The Castle

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
E curtia os desenhos do He-Man, dos Smurfs e dos Ursinhos Carinhosos.

Tarō Sega
Projeto SGGG!

Este artigo, predefinição, imagem ou documento secreto, fala sobre algum personagem, item, encounter, game, local, arquivo, magia, vídeo ou outra coisa relacionada ao game (ou então talvez até o próprio game ou projeto) Segagaga. Isso quer dizer que ele pode saber do que pode acontecer em 2027!

Emblema SGGG!


"Tchê Castlê"
The Castle SG-1000.jpg

A princesa, a fada e o viadinho.

Informações
Desenvolvedor ASCII no MSX/NES, Cega na versão de SG-1000
Publicador ASCII no MSX/NES, Cega na versão de SG-1000
Ano 1985 (MSX), 1986 (SG-1000), 1987 (NES)
Gênero Plataforma
Plataformas MSX, SG-1000, NES
Avaliação 0%
Idade para jogar Livre

Cquote1.png Você quis dizer: Castle Excellent Cquote2.png
Google sobre The Castle
Cquote1.png Você quis dizer: Jogo mais treta do SG-1000 Cquote2.png
Google sobre Google
Cquote1.png Que jogo treta! Cquote2.png
Pivetinho de Fliperama sobre The Castle
Cquote1.png O que Rafael faz com as fadas? Cquote2.png
Otaku punheteiro sobre The Castle

Rafael (The Castle).gif

The Castle é um jogo feito em 1986 para MSX e SG-1000. Em 1987, o jogo teve uma versão pra NES.

História do jogo[editar]

Segue mais ou menos as histórias dos contos de fadas. Você controla Rafael, um herói alto (no jogo e bem baixinho), no qual pretende salvar uma princesa, do quarto mais alto e da torre mais alta.

Objetivos[editar]

Por ser um jogo treta, The Castle necessita de jogadores com muita estratégia (até mesmo aquele mais nerd não consegue terminar o jogo) e que tem que ter paciência, pois The Castle não tem como continuar depois quando der Game Over, a não ser na versão de SG-1000, que, antes de aparecer a palavra Game Over, aperte e segure 1+2+Pause/hold (a Cega nunca colocou Start nos controles antes de vir o Merda Drive) e irá aparcer a palavra Continue. Outro defeito do jogo, é o Rafael não ter nenhuma arma para atacar inimigos. A única forma de matar eles, é esmagando-os com algum objeto. E nem todos os inimigos pode ser destruídos (fogo ambulante é o único que não pode ser destruído). Outra coisa chata, é que, pelo menos em uma tela, há pelo menos, um espeto (Uuuui!) na tela. Tocou ou pisou até mesmo no lado contrário, morreu.

Itens inúteis no jogo[editar]

  • Chaves (Lá vem o Chaves, Chaves, Chaves...): O que mais se acha no jogo (ou não).

Serve para abrir portas, mas, cada cor de chave em cada cor de porta;

  • Itens valiosos: somente marcam pontos;
  • Mapa: Mapa de onde você está;
  • Garrafa de Água: -lhe uma vida extra;
  • Equipamento de nadar: Como o viadinho do Rafael não sabe nadar (joga ele lá no mar pra ver o que acontece),

existe este equipamento. Só pode usar ele uma vez depois de pegá-lo;

  • Máquina de raio colorido: Deixa invencível por alguns segundos. Pode usar a máquina várias vezes.

Inimigos[editar]

A maioria deles fazem toda a mesma ação:

  • Cavaleiro: Só anda e quando esbarrar, volta;
  • Pirata cachaceiro e bebum (onde ele estiver, tem um barril): A mesma coisa acima;
  • Bruxo: Idem;
  • Planta: Surge de uma pontinha verde e volta ao normal;
  • Gato Rei: Se ele ver você ele irá te perseguir;
  • Plataformas: A única coisa que pode te esmagar do nada;

Coisas empurráveis[editar]

Todas elas tem o mesmo efeito, menos uma:

Ver também[editar]