Rock brasileiro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Rock nacional)
Ir para: navegação, pesquisa
ÒO..gif

Rock brasileiro é poser!

E acha que Twist and Shout é a melhor música do Metallica.

Lembre-o(a) que o velhinho de Harry Potter não é o Gandalf.

Protesto-das-coxinhas.jpg HUEHUEHUEHUEHUE BR BR

Aí, mermão, este artigo aqui, ó, é brasileiro, tá ligado? Só fala de futebol, come feijoada, exporta travestis, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela alta criminalidade.

Velhinha que curtiu muito os Anos 60 e 70.

Cquote1.png Porque eu sou é homem, porque eu sou é homem, menina eu sou é homem... ou não sou? Cquote2.png
Ney Matogrosso sobre rock brasileiro.
Cquote1.png EEEEEEE... Mais ou meeenos... Cquote2.png
Poderoso Castiga sobre citação acima.
Cquote1.png Monte de barulheira e gente gritando Cquote2.png
Funkeiro sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Ninguém é mais gay que a gente! Cquote2.png
Angra sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Quer apostar Cquote2.png
Qualquer banda colorida sobre citação acima.
Cquote1.png Eu caio de amores pelo nosso rock! Cquote2.png
Dinho Ouro Preto sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Era um garoto que como eu... Cquote2.png
Engenheiros do Havaí sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Rock nacional é brasa, morô bicho? Cquote2.png
O terror dos brotinhos sobre rock brasileiro.
Cquote1.png O Rock no Brasil é de uma seriedade tremenda. Cquote2.png
Mamonas Assassinas sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Fico de queixo caído com a qualidade do nosso rock. Cquote2.png
Renato Russo sobre rock brasileiro.
Cquote1.png "Sob um banho de lua, numa noite de esplendor/Sinto a força da magia, da magia do amor". Tinha outra que era assim:"Splish-Splash! Deu o beijo que eu dei..." e outra assim:"O Calhambeque bip bip/Quero buzinar o Calhambeque/Bip dubi indupi dubi" Cquote2.png
Tua avó sobre os rocks que ela conhece.
Cquote1.png Rock? A gente gosta mesmo é de tocar com os índios! Cquote2.png
Sepultura sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Chorão era o cara mais foda da música brasileira! Cquote2.png
Poser logo após a morte do sujeito sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Não, era o Champignon! Cquote2.png
Outro poser 3 meses depois.
Cquote1.png Pelos menos não traíram o movimento... Cquote2.png
Dado Dolabella sobre rock brasileiro.
Cquote1.png AAAAAAAAAAA Cquote2.png
Detonator sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Sou uma múmia lenda viva do Rock nacional Cquote2.png
Rita Lee sobre rock brasileiro.
Cquote1.png Gosto tanto do Freddie Mercury que morri igualzinho a ele. Cquote2.png
Cazuza sobre suas influências.
Cquote1.png É uma merda graças ao Tico Santa Cruz! Cquote2.png
Direitista sobre rock brasileiro.
Cquote1.png É uma merda graças ao Lobão! Cquote2.png
Esquerdista sobre rock brasileiro.

Rock brasileiro é o estilo de música Rock feita por brasileiros para estrangeiros brasileiros. Como quase toda coisa que existe no Brasil, o Rock foi importado dos Estados Fudidos das Galáxias e adaptado para a realidade brasileira, em 1957. Atualmente, o rock brasileiro é algo para dar a bunda de tanto orgulho que desperta o interesse de críticos musicais e fãs de vários países por sua excentricidade, e as vezes boiolice. O rock brasileiro é feito com os mesmos instrumentos do rock norte-americano (pra variar): vocais, bateria, guitarra e baixo, mas também conta com cuíca, oboé e machado elétrico de doze cordas: um instrumento raro usado por certas bandas de metal tribal na Amazônia.

