The King of Fighters 2001

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg The King of Fighters 2001 é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Sephiroth mata a Aeris.


Têquinqui 2001
The King of Fighters 2001 cover.jpg

Capa da versão para PS2

Informações
Desenvolvedor Aerolito Inc.
SNK Falida
Publicador SNK Falida
Ano 2001
Gênero porradaria
Plataformas Arcades, Neo-Geo, PS2 e a porra toda
Avaliação 3/10
Idade para jogar Livre

Cquote1.png TETSUO! Ops...engano. Cquote2.png
Akira sobre K9999
Cquote1.png TETSUO! Ops...engano. Cquote2.png
Kaneda sobre K9999
Cquote1.png ??????????????????? Cquote2.png
Qualquer um sobre final da saga NESTS
Cquote1.png May Lee e mais três! Cquote2.png
Qualquer um sobre combos infinitos
Cquote1.png AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! Cquote2.png
Qualquer um sobre 2 chefões apelões em sequência
Cquote1.png Terrorists Wins! Cquote2.png
Narrador sobre vitória do NESTS team
Cquote1.png Kyo e Iori vão lutar agora e... olha lá, K' vai começa a lutar contra Kula! Virem as câmeras para lá! Cquote2.png
Narrador sobre Kyo e Iori
Cquote1.png Aff, que merda de jogo! Cquote2.png
Designer de jogo de luta sobre The King of Fighters 2001

The King of Fighters' 2001 é o primeiro jogo da série The King of Fighters após a falência da SNK, desenvolvido por uma empresa mixuruca chamada Eolith, foi lançado às pressas para manter essa tradição insana de lançar um jogo novo por ano mesmo não precisando. Muitos preferem fingur que esse jogo neme xiste.

Desenvolvimento[editar]

Se conseguiram deixar até a beldade da Mai Shiranui parecendo um traveco deformado, há algo muito errado na direção de arte do jogo.

Graças a sua incapacidade de criar um jogo de luta que fosse ao mesmo tempo bom e carismático, em 2000 a SNK estava com graves problemas financeiros, afinal baseou toda sua meta de lucros em fichas gastas, mas o único que acumulava fichas o bastante era o Rugal e isso só aconteceu em 1994 e 1995 porque ele era o único chefão que iludia os jogadores convencendo-os que podia ser derrotado, enquanto os chefões seguintes eram tão descaradamente apelões (exceto o Orochi) que ninguém nem gastava dinheiro tentando.

Com a SNK falida, coube a uma empresa desconhecida chamada Elioth fazer o jogo. A ideia não era fazer um jogo bom, mas apenas explorar o nome "The King of Fighters" e enganar muito trouxa e isso explica como um jogo chamado "The King of Fighters 2001" consegue ser pior, mais feio e mais bugado que um jogo chamado The King of Fighters '94.

Agora quem criou as artes desse jogo é um grande mistério. Porque para ter a capacidade de desenhar gente bonita tão feia, até eu ficaria no anonimato...

Jogabilidade[editar]

Depois de 2 anos com tudo igual e 7 anos de evolução ao longo da série, a nova desenvolvedora Elioth decide mostrar serviço e mudar completamente o sistema de combate, e o resultado disso? Agora qualquer idiota consegue fazer combos infinitos...

O Sistema dos miguxos (strikers) foi aprimorado , permitindo agora até um máximo de 3 strikers no seu time, ou nenhum, ou dois, ou um... enfim, você decide (embora todos optem pelo 1-3, para ter combos infinitos). Strikers gastam uma barra de especial e podem ser chamados a qualquer momento de qualquer golpe. Este foi o erro...

Um novo tipo de golpe foi introduzido também, o Wire Whip (Chicotada) que são uns pancadões que mandam o inimigo pra parede, onde pode ser prensado. Como cada personagem tem sua própria chicotada e umas são mais roubadas que outras, esse sistema ajudou a desbalancear o jogo ainda mais.

Fazendo seu próprio infinito[editar]

Mais um combo infinito bem sucedido. Siga os passos ...
  1. Pegue qualquer personagem a sua escolha (a May Lee).
  2. Empurre o inimigo para o canto.
  3. Faça o combo a seguir: Qualquer coisa -> Qualquer coisa -> Qualquer coisa -> Chame Angel -> Qualquer coisa -> Qualquer coisa -> Chame King -> Qualquer coisa -> Qualquer coisa -> Chame Kula -> Qualquer coisa -> Qualquer coisa -> Chame Angel de novo -> ... -> Termine com especial só para mostrar como você é foda!

