Ryoji Fujioka

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sem comentários...
Ryoji Fujioka é algo que Hanabusa Idou aprova!

Este é um típico artigo Yaoi, que menciona coisas gays que só gays yaoístas curtem. Se você é cabra omi e odeia Yaoi, NÃO LEIA este artigo, pois ele pode levá-lo para o lado rosa da força, mas se carapuça serve, sente, digo, sinta-se à vontade.


Cquote1.png Você quis dizer: Pai da Haruhi Cquote2.png
Google sobre Ryoji Fujioka
Cquote1.png Experimente também: Travesti Cquote2.png
Sugestão do Google para Ryoji Fujioka

Ryoji Fujioka, o pai de Haruhi (sim, você não entendeu errado, isso é um homem).

Cquote1.png Ah, Haruhi, minha filha, vou pro Bordel trabalho! Cquote2.png
Ryoji Fujioka sobre Haruhi
Cquote1.png Vá com Deus! Cquote2.png
Haruhi sobre o seu pai
Cquote1.png Que pouca vergonha! Cquote2.png
Qualquer um sobre o pai da Haruhi

Apresentação[editar]

Ranka admirada com o seu artigo na Desciclopédia.

Ryoji "Ranka" Fujioka é um homem que muito se parece com uma mulher, principalmente quando se veste, fala, anda, come, em suma, sobrevive. Ele aparece de vez em quando no anime/yaoi Ouran High School Host Club, entre uma episódio tapa buraco e outro, sendo que o anime ainda recebe um toque bem mais gay quando este está presente por alí e como se já não fosse o suficiente o bando de gay que o anime já apresente.

Ele é o pai de Haruhi Fujioka, uma menina que se veste como menino e haje como tal perante todos da escola, o que explica que tal diversidade de gênero parece vir com o que ela se aprende em casa, já que não há uma figura masculina de fato por alí atuando com mãos de ferro. Apesar dele se declarar bissexual por ter tido a Haruhi em uma relação sexual do tipo heterossexual com Kotoko Fujioka (a sua falecida esposa), não se sabe ao certo se aquela criança realmente é filha dele e de Kotoko, haja visto que ninguém faz ideia de como aquilo pode, um dia na vida, ter sido ativo e não passivo.

Papai no Passado[editar]

O pai de Haruhi quando não está travestido.

Ryoji Fujioka desde cedo sabia o que queria ser na vida, sabia que, no fundo, no fundo, não curtia muito o lance ter algo a mais com alguém de um sexo diferente do que o seu, coisa que nada mais é do que normal e comum no mundo além de ser o certo também, caso ninguém saiba. Ryoji cresceu assim, sendo chacotado por todos a sua volta como anormal, tentando pelo Diabo, mulherzinha e outras ofensas que todo e qualquer gay já conheceu em vida, sendo que uns ainda conseguem ouvir por não conseguirem se impor diante dos outros, ou por serem fracos mesmo.

Quando cresceu e não conseguiu entrar em uma faculdade de renome (ou melhor, em nenhuma faculdade, já que ele não passa de um anarfa funcional perdido no Japão), seus pais acabaram-no expulsando de casa, ao saber que não seriam avós e nem chegariam perto, já que Ryoji é filho único e o casal já estava muito velho para tentar ter mais uma cria. Sem ter para onde ir, ele teve que começar a lançar mão da sua própria sorte e sobreviver com o suor do seu corpo, ou seja, acabou virando uma prostituta.

A mãe de Haruhi, Kotoko Fujioka.

Para um azar ainda maior de Ryoji (como se ter nascido gay, pobre e ser expulso de casa já não fosse o suficiente), ele nunca teve muita sorte em sua venda do próprio corpo para subsistência, já que nunca passou muita confiança para os seus compradores de que era um produto de boa qualidade. Temerosos por isso, não era qualquer um que tinha coragem de levar Ryoji para casa e, aqueles que tinham coragem, geralmente não repetiam a dose, sabe-se lá por quê.

O tempo foi passando e Ryoji não foi podendo pagar as contas, até o dia em que bate na sua porta uma jovem em busca de safadesas e desejosa do corpo de um homem vestido de mulher, como Ryoji estava alí para aquilo mesmo, acabou indo parar na casa da moça, de onde acabou ficando pra sempre. Essa moça era Kotoko e ambos acabaram apaixonados assim que ela acabou engravidando naquela brincadeira inocente. Finalmente Ryoji se viu curando de sua viadagem e sabia que Kotoko era a mulher da sua vida e isso poderia até ser verdade, se ela não acabasse morrendo de uma hora para outra depois de Haruhi nascer.

O pai Okama[editar]

Ryoji já está arrumado para o trabalho no bar.

