Steve Vai

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Davesolo.gif

Eddie Van Halen deu sua benção a este artigo!

Obrigado! Este artigo se sente mais forte agora :)

Clique aqui para mais abençoados.

Bebê tocando guitarra.jpg Este artigo é sobre um GUITARRISTA!

Ele idolatra o Rock como se sua vida dependesse disso e tem a maior facilidade em reproduzir riffs alheios.

Fatos.png
Conheça os fatos sobre Steve Vai


Cquote1.png Vai vai vai vai vai vai vai Cquote2.png
Mike do Mosqueiro sobre Steve Vai
Cquote1.png Steve Vai ou não vai? Cquote2.png
Sílvio Santos sobre Steve Vai
Cquote1.png Não, o Steve já foi Cquote2.png
Piadista sobre Steve Vai
Cquote1.png Steve, Vai tomar no centro do seu cu, seu viado de merda!!! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Steve Vai
Cquote1.png Na União Soviética, VOCÊ vai até o Steve!! Cquote2.png
Reversal Russa sobre Steve Vai
Cquote1.png Ontem eu Steve, Véi! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Steve Vai
Cquote1.png Aonde o Steve Vai?? Cquote2.png
Carla Perez sobre Steve Vai
Cquote1.png Se o Steve Vai, eu também vou! Cquote2.png
Oscar Wilde sobre Steve Vai
Cquote1.png Você toca bem, mas seu timbre parece um sanduíche de presunto! Ainda bem que seu cabelo é bom. Cquote2.png
Frank Zappa sobre Steve Vai

Steve, Vaaaaaaaiiiii
Cada piada engraçadinha...

Cquote1.png Steve, Vai tomar no cu! Cquote2.png
Platéia do show do Steve Vai sobre Steve Vai
Cquote1.png Esse cara só me usou! Cquote2.png
Guitarra Ibanez sobre Steve Vai
Cquote1.png Vai, Steve, Vai!! Cquote2.png
Wilson sobre Steve Vai
Cquote1.png Isso é uma bixoooooooooona! Cquote2.png
Severino sobre Steve Vai
Cquote1.png você traiu o movimento do Steve, Véi! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Steve Vai
Cquote1.png Se fudeu, seu bosta Cquote2.png
Daniel San sobre Steve Vai
Cquote1.png Cade o Steve Uai Cquote2.png
Mineiro sobre Steve Vai
Cquote1.png Onde você Steveee Vai ? Cquote2.png
Qualquer um sobre Steve Vai demorando
Cquote1.png Enquanto o Steve Vai, o John Travolta. Cquote2.png
Mamãe sobre Steve Vai
Cquote1.png Aonde o Steve Vai, a Adriana Esteves. Cquote2.png
Piadista sobre Steve Vai
Cquote1.png Steve, vaçuncê é guerreiro de Pai José! Cquote2.png
Carmolho Föiker sobre Steve Vai
Cquote1.png Steve Vai ao contrário é Estevão Go!!! Cquote2.png
algum retardado sobre Steve Vai
Cquote1.png Se a Vai-Vai não vai Steve Vai Cquote2.png
Sambista carioca tentando criar piada sobre Steve Vai
Cquote1.png Vai, vai, vai "timbora" carniça Cquote2.png
Coxinha (Nas Garras da Patrulha) sobre Steve Vai
Cquote1.png Aonde Steve Vai eu vou varrendo Cquote2.png
Zéca sobre Steve Vai

O começo[editar]

Descoberto por Joe Satriani, Steve Foi Vai foi treinado por um dos músicos mais chatos virtuosos do mundo. Satriani perguntou ao pequeno Steve, quando ele tinha apenas doze anos:

Cquote1.png Garoto, pra que esse cabelo tão grande? Cquote2.png

Ao que o pequeno Steve Vai respondeu que queria aprender a tocar guitarra, mas não tinha dinheiro para nada que tivesse cordas. Miyagi Satriani decidiu testar Steve ali mesmo, comprando uma guitarra na loja da esquina.

Quando Steve começou a tocar, um Pokemon desmaiou, e Satriani imediatamente decidiu ensiná-lo os caminhos misteriosos da arte de matar Pokemons música.

