Scheherazade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Scheheshescherāzāde
Scheherazade.jpg
Scheherazade pagando um boquete contando umas historinhas para o Rei Xeriar.
Pseudônimo(s) A Biscate do Rei
Nascimento Há muito tempo atrás numa galáxia muito distante
Cabarés da Babilônia
Morte 1001 Noites
Cama do Rei
Nacionalidade persa
Ocupação prostituta particular do rei Contadora de histórias
Medidas pergunte ao rei
Gênero Infanto-juvenil; Erótico
Magnum opus 1001 Noites (contos eróticos de Scheherazade); Kama Sutra

Scheherazade (com inúmeros outros tipos de grafia, porque na época os tradutores eram burros demais, o seu nome pode ser visto como Xerazade, Sherazade, Shahrazad, ou Shahrzād - sua lenda ficou tão famosa que seu nome no dialeto árabe, é hoje sinônimo de prostituta) foi a mais famosa concumbina que o mundo árabe já viu. Era como a Silvia Saint de sua época.

Infância[editar]

Scheherazade nasceu numa pobre cidade da Babilônia e durante sua juventude trabalhou como biscate dos pedreiros da Torre de Babel para ganhar a vida. Assistia muito os desenhos da Disney, o que viria a influenciar seu futuro talento na arte de falácia.

Estudos revelam que Scheherazade perdeu a virgindade em antigos namoros com o Príncipe da Pérsia e Aladdin.

As Mil e Uma Noites[editar]

A barbie da Scheherazade.

A lenda de Scheherazade começa com o rei persa Xeriar, um tremendo corno nada manso, traumatizado, ele tinha uma mórbida mania de matar todas virgens que ele comia com medo de que elas o traíssem, uma vez que ele era tremendamente ruim de cama.

Scheherazade por sua vez, não aguentando mais a vida de pobre e miserável, certo dia pediu ao seu pai para apresentá-la ao rei assassino maníaco com quem ela teve a ideia de conseguir ficar rica fácil.

Scheherazade conseguiu enrolar o rei, contando para ele historinhas da carochinha, mas parando o conto no meio, obrigando o rei a não executá-la para saber o resto do conto, e claro, na hora do sexo, Scheherazade sempre dizia que estava com aquela dor de cabeça. A mulher tinha uma excelente lábia e conseguia tal qual Forrest Gump ser uma contadora de histórias e convencer aquele pobre rei excitado de mentiras mais deslavadas possíveis. Mas verdade seja dita, o rei só não matou a mulher porque ela era fenomenal na cama, dizem assim os antigos manuscritos secretos da Cabala.

Após 1001 noites de historinhas e sexo, Scheherazade com 3 filhos tornou-se oficialmente a rainha da Pérsia, a mais lasciva de toda história. Narrando os acontecimentos desse período, ela lançou uma autobiografia em forma de compilado de contos eróticos, que resultou no sagrado livro do islão As 1001 Noites e o manual do casal feliz, o Kama Sutra.

Curiosidades[editar]

  • Virou uma elfa Soul Calibur IV com sua espada chamada Alf Layla Wa Layla.
  • Scheherazade é louvada e adorada em todos os puteiros, bordéis e prostíbulos do mundo árabe como profeta e santa padroeira da profissão exercida nesses estabelecimentos.