Switchblade Symphony

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Gothar.jpg Este artigo foi possuído e agora é seguidor do Arquiduque das Trevas e Imperador do Mal,
Lord Göthar Tenebrian
.

Vamos desejar e admirar o Profeta Tenebrian!

Cquote1.png Louvem-me, aceitem o Goticismo!!! Cquote2.png


Switchblade Symphony
Switchblade Symphony.jpg
Fazendo cara de dorgadas, como sempre
Origem São Francisco, Califórnia
Gênero Musical Darkwave, ou seja, músicas tediosas tentando se passar por trevosas
Álbum mais Vendido Serpentine Gallery
Maior Sucesso Clown
Integrantes Susan Wallace e Tina Root
Influências Mortícia, Bauhaus, cantigas de roda (!?)
Vícios músicas sem pé nem cabeça com refrões que se repetem 985698685 vezes
Cafetão/Produtor Cleopatra records

Cquote1.png devolvam meus cogumelos, suas bruxas!!!!! Cquote2.png
Mario (não aquele atrás do armário) sobre Switchblade Symphony

Cquote1.png É cult e underground, eu aprovo Cquote2.png
indiota sobre Switchblade Symphony

Cquote1.png We're laughing,you see-e-ee-e-e-ee-e...YA-HA-HA-HAA!!!!!! Cquote2.png
Switchblade Symphony sobre suas letras maduras e complexas

Cquote1.png tão vazio quanto a minha alma Cquote2.png
gótico sobre switchblade symphony


Introdução[editar]

Switchblade Symphony é uma banda gótica cujas músicas se encaixam nos gêneros sinth, ethereal, athmosferic, darkwave, rock gótico, forró eletrônico (anh?) e etc. A única coisa que suas músicas tinham em comum umas com as outras eram as batidas de pop e dance tentando se passar por diferentes a todo custo, e claro, as letras que, quando não só não faziam o menor sentido, pareciam também ter sido escritas por uma guria retardada de 6 anos de idade com TDAH.


Origem, história e blá,blá,blá[editar]

Switchblade Symphony foi formada em São Francisco (fica na Califórnia,caso você não saiba), em 1989, pela compositora e tecladista Susan Wallace e a vocalista Tina Root. Ao longo da carreira, a "banda" teve dois guitarristas e dois bateristas diferentes, mas só as mocréias, na maioria das vezes, apareciam nas fotos de marketing. No começo da carreira, elas tentavam a todo custo venderem suas fitas cassete, chegando a oferecer pacotinhos de alegria para quem as comprasse. Com o tempo, de fato elas começaram a fazer sucesso (entenda-se "fazer sucesso" como "conseguiram vender mais de 10 discos"), e começaram a fazer turnês.

Eles eram conhecidos principalmente por terem um jeito alegre e radiante

O fim[editar]

A "banda" acabou acabando mais ou menos em 1999, após o álbum "The Three Calamities", e com isso, Tina Root mais tarde formou seu projeto solo Tré Lux (Tripé de Luxo), e Susan Wallace cansou da fama e resolveu virar massagista profissional (sim ela virou mesmo massagista, não é zoação descíclope).


Principais álbuns[editar]

  • Serpentine Gallery (1995): o primeiro álbum, tem músicas sem-noção, repetitivas e que não acabam nunca (sério, a maioria delas tem mais de cinco minutos de duração).
  • Bread and Jam for Frances (1997) :nesse a Tina Root começou a cantar um pouco menos pior. Músicas também repetitivas e sem noção, mas pelo menos não tão compridas.
  • The Three Calamities (1999): é o álbum mais comercial da "banda". Ou seja, se você achava que podia ficar pior...consequentemente, só meia dúzia compraram e GOSTARAM do álbum.


Abbey Road vazio.jpg Switchblade Symphony já acabou!

Mas ainda fazem sucesso (ou não).

Clique aqui pra ver os grupos que non eczisten mais.