Primeiros passos[editar]

Steve Vai passou a tocar em botecos para ganhar uns trocados em Las Vegas, este era o trabalho de sua vida quando, aos 21 anos de idade, bandidos vestidos de Teletubbies apareceram no bar e decidiram que ali seria o local de gravação de um bando de malditos programas infantis. Por este motivo corriqueiro, resolveu iniciar a carreira artística tocando guitarra nos bares de Santos. Porém, jurou que, assim que tivesse o treinamento apropriado, voltaria a Vegas.

Zappa foi no bar de Santos e o viu tocando a Les Paul que Satriani havia comprado na esquina. Quando olhou para fora, viu um Pikachu com sangue saindo pela orelha, por tal, achou que o garoto tinha futuro. Logo o chamou para aprender com os guitarristas da File 3 a técnica No Hands, tudo isso enquanto fazia uma turnê com o seu novo mestre e os amigos.

Cquote1.png Ele tinha cabelos velozes e bastante técnicos Cquote2.png
Frank Zappa sobre Steve Vai

Quando terminaram o disco, o representante da Ibanez levou até Steve um contrato, que foi assinado em 10 segundos pois o guitarrista pensava tratar-se de um autógrafo. Assim que o contrato estava assinado, o representante tirou a Les Paul das costas de Steve e substituiu-a por uma Jem Jr. Graças a todo o peso que foi removido, Steve se tornou muito mais rápido e virtuoso.

Encontros com mestres[editar]

Um belo dia, foi até o México para tomar uma tequila com uns amigos no boteco, onde conheceu um bêbado que atendia pelo nome de "Zé Corneteiro", mais conhecido por aqui como Seu Madruga(Violonista virtuoso, que fez muito sucesso nos anos 30 com a música dos "Olhinhos de noite serena").

Aqui o Steve Vai.

Ele o ensinou todas as suas técnicas milenares adquiridas durante as visitas a Terra-Média, onde jogava poker e fumava unzim com seu mano Gandalf. Porém o sabio Madruga logo percebeu que Steve Vai era o garoto prodígio citado nas profecias de Valter Mercado(O cara do "Ligue djá!"kkkkkkkkkkkkkkkk, Eu sou Marcelo e tu?), então resolveu mandá-lo para alguém mais capacitado. Foi nessa época que Steve Vai conheceu Steve Ray Vaughan, com quem aprendeu como fazer um corte cabelo sexy que atraísse a mulherada! (além de como fazer solos de dez minutos)

Após ter aulas com ele, Steve foi procurar alguém mais capacitado, encontrando o maestro Chimbinha. Confiante em suas habilidades, Steve tocou um solo improvisado utilizando as melhores técnicas que possuía, imaginando que conseguiria explodir a cabeça de Chimbinha. Não conseguiu.

Porém, várias salamandras que estavam passando alí por perto explodiram. Steve então decidiu imortalizar essa experiência em uma música, criando assim "Salamanders in the Sun", fazendo uma referência ao calor do verão brasileiro.

As grandes batalhas egípcias[editar]

Após seu encontro com Chimbinha, Steve desafiou vários artistas em DEADLY GUITAR BATTLES. As "Batalhas Mortais de Guitarra" eram muito comuns no Egito Antigo, abrindo as partidas de Yu-Gi-Oh. Um fato curioso, é que a abertura era lotada, mas ninguém nunca assistia as partidas de Yu-Gi-Oh.

Mas aqui, o Steve já foi.

Cquote1.png Ele estava ali, a platéia gritava "VAI, STEVE, VAI!", tocava com um ou dois malandros, matava mais Pokemons do que qualquer um, deixando a todo o povo egípcio louco! então ele saía balançando o cabelo e dando aquele sorrisinho de comedor. Quando eu e Kaiba subíamos para duelar, apenas os idiotas como você ficavam nas arquibancadas... Cquote2.png
Yugi sobre Steve Vai

Nessas partidas, os competidores eram transportados para a dimensão de Pallet, onde encontravam os famosos Pokémons, que muitos acreditavam ser apenas lendas. No final das batalhas, aquele que tivesse explodido mais cabeças de Pokémons, com seus solos de guitarra, vencia.

