Terra dos Sonhos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa de Terra dos Sonhos, só pra dar aqueles sete anos de azar no doido que se atrever a ler isso igual eu

Terra dos Sonhos é o terceiro volume de The Sandman. Neste que é o mais curto dos onze volumes da série, tendo só quatro fascículos graças a Deus fica evidente que além da criatividade do Neil Gaiman estar começando a ir pro ralo estava ficando difícil continuar e manter a coerência depois daquela viagem desconexa da porra que foi A Casa de Bonecas... e nesta edição ele resolveu fazer diferente, lançando quatro histórias independentes pra ver se dava um descanso pros neurônios dos leitores burros.

Sobre[editar]

Como dito acima, Terra dos Sonhos é um volume consistindo em quatro histórias independentes, pra dar uma maneirada pro cérebro dos leitores, principalmente os posers, que já estavam começando a coçar a cabeça com o rumo que o enredo da série estava tomando. Vale lembrar que esse foi só o primeiro volume com esse tipo de organização pois o esperto do Gaiman ainda lançou mão desse artifício mais duas vezes, no sexto volume Fábulas e Reflexões e no oitavo Fim dos Mundos, a proximidade entre eles já mostra que tava ficando cada vez mais difícil bolar um roteiro com o mínimo de sentido.

Como também foi mencionado, Terra dos Sonhos é o mais curto de todos os volumes da série, pois claro que naquele andar da carruagem, quatro capítulos eram o que bastava para lançar uma distração na mente dos fregueses e preparar os bolsos deles para a próxima grande aventura decente que viria, Estação das Brumas.

As histórias[editar]

Os contos apresentadas em Terra dos Sonhos são:

  • Calíope: História de um frustrado escritor da Desciclopédia que, após publicar uma série de vários artigos eleitos aos melhores, acaba perdendo o mojo. Sendo assim, ele faz um pacto com um descíclope mais antigo que lhe concede a posse de Calíope, uma das Hentai Girls Musas da mitologia grega, em troca de uma bola de pêlo (wtf??) pra ele voltar a ter inspiração. Só que pro azar dele o Morpheus já deu uns pegas nela no passado, e quando ela diz "E agora, quem poderá me defender?", é ele que aparece para salvar o dia.
  • Um Sonho de Mil Gatos: Uma viagem absurda que só poderia sair da mente do tresloucado Neil Gaiman, Um Sonho de Mil Gatos se tornou um dos capítulos mais populares da série por seu apelo com o público furry. É a história de uma gata de madame que ao ter seus filhotes mortos, despirocou de vez, encontrou Morpheusinho em forma de gato preto, e resolveu sair pelo mundo insuflando outros bichanos a se rebelarem contra o homem que é corno e cruel, mata gato que não chifra e é fiel.
  • Sonho de uma Noite de Verão: Ponto onde a criatividade do autor finalmente chegou no fundo do poço, onde ele simplesmente pegou umas ideias do Shakespeare e deu um twist gaimânico. Desta vez ele bota o coitado do dramaturgo inglês para apresentar a peça homônima pra uma platéia de elfos. É o capítulo mais chato dos quatro, por que dizem que é o melhor eu nunca vou saber.
  • Fachada: Quarta e última parte feita para agradar gregos e goianos, aqui Neil Gaiman não só ressuscita um dos mais de 8000 superheróis desempregados abandonados pela DC (a Mulher-Elemento, um clone feminista do Metamorfo - e nesse caso só ressuscitou pra terminar de matar, meu deus do céu!), como também traz de volta a garota fanservice Morte. Que de tanto não aparecer mais, já estava gerando protestos com tochas e rastelos na porta da casa do autor.


Precedido por
A Casa de Bonecas
Rsmith.jpg
Volume de The Sandman

Julho a Outubro de 1990
Sucedido por
Estação das Brumas
v d e h
O incompreensível mundo do Universo D.C.