História[editar]

Como o nosso grandioso Brasil é um país com a cultura de ficar vendo a bunda dos outros pela TV e ser telespectador da Globo o rock foi considerado como uma coisa "subversiva", "contra a família, a moral e os bons costumes" pela dentadura ditadura e por grupos reacionários que se achavam os reis da cocada preta. Muitos diziam que o rock induzia ao uso de drogas pesadas, comportamento agressivo, vadiagem e preguiça, sexualidade exacerbada, rebeldia juvenil e homossexualismo agudo. Claro que todas essas acusações são a mais pura verdade mentiras cabais, até porque o Rock sempre foi considerado algo estranho e demoníaco, só se popularizando com força nos ânus anos 80's, quando o cheirador de cavalos Figayredo deu para seu cavalo um basta na ditadura.

Década de 1950[editar]

O homem [carece de fontes] que cantou o primeiro Rock nacional.

Agentes supersecretos da Polícia Federal tinham a missão de roubar uma música de um norte-americano qualquer para pôr em um filme brazuca e assim ter uma trilha sonora de sucesso. Os agentes voltaram com a musiquinha Rock Around the Clock do músico norte-americano Billy the Kid, entregando essa canção para uma baranga conhecida como Nora Ney cantar, em 1955. Dizem que esse foi o primeiro Rock plagiado cantado por um(a) brasileiro(a), cantada muito mal por sinal, e só dois anos depois o nosso maravilhoso Cauby Peixoto gravaria o primeiro Rock 100% tupiniquim: "Rock and Roll em Copacabana". A música nem foi composta pelo Cauby (foi composta pelo meu pau de óculos), mas ficou consagrada como o primeiro Rock à la brasileira do mundo e de Portugal. Surgiram nessa década várias bandas instrumentais sendo uma delas o The Clevers (depois mudou de nome para Os Incríveis) e um grupelho chamado de Luizinho e seus Dinamites no gênero Rock caipira.

Década de 1960[editar]

Roberto mostrando que é um roqueiro por meio de seu sorriso maligno.

Coincidiu com o começo da Picadura Ditadura Militar o surgimento da Jovem Guarda, representada pela tríade "Rei" Charles Roberto Carlos, "Tremenbundão" Erasmo Carlos e pela "Ternurlinha" Wanderléa. Esse trio fez tanto sucesso que foi até chamado pela Rede Recópia para apresentar um programa que fazia um sucessaço naquela época (porque hoje ninguém daria a mínima pra ver esses três juntos de novo).

O rock da Jovem Guarda era misturado com outros estilos e lembrava muito o estilo brochante dançante de Elvis Presley o que garantiu vários brotos para Erasmo e Roberto. Seguindo essa onda surgiram também os grupos Renato e seus Blue Caps, Golden Boys e The Fevers. Tempos depois surgiu uma tal de Tropicália, que não gostava das guitarras, o que obrigou Robertinho a sair do movimento do tráfico Jovem Guarda e tentar carreira solo. A Tropicália era um jeito de tentar fazer Rock á la brasileira e irritar o pessoal do governo militar que estava no poder.

Década de 1970[editar]

A avó mãe e musa do Rock brasileiro.

Os ícones dessa época foram Rita Lee e Raul Seixas, sendo a primeira uma ex-frontwoman da banda Os Mutantes e o segundo um Maluco Beleza que ganhou fama por sua maluquice. O mundo estava pagando pau para o Rock psicodélico e o progressivo e por isso muitas bandas plagiaram isso seguiram esses passos e foram na onda, como Os Mutantes depois que a Rita Lee meteu o pé. O casal Gilberto Gil e Caetano Veloso, dois roqueiros mal-encarados, se exilaram do Brasil e lançaram álbuns que foram considerados os mais fodas do Rock nacional! Foram eles: "O céu é azul" e "Mamando nas tetas".

O ex-machão do Legião.

