overdose causada por cigatinhos; o pai é acusado, informalmente, por formação de quadrilha e por alterar a primeira rodada do Brasileirão 69. Um ano de choque para a debutante Robertão. A família então se dissolve, Sula Miranda e Miranda Papai Noel vão morar com o pai no Rio de Janeiro; Robertão fica com os avós no sítio da família no interior de São Paulo.

Depois de três anos de reclusão, Robertão afoga suas mágoas e a falta da mãe cantando em boates e casas noturnas, acompanhada de seu violão, sua solidão e de seu coturno 4.4 (pois ela havia se revoltado com a vida). Adota o nome de Roberta Miranda.

O coturno 4.4: um passo para o estrelato[editar]

Aos 16 anos, um empresário “de conversa bonita” ouve as canções de Roberta e quer porque quer lançar a pequena sapa nos palcos de todo o Brasil. Mas quando a sapata ela soube que os cachês de seus shows seriam pagos com pão com salsicha e guaraná Dolly, Roberta não aceitou: em primeiro lugar porque na época rejeitava a salsicha, e, em segundo lugar, porque preferia Coca-Cola.

Um pouco mais velha, não me pergunte com quantos anos, enquanto cagava ao ar livre em seu sítio, Roberta recebe um sinal, uma luz, uma glória: ao cagar na moita, em cima de um ninho de sabiá, a letra e a melodia de um grande sucesso vieram à tona. Estou falando desse grande hit, Majestade, no Sabiá. A "majestade" do título sugere o momento em que ela, Roberta, se aliviava no "trono" (a moita) e o "sabiá" significa o pobre pássaro enlameado de merda mesmo. A letra vira hit no Carnaval daquele ano: "Aiiiiii, tô indo agora prum lugar todinho meu, quero uma moita bem verde pra arriar, em minha cabeça me atormentam os pardais, cagando podre a majestade, no sabiá; a majestade, no sabiá", disse Roberta (analise a letra, busque fundo, e encontrará a verdade divina). Roberta passa a ser sucesso de crítica sanitária e vira cantora de responsa.

Depois, seguindo esse estrondoso sucesso, lança "Majestade Depena o Sabiá", "Majestade Cria Solto o Sabiá", "Majestade, o Sabiá 2: O Retorno" e "Majestade, o Sabiá 3: A Colonização". A série, em singles, já ultrapassou os 15 milhões de cópias no mundo todo.

Enfim: o que vemos hoje[editar]

Depois de muitos outros hits, como Vá com Deus, o amor ainda está aqui, vá com Deus, não tente sorrir por mim, amor meu – música que fez para a amante Maria Bethânia –, Esperança – composta no momento de reconciliação com Bethânia –, e Faz amor comigo, faz amor comigo, me tira dessa solidão – composta para Ana Carolina (novo casinho de Roberta), A mulher em mim precisa de um homem que é você (feita num momento de recaída feminina de Roberta), então, depois de muitos hits, a cantora continua compondo mais hits. É incrível como 98% dos cantores sertanejos e pop-alternativos gravam esta mulher. Confira e veja quantas composições dela encabeçam as canções de novos (e velhos) cantores e duplas brasileiras. É assustador. Eu tenho medo.

Curióóóósidades[editar]

Galeria: Meus momentos[editar]


Grandes sapatas cantoras
v d e h
Botina.jpg
002.png

Mulheres másculas que mudaram a voz da música brasileira
Adriana CalcanhotoAna CarolinaÂngela Rô RôCássia EllerDaniela MercuryGal CostaIvete SangaloMarina LimaMaria BethâniaMaria GadúMarisa MonteMart'NáliaRoberta MirandaSimoneVanessa da MataZélia Duncan