Santa Cruz (Rio Grande do Norte)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Santa Cruz é uma cidade "maravilhosa", um paraíso perdido no interior do Rio Grande do Norte frequentado por muitos turistas e universitários.

História[editar]

Feira de bugigangas e camisetas falsificadas em frente a uma igreja matriz? Só na revolucionária Santa Cruz-RN.

Inicialmente uma região habitado pelos índios tapadões, foi colonizada por fazendeiros com resistência acima do normal ao calor a partir do século XVIII, e assim, em 1831 era criado o povoado de Santa Rita da Cachoeira. A primeira coisa que fizeram, claro, foi construir uma capela em homenagem a Santa Rita de Cássia e alguns casebres ao seu redor, e só depois, ao perceberem que estavam morrendo de sede, que notaram que construíram uma cidade num local absolutamente desprovido de abastecimento de água, e desde então o povoado viria a ser completamente dependente do fornecimento de água vindo de outros lugares.

Em 1835 era criado o distrito de Santa Cruz da Ribeira do Trairi. A origem do nome "Santa Cruz" vem de uma lenda que diz que na época, o antigo povoado era assolado por uma seca e os magros rebanhos ainda sofriam com ataques de um animal lendário denominado de chupa-cabra, então um padre chamado Judas Priest chegou no local e fincou no solo um crucifixo invertido, assim eliminando todas as mazelas da região. Este crucifixo seria posteriormente empunhado pela estátua da Dercy Golçalves que seria construída nos arredores da cidade.

Na data de 11 de dezembro de 1876, o distrito desmembra-se de São Bento do Trairí e adota o nome apenas de Santa Cruz, como tentativa de simplificar, mas na prática só confundiu ainda mais, porque no Nordeste há umas 10 cidades com o nome de "Santa Cruz" e uns 3 times de futebol.

Economia[editar]

A economia da cidade gira em torno do turismo religioso, sendo as suas principais atrações os campus das UFRN, IFRN e UERN.

Em Santa Cruz podem ser encontradas diversas espécies de cidadãos que auxiliam a cidade ser este espetáculo da economia. Uma das mais comuns espécies é a cidadão pilantrolum, mais conhecida como dono da padaria, que insiste em cobrar um preço maior do que os marcados nos produtos. Em Santa Cruz também é encontrado a espécie pilantragem locatorum, essa espécie em particular é encontrada através de números de telefones pregados em todos os lugares e murais da universidade e tem como principal característica oferecer módicos aluguéis exploradores.

Santa Cruz também é acometida por pragas, as principais são: traficantes maracujenses e paraíso surrupiarum, estas duas espécies estão sempre sendo encontrados em consórcio, infestando localidades inteiras como: A Praça da Tequinha e as proximidades da UFRN, bem como da rodoviária.

Educação[editar]

Santa Cruz é uma cidade que tem um campus da UFRN, atraindo pobres cidadãos iludidos dos arredores do interior potiguar que realmente acham que vão melhorar alguma coisa frequentando aquela bodega. A cidade universitária é muito hospitaleira onde os universitários que ali residem pagam um aluguel “baratíssimo” (absurdo). Como se não bastasse os gastos mensais com aluguel, água, luz e materiais da faculdade os queridos universitários que a meu ver são quem aquecem a economia dessa “adorável” cidade, tem o prazer de sentirem a emoção de serem assaltados a luz do dia, muitas vezes em frente a própria universidade, não é maravilhoso? Por que ir ao Rio de Janeiro se você pode sentir a emoção de ser assaltado na cidade da maior estatua religiosa do Brasil sem nem precisar sair do Nordeste? Fica a dica para você aproveitar esse atrativo turístico.

Turismo[editar]

Estátua da Dercy Golçalves carregando uma lápide e uma peixeira. Grande atração turística da cidade.

Apesar de existirem em abundância na cidade, os turistas universitários recebem "tratamento de primeira linha". Ao chegar em Santa Cruz, estes turistas universitários podem desfrutar de terem que pagar aluguéis dignos de uma capital europeia e os mesmos habitaram apenas chopanas muito parecidas com as encontradas na favela da rocinha.

Para aqueles já consternados em serem completos analfabetos, também podem visitar a cidade sem se preocupar com sua universidade, apenas para visitar a famosa Estátua da Dercy Golçalves, que trata-se de um antigo Megazord adormecido que devido ao calor da região teve um defeito e emperrou, e como a seguradora da região é uma bosta, nunca foi rebocado dali e acabou virando ponto turístico. Esta famosa estátua carrega em seu punho direito o famoso crucifixo invertido de Judas Priest e na mão esquerda uma peixeira.