Ney Matogrosso fez bastante sucesso com o Glam Rock do seu grupo: Secos e Molhados. Com performances performáticas Ney ganhou a simpatia da guriada na época e muitos bofes (apesar de sua verdadeira sexualidade ser uma dúvida até hoje), mas Ney jura de pés juntos que "é homem". Como você pode ver a década de setenta foi uma verdadeira loucura no Rock nacional.

Década de 1980[editar]

É nessa década que a porra ficou séria! Muitas bandas de sucesso foram formadas na época tais como Barão Vermelho, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e Ursinho Bilu Titãs. No cenário metálico surgiu o monstrengo feioso Sepultura com suas letras satânicas inspiradas em cantigas de roda e o Viper, que ficou famoso entre os que comem com pauzinho, sendo o Viper uma pioneira no Metal para menininhas Melódico no Brasil. Em 1981 aconteceu o primeiro festival Punk, revelando Plebe Rude, Cólera, Ratos de Porão e uma porrada de gente.

Dois que fizeram carreira solo fora de suas bandas tiveram um tremendo sucesso. Trata-se de Cazuza e Renato Russo, dois caras de fisionomia e atitudes estranhas músicos que ousaram sair do Barão Vermelho e Legião Urbana para tentar a sorte no vasto cenário fonográfico brasileiro. De qualquer jeito os dois já foram pro saco, estando agora sete palmos debaixo da gente, no mármore do Inferno! MWHAHAHA!

Década de 1990[editar]

Cazuza tentando seduzir alguém.

Nessa época o Rock nacional foi se enviadando cada vez mais perdendo o vigor dos anos oitenta e alguns artistas e bandas perduraram as baquetas e palhetas ou reinventaram o seu som para continuar no mercado (conseguindo ficar ainda pior). Mestres na arte de zuar apareceram no cenário do Rock: Mamonas Assassinas com suas letras irreverentes e Raimundos com seu "forrócore" levantaram multidões para cometer suicídio pularem em seus shows. Outras coisas que surgiram nos anos noventa foram o "Manguebeat" recifense (coisa que só maluco ouve) e a mistura do Rock com Rap ou Reggae, como no caso do Espanque Skank e O Rappa.

Década de 2000[editar]

Uma piranha roqueira fiel aos princípios do Rock.

Com a virada do século veio também a virada de costas... quero dizer... o Rock nacional virou POP!! Isso mesmo! Com a emotização da MTV o Rock ficou algo mais rentável do que deveria ser criando bandas fuleiras como Pitty, CPM 22 e Detonautas. As coisas iam de mal a pior no cenário brasileiro, até as bandas antigas estavam peidando na farofa, até que surge um meio de salvação para o Rock nacional....

Década de 2010[editar]

Essa banda representa todas as cores do Rock brasileiro.

Em meados de 2009 surge uma banda inspirada no gélido e insensível Black Metal norueguês que veio para salvar o Rock nacional: o Exalte. O nome "Exalte" significava exaltar a Satanás, é claro, mas só que eles foram inteligentes o suficiente para não colocarem Satanismo na letra de forma direta e sim disfarçando com coisas que agradam garotas adolescentes, ganhando grande popularidade no cenário nacional e salvando o Rock brasileiro de um fim iminente. A banda Exalte apelidou o seu estilo de "Happy Rock" para não levantar nenhuma suspeita que estaria tocando na verdade um Black Metal satânico. Outros ditos "coloridos" são (Assa)Cine e Morre.

O Metal[editar]

As bandas que mais ajudaram no Heavy Metal brasileiro foram Sepultura e Viper, mas elas não foram as únicas. Angra, Shaman, Krisiun, Korzus, Torture Squad, MX, Claustrofobia, Glória Violator, Dorsal Atlântica e uma penca de outras mais ajudaram a colorir o negro cenário do Metal brazuca. Duas bandas se destacaram das demais: Sarcófago e Massacration.

Sarcófago foi a primeira banda a ter coragem de posar em um cemitério para o álbum de estréia e fazerem pacto com o Capeta para fazerem sucesso, por isso merecem um lugar destacado na história do Metal nacional. Massacration são filhos do Deus Metal e nos ensinam valorosas lições sobre como vestir, transpirar e respirar Metal no nosso dia-a-dia.