Enredo[editar]

Depois de fazer um exército de Kyos e falhar, tentar matar K' mais vezes do que qualquer um possa contar e falhar, o cartel da Nestlé, os grandes vilões dessa porra, iniciam sua última e desesperada tentativa para dominar o planeta Terra: organizar um torneio de luta chamado de The King of Fighters abertamente, tentar matar K' (como se fossem conseguir) e drenar a energia dos campeões para transformar seu grande líder, Igniz em um Deus. Sim, ele já é bem apelão até antes de drenar... O mesmo plano genial que falhou em KOF 99 e KOF 2000.

Quem são os tri campeões do KOF é o Hero Team, superando assim o record do trio Japonês que começaram a perder depois que o Shingo lutou com eles, isso explica tudo.

Na sua tentativa incansável de matar K', a Nestlé cria um clone do Tetsuo ao perceber que os clones de Kyo não estavam dando muito certo. Este novo clone é chamado de K9999, e que deveria ser muito mais forte que K'. Mas K' derrota este também... Enquanto K' e sua trupe seguem em direção a base espacial do cartel, K9999 tem um momento emo, no qual ele "mata" sua chefe Foxy, o que provoca um momento emo em Kula Diamond que fica puta com ele e começa a lutar contra ele e Angel que é a nova puta paga inserida no jogo.

Durante este tempo, K', depois de infinito + 1 continues obviamente, consegue derrotar Zero e Igniz numa base espacial, que num momento final decide jogar a base em direção a Terra, para matar todo mundo que estava lá. (todo mundo sendo Athena Asamiya, Kyo Kusanagi, Iori Yagami, Terry Bogard, Ryo Sakazaki, Kim Kaphwan e etc. ...Mas não eram só os campeões?!)

Lá embaixo, Kula percebe que a base está caindo, e por algum motivo decide salvar o povo. Ela está lutando contra um monte de bandidos, ela para no meio da luta, dá as costas para seus adversários e salva todo mundo usando seus poderes de Elsa do Frozen. K9999, Angel e mais dois assassinos profissionais não a matam, apenas a jogam na água.

Depois de sair da água e ver que Kula o salvou, K' decide descer o cacete em K9999 e Angel, que obviamente correm. Todos ficam felizes para sempre, pois o mundo está salvo da Nestlé mais uma vez.

Personagens[editar]

Pivetes em mais um emocionante contra! Pra vencer isso aí só os infinitos da May Lee ou Bao.
  • Hero Team (que de heróis tem nada)
    • K' - Mais uma vez ele expulsa dois membros inúteis do seu time e chama dois melhores para ficar no lugar. Continua sendo um emburrado que se acha o fodão e não demonstra nem um pingo de ressentimento em ter roubado o protagonismo do Kyo.
    • Maxima - Parceiro inseparável de K', como ele está sempre calado, não fica enchendo o saco do amigo e por isso é o único aturado pelo K'.
    • Whip - A irmã do K', ou clone dela, ou clone da irmã do K'... um dia a SNK decide... A cada novo jogo volta mais fraca.
    • Lin - A imitação do Reptile, porque copiar só Street Fighter já não estava o bastante. Acaba sendo convidado pelo K' porque ele também não fala muito.
  • Fatal Fury Team -
    • Terry Bogard - Continua sem ganhar um KOF desde quando era o GEEEEEEEEEEEESE que comandava a bagaça. Então mais uma vez não passa de coadjuvante.
    • Andy Bogard - Mais uma vez no papel de filler. Já superou a dor de corno depois que a Mai o deixou.
    • Joe Higashi - Ninguém aguenta mais esse cara. Os desenvolvedores deixaram ele bem fraco, pra ninguém escolher.
    • Blue Mary - Como The King of Fighters 2001 é baseado em combos infinitos e rasteirinhas (infinitas também), de melhor personagem a Blue Mary tornou-se rapidamente uma das piores, pois suas pegadas e róris nem servem mais.
  • Art of Fighting Team
    • Ryo Sakazaki - Mero filler como sempre, nunca ganhou nada mas não desiste nunca. Se em 2000 era ruim, agora aparece ainda mais piorado.
    • Yuri Sakazaki - Irreconhecível nessa versão, foi transformada num garoto rabudo. A desenvolvedora Eolith considerou o ataque da bunda de Yuri muito curioso, então deu 100% de atenção nisso, não focando em mais nada nela.
    • Takuma Sakazaki - Tiozão que não se decide nunca sobre se aposentar ou não.
    • Robert Garcia - Tentou variar um pouco e deixar de ser uma cópia do Guile. Mas continua um arroz da Yuri.
  • Ikari Warriors Team
    • Leona Heidern - Nunca mais foi uma personagem que preste depois que se reabilitou das rogas em 1998.
    • Ralf e Clark - É aquilo de sempre. Servem só pra dar pegada e ser Striker, como dar pegada não serve mais, ficram dois personagens merda.
    • Heidern - Continua apenas assistindo passivamente a dominação mundial dos NESTS.
  • Psycho Soldiers Team
    • Athena Asamiya - Continua apelando com sua rasteira/magia.
    • Sie Kensou - Continua virgem.
    • Chin Gentsai - O lendário véio bêbo.
    • Bao - Gaotinho que tem um combo infinito só de chutinho! A pivetada fez a festa com isso (até levar um socão na cara de verdade, é claro).
  • Women Fighters Team + King
    • Mai Shiranui - Ela nunca serviu pra ser usada nos contras, sempre foi ruim como personagem de luta e nessa versão isso não mudou. Mas a presença da Mai é importantíssima para avaliar-se a qualidade artística do game, porque se alguém consegue deixar essa gostosa uma feia, como foi o caso desse jogo, é porque há algo muito errado.
    • King - Ainda não largou essa sua convicção d que é uma mulher. Também não largou o trabalho de garçom.
    • Hinako Shijo - Loirinha comilona.
    • Li Xiangfei - Voltou mais uma vez, descobre-se que ela faltou o jogo passado porque estava lidando com sua anorexia. Embora tenha se curado desse distúrbio, agora luta contra a calvície.
  • Korea Team
    • Kim Kaphwan - Ainda não desistiu de recuperar a bandidagem por meio do taekwondo, e novamente está atrás de seus discípulos para espancá-los e ensiná-los a sair da vagabundagem.
    • Chang Koehan - Aquele gordão.
    • Choi - O baixinho.
    • May Lee - Nova personagem, foi criada altamente apelona, tornando-se fácil a Rainha dos infinitos, tornando-se a favorita de um jogo após mal chegar nele.
  • Yagami Team
    • Iori Yagami - Formou o time mais sem noção da história dos KOF, praticamente juntou uns personagens resto que estavam largados sem time. Ele próprio também perdeu qualquer relevância na história da saga a essa altura.
    • Ramon - Maldito que não para quieto no cenário.
    • Seth - Sempre foi o mehor Striker, mas como nessa versão importa é encaixar combos infinitos, aí Seth perdeu bastante importância.
    • Vanessa - Com a desvalorização do róris tornou-se uma mera coadjuvante.
  • Kyo Team
    • Kyo Kusanagi - Porque o nome do time dele não é Kusanagi Team? A cada novo jogo perde mais importância.
    • Goro Daimon - Aquele japa cego e gordo.
    • Benimaru Nikaido - O japa gay que usa o fedor do sovaco pra atacar.
    • Shingo Yabuki - O japa otaku que só atrapalhou, pois depois que Shingo chegou esse time nunca mais foi campeão.
  • Nestlé Team
    • K9999 - Líder dos vilões, comanda os malvados, os sangue ruim, os dominadores do mundo, a raia miúda, a ralé, a bandidagem, os terroristas, etc..etc... Como copiar Street Fighter e Mortal Kombat já não era o bastante, trouxeram também esse plágio do Testsuo de Akira, com braço nojento que se estende e tudo.
    • Foxy - A empata foda da Kula que nunca sai do lado da amiga. Embora tenha morrido vai aparecer em The King of Fighters XI, então nem ligue com isso.
    • Angel - Até hoje a mais peituda da série The King of Fighters. Como este jogo foi desenhado por uma pessoa com Mal de Parkinson, Angel parece um travesti com síndrome de Down (mas futuramente vai ficar gostosa quando a SNK tiver grana para contratar artistas melhores).
    • Kula Diamond - A mina do K'. Continua sendo adorável e fazendo feitos extraordinários.
  • Chefões
    • Original Zero - De volta, sem o bigodinho, e 10 vezes mais apelão! E depois que você porventura derrote ele, você descobre que ele é só um sub-boss...
    • Igniz - Faz sua aparição de estreia mostrando a que veio: Drenar todas suas fichas!
    • Meteoro gigante bizonhento - Esse aí você só vê se ao invés de uma versão original de KOF'2001 você acabar dando de cara com uma versão pirata...

Recepção[editar]

Este é o jogo que fechou com chave de bosta a saga NESTS, contando uma história absolutamente nonsense que irritou o resquício de fãs que ainda se importavam com a série. As maiores críticas foram negativas, reclamações sobre a quantidade de cenários mal-feitos, música ruim, diversas falhas gráficas e artes péssimas retratando todos personagens como mongoloides. Mas para os fanboys todos esses problemas são esquecidos devido ao fato que qualquer um pode fazer um combo infinito nessa versão.