Sleipnir

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

{{#logotipo:http://www.zero49.com.br/thor/thor.png}}

Quevedo25on.gif Este artigo trata de coisas que nón eczisten!

Este artigo trata de algum mito, lenda, conto, história de pescador ou desculpa esfarrapada. Tome cuidado, pois você pode espirrar e ter sua alma levada pelo capeta caso alguém não fale saúde.

Viking dinamarca.jpg Ek est årtikkel Vikingen!

Este artigo veio das frias terras dinamarquesas! Ele gosta de remar, louva Odin e o Deus Metal, não tem nenhum senso de privacidade ou de educação e seu autor chegou ao Valhalla. Não vandalize ou envolva a Finlândia neste artigo!

NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Sleipnir.
Parente de Sleipnir. Diferente de seu primo, este cavalo tem patas a menos, e não a mais.

Cquote1.png Até hoje estou traumatizado por causa daquele dia Cquote2.png
Loki sobre o dia em que nasceu Sleipnir
Cquote1.png Ele deve ter algum problema genético Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Sleipnir

Sleipnir é um cavalo da Mitologia nórdica portador de polidactilia usado por Odin para cavalgar. Sleipnir, superando a discriminação em torno dos deficientes, conseguiu se tornar o melhor cavalo da Escandinávia, servindo de inspiração para milhares de animais portadores de mutações genéticas que querem ser felizes como pessoas animais normais.

Em todas as fotografias e pinturas dele, Sleipnir é montado por Odin, que senta no cavalo só pra levantar o rabo para ficar melhor na imagem. Onde Odin vai, o cavalo dele vai atrás embaixo. A quantidade absurda de patas de Sleipnir não melhora em nada o desempenho do cavalo, mas serve como propaganda para Odin, que tem a popularidade aumentada entre os deficientes e portadores de anomalias genéticas por usar um cavalo com problemas genéticos.

Nascimento[editar]

Odin, o Æsir mais famoso. Embaixo dele, como figurante sem importância, está Sleipnir.

Quando Thor estava de férias testando seu novo brinquedinho e participando de carnificinas[1], um gigante pedreiro desempregado se oferece aos deuses de Asgard para fazer alguns servicinhos trabalhos de pedreiro, como construir muralhas e outros prédios; em troca de uma vaga na Valhalla, barras de outro que valem mais do que dinheiro, as escravas sexuais do Deus Metal, mais dinheiro, etc.

Os deuses, sobre efeito de uma mistura de Cogumelos alucinógenos com gatinhos, concordaram com o negócio. Depois que o efeito da droga passou, eles perceberam a merda que fizeram, e entraram em desespero. Como não havia modos de descumprir o contrato, os deuses de Asgard decidiram sabotar o trabalho do gigante. O problema foi decidir quem se encarregaria se sabotar o serviço.

Sleipnir morrendo de cansaço numa corrida de cavalos. Repare no suor do coitado (ou saliva, tanto faz).

Para decidir qual deus faria o trabalho, eles fizeram uma partida de truco. No final, Loki perdeu a partida e foi escolhido para o serviço. Na hora de pensar num plano, Loki, que ainda estava sentindo os efeitos do chá alucinógeno, teve a ideia mais infeliz de sua vida. Simplesmente ele pensou em dar o toba para o cavalo do gigante que o auxiliava no serviço.

Então, o deus dos ladrões se disfarçou, virando um traveco Eguinha Pocotó e oferecendo o toba para o cavalo do gigante. Nesse momento, começa uma cena muito furry (ou gay, se preferir), com Loki sendo sodomizado pelo garanhão. Para sua infelicidade, nas próximas linhas não há detalhes sobre como foi isso. Dessa relação, nasceu um cavalo deformado chamado Sleipnir.

Loki pariu Sleipnir meses depois, um dia muito traumático na vida dele. Depois do nascimento do cavalo, o deus da sacanagem, querendo obter uma renda extra, vende seu filho para Odin após intensa perturbação propaganda, dizendo que ele poderia voar, nadar, atirar raios laser, dar cambalhotas no ar, viajar no tempo e voltar ao passado, quebrar as dimensões do espaço, etc.

Deficiência[editar]

Sleipnir desde criança possui uma deficiência, responsável por ele ter oito patas. Isso, somado ao fato dele ter nascido de uma relação homossexual, fez com que ele sofresse muita discriminação dos colegas de estábulo. Mas ele superou todas as adversidades, sendo um exemplo de deficiente que busca a felicidade. Após exames detalhados, Sleipnir foi diagnosticado com polidactilia.

Acredita-se que o problema tenha surgido por causa da relação que lhe originou, pois geralmente cruzamentos entre raças diferentes aumentam as chances de problemas genéticos acontecerem. Outra hipótese diz que Sleipnir é um parente distante de Mula[2].

Ver também[editar]


  1. Esporte preferido dos deuses
  2. Até agora nada foi comprovado, mas nenhuma prova garante o contrário