Teoria do Nazismo de Esquerda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Entre alguns pseudohistoriadores e filósofos fisiólogos, existe a afirmação de que o nazismo é uma ideologia situada à esquerda do espectro político. Tal teoria tem mais adeptos no Brasil e nos Estados Unidos, sendo pouco difundida fora do continente americano.

Provas[editar]

Identidade[editar]

  • Uso do nome "Socialismo", mesmo como sufixo secundário.
  • Identificação com os trabalhadores: Vide os nomes oficiais do Partido Nazista ao longo de sua história, como Partido dos Trabalhadores Alemão ou Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães. O que é perfeitamente refutável, já que, se fosse por isso, o Leão Lobo seria um caçador extremamente feroz, e em vez de fofocar na televisão, iria rugir ou uivar pra lua.
  • Uso da cor vermelha como a cor principal de sua identidade visual.
  • Culto à personalidade de um líder, mesmo isto também sendo uma característica da direita alternativa.
  • Identificação de um inimigo público que deve ser eliminado a qualquer custo. Tal inimigo pode ser retratado como dominante e decadente ao mesmo tempo.

Políticas[editar]

  • Políticas coletivistas que colocam o grupo à frente do indivíduo. Exaltação da vontade popular.
  • Assinatura do Pacto Molotov-Ribbentrop e posterior ocupação da Polônia durante a Segunda Guerra Mundial.
  • Utilização massiva de violência política, como encarceramento ou eliminação sistemática de adversários políticos, mesmo quando os eliminados pelos nazistas foram comunistas.
  • Expansão militar, controle político das forças armadas e militarização da sociedade, apesar de que isto também foi feito em grande escala pelos regimes militares da América Latina entre as décadas de 60 e 80.
  • Centralização das decisões finais em torno da autoridade de uma pessoa, como nas monarquias absolutistas.
  • Utilização massiva de propaganda e controle dos meios de comunicação, com utilização massiva de censura, lemas e símbolos nacionais, com o propósito de manipular ou moldar a opinião pública para concordar com suas políticas.
Cquote1.svg Culto à personalidade é coisa de esquerdista, a propósito, VIVA SALAZAR Cquote2.svg
Um adepto da teoria do nazismo de esquerda em Portugal

Econômicas[editar]

  • Destruição de sindicatos independentes, apesar disto também ser um desejo de muitos na direita política brasileira.
Cquote1.svg Doutrinação nas escolas é coisa de esquerdista igual o Hitler, a propósito, todos levantem-se, prestem continência ao professor e cantemos o Hino Nacional saudando a bandeira. Sieg Heil, ó bacano! Cquote2.svg
Um professor adepto da teoria, provavelmente em uma escola militar

Educação[editar]

Sociedade[editar]

  • Tentativa de criação de um ser humano superior, seja através de purificação racial ou ideológica.
  • Repressão ao homossexualismo, o que foi feito por literalmente todos os governos até a queda do Muro de Berlim, em maior ou menor escala.
Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Teoria do Nazismo de Esquerda no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Num esboço com mafagafos, vários mafagafinhos há.
Quem os desmafagafizar, bom desmafagafizador será.