A morto de Kotoko Fujioka foi um abalo para toda a família, que eram somente a pequena Haruhi e Ryoji, mas pelo menos a mulher teve quem chorasse por ela no final. Depois que a mulher que pagava as contas da casa morreu (já que ela tinha curso superior em Direito e já era uma advogada de renome), Ryoji se viu obrigado a se prostituir de novo, sabendo que dessa vez a coisa estava mais difícil, já que agora tinha uma filha pequena. Chamando Haruhi para conversar, ele tomou folego e disse tudo o que tinha pra dizer, falando que a necessidade e um pouco de prazer também estavam o levando a exercer essa profissão suja, mas pelo menos eles teriam algo para comer em casa todo o santo dia (bom, isso se a noite desse certo).

Haruhi não entendeu bem tudo isso no começo qual seria o trabalho que seu pai faria, mas após os primeiros dias em que viu o seu pai saindo a noite, voltando de manhã, reclamando de muita dor na bunda, ela começou a suspeitar de que o seu pai não fazia das coisas mais saudáveis do mundo, mas pelo menos ele cumpria o que prometia de trazer comida todo o dia depois de ser a própria na mãos dos outros.

Enquanto papai está fora, Tamaki cuida de Haruhi.

Infelizmente nem tudo eram flores na vida de Haruhi, que não podia dizer nada do que o seu pai fazia para os amiguinhos, por medo de sofrer algum bulling por parte dos mesmos. Quando chegava o Dia dos Pais, Haruhi nem sequer o avisava de que tinha festa no escola, pois sabia que ele poderia acabar querendo ir de mulher para lá, somente para mostrar que era "pai e mãe" ao mesmo tempo, matando-a de vergonha. E assim Haruhi começou a fazer tudo sozinha em sua vida, dependendo do pai somente em alguns momentos, não precisando dele nem mesmo para lhe amarrar os cadarços, apesar dos mesmos viveram soltos.

Haruhi começou a cozinhar, limpar, passar e fazer coisas que nenhuma criança deveria fazer depois das aulas além de estudar e brincar, ficando bem claro que questões de trabalho infantil brincam de pira em desenhos japoneses, assim como também podemos ver em He is my master também. Mas como Ryoji passava o dia fora e Haruhi não fazia nada em casa, nada mais do que justo que ela fizesse algo e acabasse com aquela preguiça toda pelo menos uma vez na vida.

O Host Club[editar]

Ryoji não gosta nenhum pouco de Tamaki por saber o que se passa naquela cabeça loira.

Pobre do jeito que era, Ryoji sabia que jamais poderia colocar a sua filha em uma escola cara, como a Ouran, para a menina estudar e ter o futuro que ele nunca terá. Ele até que tentou, deixando de lado a sua prostituição e indo trabalhar em um bar gay próximo ao centro, onde servia bebidas e outras coisas mais, mas pelo menos era bem menos vergonhoso dizer que trabalhava em um bar do que dizer que trabalhava na rua como uma puta qualquer.

Foi então que Haruhi chegou em casa com a notícia de que tinha sido aceita no Colégio Ouran com uma bolsa de couro integral, onde cursaria todo o seu Ensino Médio, para a alegria de Ryoji, que viu que o DNA de Kotoko estava em Haruhi (ainda bem!). Nos primeiros dias que se seguiram, o rapaz não gostou muito de saber que sua filhinha havia entrado para um grupo de riquinhos que se denominavam Host Club, ainda mais quando falou o que eles faziam naquele club e o porquê de sua filhinha estar fazeno parte dele, mas depois de acabar virando amigo de Kyouya Ootori acabou aceitando um pouco mais tudo isso.

Mal Ryoji sabe que Haruhi não é mais tão pura quanto parece.

Como um verdadeiro pai-coruja, Ryoji conhece muito bem a intenção de todos os membros do Host Clube para com a sua filha (pelo menos aqueles que ele diz conhecer), principalmente o que um tal de Tamaki Suoh sente por ela, mesmo que ele seja o filho do Colégio Ouran (no caso dele, nem que ele fosse filho do Papa Ryoji o queria como par de sua filha). Portegendo-a sempre, desde a morte de Kotoko, Ryoji jamais permite que qualquer homem chegue perto de sua filha, mesmo que a pessoa não tenha nenhuma intenção com a mesma, sendo esta somente de conversar ou perguntar as horas.

Nem homens, nem mulheres, são permitidos chegarem próximos à sua filha com segundas intenções, como no caso de Benibara, a líder do Zuka Club, que tem uma vontade doida de pegar Haruhi do jeito que for. Até alguns episódios atrás, Ryoji ainda discutia sobre a virgindade de sua filha, que ele ainda jugava pura de coração, mal ele sabia que Haruhi já tinha perdido a vergonha na cara há muito tempo, sem falar que a primeira vez de Haruhi ainda tinha sido com uma mulher (azar o dele).

Ver também[editar]