Sucesso[editar]

As batalhas começaram a tomar proporções astronômicas e começaram a se popularizar, abrindo partidas de Yu-Gi-Oh no mundo todo. Steve decidiu que queria abrir pelo menos uma partida em cada país, então, em 1989 procurou David Cover-dele, dono do Whitesnake, que estava precisando de um solista, já que o seu guitarrista e parceiro de composição atual Adrian Vandenberg, conhecido também como Flying Dutchman, estava com problemas no braço. Estimulados pela oferta de XXX milhões de dólares para acabar com a praga de Pokémons, Vai, Cover-dele e Vanderberg chamaram ainda, Rudy Sarzo e Tommy Aldridge, para explodir ainda mais cabeças de Pokémons.


Até o fim do ano, eles tinham terminado o álbum lambendo a buceta Deslise da língua. Os solos de Steve Vai, testados em laboratório, explodiam, em média, 100 cabeças de Pokémons por minuto. Vandenberg, em 1990, já havia recuperado seu braço.

Cquote1.png Steve... Foi uma das melhores coisas que aconteceu com o Whitesnake... Se ele não viesse, não teria sido a mesma coisa... Cquote2.png
David Cover-dele sobre Steve Vai

Cquote1.png É o melhor disco do Steve Vai... Cquote2.png
Critico fã de Jazz e Blues sobre lambendo a buceta deslizando a lingua

Cquote1.png Eu acho que David foi uma das melhores coisas que me aconteceu. Eu não chegaria tão longe sem ele Cquote2.png
Steve Vai sobre David Cover-dele

A preparação[editar]

Antes de começar o massacre Steve preparou uma planta de uma guitarra que atendesse a todas suas necessidades para poder fazer o poke-massacre, ele mandou para vários fabricantes e iria assinar um contrato com o fabricante que lhe fornecesse a melhor arma para explodir a cabeça de pokemons alheios. A que lhe mais apeteceu foi a

ibanez que lhe forneceu a melhor arma bélica para poder executar o ritual de artrite cerebral na cabeça de pokemons

O grande Poke-massacre[editar]

Na turnê de 1990, ocorreu a maior matança de Pokémons de todos os tempos, o Donnington Monsters of Rock a abertura do Donnington Monsters of Cardgames, onde Steve foi tocar For The Love of God pela primeira vez, explodindo Mil cabeças de pokémon nos primeiros trinta segundos. Vandenberg e Tommy Aldridge também fizeram solos, que explodiam, em média, 150 cabeças de pokémon por minuto, e é dito que a presença de Rudy Sarzo e Cover-Dele também ajudou.

Quando a turnê acabou, Steve e o Whitesnake se separaram, pois foram marcados como alguns dos maiores assassinos de Pokémons a andarem sobre a Terra, (na verdade, eles só estavam atrás do Led Zeppelin, que tinha a incrível marca de 50 mil cabeças de pokémon por minuto).

Steve foi, um dia, procurado pelo Mewtwo, que apareceu junto com todos os Pokémons sobreviventes. Steve afirmou que aquele era seu trabalho, e só quem sentia prazer na morte dos Pokemons era o Yugi. Mewtwo achou bacana, mas quando se virou, Steve Vai, que já tinha tudo planejado,chamou uma galera gigante e mandou uma música que explodiu a cabeça de todos os Pokémons. A música ficou conhecida como "Genocide". Ash Ketchum começou a chorar. Steve chamou a galera do The Who e entregou os instrumentos a eles.

Pete Townshend pegou a guitarra de Steve, que na ocasião era a Ibanez de 3 braços em forma de coração, uma das guitarras mais pesadas que o homem já viu, e quebrou na cabeça de Ash.

Veja uma amostra de como Steve Vai explodiu tantos Pokémons. Aviso: assistir o vídeo abaixo pode ser fatal se você for um Pokémon.

Discografia[editar]

  • 1984 - inFlexível
  • 1990 - Ódio e Paz
  • 1993 - Castidade e Heresia
  • 1995 - Segredos Amorosos do ET
  • 1996 - Jardim em Chamas
  • 1998 - inFlexíveis Restantes
  • 1999 - A Zona do Ultron
  • 2005 - Ilusões do R$: Reflexões
  • 2016 - Primitivo e Moderno + 25 anos de Ódio e Paz

Após esse grande genocídio de Pokémons, Steve pediu para ter aulas com Chuck Norris, que está considerando dar uma resposta.