Star Wars Jedi Knight: Jedi Academy

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Star Wars Jedi Knight: Jedi Academy é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Arthur passeia no cemitério só de cueca.

Star Wars: FPS de sabre de luz
Star Wars Jedi Knight Jedi Academy cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Raven Software
Publicador LucasArts
Ano 2003
Gênero Jedi simulator
Plataformas PC, Xbox
Avaliação 7/10
Idade para jogar Livre

Star Wars Jedi Knight: Jedi Academy é um raro exemplo de jogo bom de Star Wars, mas que compensa isso sendo altamente desconhecido e obscuro. Apesar de muita gente nunca ter jogado esse negócio, muitos fingem falsa nostalgia acerca desse jogo para parecerem descolados e hipsters perante à pedante comunidade de fãs de Star Wars.

É mais um desse tipo de jogo pra PC que sofreu uma onda excessiva de Mods a ponto de deixar o jogo irreconhecível perante os desenvolvedores originais, com destaque para aqueles Mods que deixam os seios das personagens femininas gigantescos.

Jogabilidade[editar]

Grupo de sith prontos para pularem mais um carnaval.

Star Wars Jedi Knight: Jedi Academy é aceito por muitos especialistas em porra nenhuma como sendo o primeiro FPS da história sem FPS. É possível definir esse jogo como "uma mistureba de um pouquinho de tudo" porque tem RPG, hack and slash, beat em up, shooter, tiro em terceira pessoa, ação-aventura, simulador de sabre de luz e uma pitadinha de FPS.

Em sua época o jogo chamava atenção por disponibilizar o que havia de mais moderno em tecnologia de jogos. O personagem principal possuía a notória capacidade de se mover para a frente e para trás, bem como de um lado para o outro, e de uma forma como se estivesse drogado com uma overdose de nobésio. Enquasnto se move feito um louco alucinado pelos cenários é disponibilizado ao jogador uma série de armas de fogo que jamais são utilizadas, e um sabre de luz baseado num intrincado sistema de ataque que consiste em atacar, aacar, atacar, atacar, atacar feito doido.

Este jogo é muito bem sucedido em causar uma falsa sensação de variedade. Há uma vasta variedade de armas de fogo, mas só o sabre de luz presta. Há várias raças para customizar o personagem principal, mas todos os bonecos se movimentam igual e tem a mesma habilidade. Há vários tipos e estilos sabre de luz, mas todos fazem mesma coisa que é bater, bater, bater. Há várias fases, mas são todas as mesmas coisa de andar reto, solucionar puzzles idiotas, matar Stormtroppers mais idiotas ainda e matar aprendizes sith ainda mais idiotas. Há vários poderes desbloqueáveis, mas você só vai usar o Force Push e o arremesso sabre.

Enredo[editar]

Em 2012 a Disney classificou o enredo desse jogo como "fanfic", mandando tomar no cu todos os fãs que desde 2003 veneravam esse jogo como canônico da série. Ironicamente, o roteirista Rian Johnson de Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi foi quem justamente fez uma fanfic baseada em Star Wars Jedi Knight: Jedi Academy para desenvolver o filme sem noção dele.

Quanto ao enredo deste jogo, ele é bem simples e segue a aventura de um prodígio chamado Jackass Knorr que do nada cagou em cima da mitologia de seis filmes de Star Wars e simplesmente fabricou um sabre de luz sozinho só porque ele é foda e foda-se o quão complicado é fazer isso a ponto de nem Palpatine saber fazer um desses. Pela grave transgressão de ter feito um sabre de luz sozinho e desvirtuado todo o conceito da arma mais elegante da série, Jackass é punido em ter um mestre cuzão e um amigo ainda mais imbecil.

Apesar da morte de Palpatine (revivido do nada por J. J. Abrams no episódio 9) a galáxia se entupiu de sith e não se sabe de onde veio tanto dançarino de axé, mas sabemos que temos que matar todos. Durante sua aventura, Jackass vai visitar o Castelo do Darth Vader, conhecer um Pokémon chamado Wobbafett, visitar as cidades das nuvens, conhecer o Chewbacca, e várias fanservives.

Eventualmente se descobre que um capiroto vestindo uma saia quer destruir a galáxia e que ele enrabou o amigo de Jackass tão forte que o seduziu, transformando em adversários os dois agora ex-amigos. Mas com perseverança todos malvados são mortos no final!

...e se você perceber bem, o jedi chacinou a sangue frio mais gente que todos os sith reunidos desse jogo.

Personagens[editar]

  • Jackass Knorr - O personagem principal e aquele controlado pelo jogador, ele é o que roteiristas denominam de "Gary Stu", porque é do nada um prodígio perfeito que vai interagir de igual pra igual com vários personagens icônicos. Destaca-se por não ter aparência, raça ou sexo, muito menos personalidade.
  • Luke Skywalker - O chefe da Academia Jedi, na verdade ele não faz nada e só fica moscando, uma atitude que foi tornada canônica nos filmes pois a escolinha do Luke deu errado, já que o maldito não sabe dar uma aula decente.
  • Kyle Kuzao - Um mestre Jedi que é o maior paga-pau do Luke, com um duvidoso prazer em ser o professor de Jackass e Rosh. Ele se caracteriza pelo fato de saber decorado todas as convenções da Ordem Jedi mesmo sem ninguém ter ensinado pra ele. Esse personagem é altamente adorado pelos fãs, apesar de ser apenas um péssimo professor.
  • Rosh Penis - Amigo de Jackass, é aquele típico merdeiro que eu que não sou jedi já vejo de longe que vai dar merda e vai virar sith com aquela atitude de playboyzinho arrogante dele. Descrito, resumidamente, como um pé no saco por toda a academia, ele é um perdedor e um boça. De vez em quando ele se perde e acidentalmente vai para o Lado Negro da Força, mas depois de quase matar alguns Jedi, ele sempre volta para o Lado da Luz e diz que só estava brincando.
  • Alora - Uma Ahsoka Tano pintada de vermelha que é a cadelinha de estimação da grande vilã do jogo Tavion.
  • Tavion Axmis - Uma sith maluca que se veste como se estivesse numa casa de swing com temática BDSM, é ela a responsável por fazer Rosh se apaixonar pelo Lado Negro da Força
  • Marka Ragnos - Um lord sith que foi traído pela sua ex-esposa que ficou tão puto que virou o sith mais irascível que já existiu, andando por aí com seu enorme par de chifres e espalhando ódio, atraindo muitos fãs, como a Tavion que se dedica a ressuscitá-lo.