Algumas bandas e artistas importantes[editar]

Alguém que ficou exposto a cinco segundos de Metal nacional.

Algumas bandas, parte dois[editar]

Um traidor representante do movimento Punk, veio!

Algumas bandas, parte três[editar]

Pseudo bandas[editar]

Lula ouvindo qualquer música das bandas listadas ao lado. O choro é de dor.

Algumas bandas não condizem com o espiríto do Rock nacional, porém mesmo assim são vistas como "Rock" por um bando de lesados que acham qualquer acorde de guitarra Rock, mesmo se for no estilo jamaicano. Aí estão algumas bandas falsas do Rock nacional:

  • NxZero - Pertence ao grupo Emotional hardcore.
  • Fresno - O mesmo com o de cima.
  • Banda Strike - Uma modinha que só tocou em Malhação e depois foi pro saco.
  • Qualquer banda que toque mais de uma vez na MTV.
  • Qualquer banda que ganhe prêmios na Globo.
  • Restart (O nome certo é "Exalte" e é uma banda digna de respeito).
  • Cine (O nome certo é "(Assa) Cine" e é uma banda digna de respeito).

O dilema: cantar em Inglês ou Português?[editar]

Isto aflige a mente de muitos vocalistas do Rock nacional, afinal para cantar em outro idioma é necessário fazer antes um curso de Inglês ou ser um fodão, coisa que poucos vocalistas são. Aqui mediremos os prós e os contras de cantar em um idioma ou no outro.

Vantagens do inglês[editar]

  • Pode-se tocar no mundo todo, exceto na França.
  • Parece mais inteligente cantar em inglês.
  • Pode-se pôr palavrões na música sem ninguém ligar.
  • Uma gatinha estrangeira pode gostar das letras.
  • O item acima possibilita isso aqui.

Desvantagens do inglês[editar]

Vantagens do português[editar]

  • Preserva a cultura brasileira.
  • Você já nasce sabendo (ou não).
  • Palavrões parecem mais intensos.
  • Os dois primeiros álbuns do Dorsal Atlântica eram nesse idioma.
  • A Desciclopédia é em português. É uma língua suave e boa

Desvantagens do português[editar]

  • Rimas são mais difíceis.
  • Só dá pra tocar no Brasil ou onde se fala Português.
  • Estrangeiros não entendem português.
  • Você pode não ser como Max Cavalera.
  • Quem não sabe inglês é considerado burro.

Conclusão: Ninguém se importa, o importante é fazer sucesso e dinheiro.

Diferenças com o Rock internacional[editar]

Uma das melhores bandas do Rock tupiniquim.

O Rock nacional é pouco diferente do Rock do resto do mundo, exceto na época da Tropicália onde se procurava criticar o Regime Militar, fora isso todo o resto é igual com Rock mundial. Vez ou outra uma banda ou artista faz experimentos com coisas tupiniquins (Roots) e o tal do "Manguebeat", fazendo parecer que o Rock brasileiro é "original", mas no fundo de tudo o Rock feito no Brasil é uma cópia-carbono dos Ianques, seja cantado em Inglês ou Português.

Atualmente[editar]

Nos dias de hoje o Rock nacional se encontra meio capenga, mas ainda assim consegue sobreviver por meio de esmolas mensais. O Sepultura vendeu sua alma para o mainstream (indústria fonográfica) e piorou com Derrick Green, Angra se assumiu ser uma banda moderna, Pitty virou vadia ( ela já não era? ), Matanza se tornou uma banda de sóbrios, Titãs... é... ainda existe, Skank não vale nada, Capital Inicial caiu de repente, Cazuza morreu (faz três semanas), Rei Roberto faz música Brega-Romântica agora e Ratos de Porão largou o Hardcore Punk. É... estamos bem na fita!

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Rock brasileiro no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg