The Legend of Zelda: Skyward Sword

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg The Legend of Zelda: Skyward Sword é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Sua Irmã isola seu controle do Wii.


The Legend of Zelda: A Espada dos Skywalkers
The Legend of Zelda Skyward Sword cover.jpg

Link plagiando Luke em Uma Nova Esperança

Informações
Desenvolvedor Nãointendo
Publicador Nãointendo
Ano Um ano antes do fim do mundo
Gênero RPG/Aventura/Simulador de Vôo
Plataformas Não-intendo WRYYYYYYYYYYYYYYYY
Avaliação 100% sem noção
Idade para jogar 18+

Cquote1.svg Você quis dizer: Star Wars Episódio IV: The Link Light Saber Cquote2.svg
Google sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Se isso se passa 100 anos antes do Ocarina, como é que aqui o Link já é adulto? Cquote2.svg
Gamer confuso sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Comprei no dia 18 de novembro as 15:00h e zerei no dia 18 de novembro do mesmo ano as 15:01h Cquote2.svg
AAA sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Cadê a ocarina? Só jogo se o Link tocar a ocarina!!! Cquote2.svg
nerd sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Em fim um jogo em que Zelda não é princesa, Gaepora não é uma coruja, o vilão é um emo, não há nem sinal de Ganondorf até o final dessa joça e Link finalmente come Zelda! Cquote2.svg
Capitão Óbvio sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Era pra ser um jogo de RPG, plataforma ou cópia barata de jogo de nave? Cquote2.svg
Mário tentando ferrar The Legend of Zelda: Skyward Sword por ser melhor que seu jogo lançado no mesmo ano
Cquote1.svg Se fosse eu, só pegava a Zelda e mandava o resto se fuder! Cquote2.svg
Sonic sobre The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Como é que essa porra conseguiu ser melhor que o meu jogo?! Cquote2.svg
Batman comparando Batman: Arkham City com The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg É porque a minha Nintendo é mais foda que você!! Cquote2.svg
Nintendista sobre comentário acima
Cquote1.svg Vou te processar por plágio na capa desse jogo! Cquote2.svg
Luke Skywalker sobre Link estar fazendo a mesma pose que ele no cartaz de Star Wars
Cquote1.svg Usar a espada você deve, jovem padawan! Cquote2.svg
Mestre Yoda para com Link em The Legend of Zelda: Skyward Sword
Cquote1.svg Ghirahim não morreu. Virou purpurina! Cquote2.svg
Jorge Lafond sobre Ghirahim em The Legend of Zelda: Skyward Sword

The Legend of Zelda: Skywalker Sword é mais um game de uma das séries mais baba-ovo da Não-intendo: o Zelda (dãã!), criada unicamente com o intuito de arrecadar milhões de verdinhas para a mesma. Foi feito no finalzinho de 2011 já pra pirralhada pedir o jogo pros pais como presente de natal e virar o ano jogando essa porra.

Desenvolvimento[editar]

Corrida de pássaros: a nova sensação do jogo (até mais que as lutas de espada)

Em abril de 2008, pensando em fazer um jogo que fosse tão impactante quanto Ocarina of Time (que futuramente já iria ganhar remasterização pro 3DS) porém não tão noob quanto The Wind Waker, Shigeru Miyamoto ficou se matutando de como seria a próxima desventura desmiolada de Zelda e pra isso resolveu ir até um museu de arte popular brasileira indo logo depois no cinema pra ver o novo filme de George Lucas em busca de inspiração. Depois de ter dado uma olhada nos quadros de Portinari e de duas horas seguidas de Guerra nas Estrelas, acabou tendo uma ideia pra lá de psicótica, onde imaginou um Zelda em que todo o ambiente é uma pintura neo-cubista naturalista com aventuras baseadas na batalha final de Uma Nova Esperança, só que ao invés de naves, os pilotos usam uma cruza de albatroz com pterodáctilo pra voar e lutas de espadas que no mesmo estilo de A Vingança dos Sith. E dai nasceu o jogo The Legend of Zelda: Skyward Sword, também contada como um episódio paralelo perdido antes dos fatos narrados em Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma.

Link em mais uma de suas tretas com sabre de luz

Depois de forçarem os jogadores a sair do conforto do sofá pra empunhar um Wii remote em Twilight Princess, a Não-intendo resolveu fazer nesse game o mesmo repeteco do outro, sendo que dessa vez você sente que está realmente com a espada na mão, ou seja, sem aquela frescura de bug pra quem joga canhoto e outras merdinhas a parte. Agora com o acessório Wii MotionPlus a treta vai ser bem mais feia que nos outros jogos. Como sempre tem aquela porrada de itens pra você pegar, trocar por brindes na promoção da Coca-Cola e montar a sua coleção. Entre as frescuras excluídas esta o fato de que tomar refri durante o jogo não pausa a batalha, ou seja, se você não for rápido... SE FUDEEEEEEUUUUUUU!!! Por falar em rápido, parece que finalmente a Não-intendo tomou vergonha na cara e ensinou Link a correr pra não te deixar de saco cheio por só ficar no rola-rola o tempo todo, só que ele tem uma barrinha de energia pra isso e quando ela acaba ele tem que recarregar o nitro (pra não ficar parecendo que é plágio de Sonic... ou não). Por fim também tem os mapas (dãã!) e a harpa mágica que Link queixou de Zelda mas que futuramente Shaek vai tomar dele num futuro não tão distante.

Jogabilidade[editar]

Itens e outras bugigangas colecionáveis[editar]

Espadas[editar]

Por fim, a lendária Master Sword Scalibur, antes já empunhada por Sir Arthur, Lancelot, Obe Wan Kenobi, Sonic, Chuck Norris e agora também por Link
  • Practice Sword – espadinha mixuruca e fudida do começo do jogo que Link ganha do seu primeiro mestre Jedi, mas que logo é jogada fora e trocada por uma bem melhor menos pior.
  • Goddess Sword – espada divina abençoada por Padre Quevedo e Obe Wan que já vale mais que a descartável citada acima. Também foi usada por Kin Gon Jin em A ameaça fantasma.
  • Goddess Long Sword – segunda forma da espada que já vira um sabre de luz semi-azul. Foi usado por Anakin em O ataque dos Clones.
  • Goddess White Sword – terceira forma do sabre de luz, que agora fica 100% de luz. Foi usado por Obe Wan em Uma nova esperança.
  • Master Sword – a forma quase perfeita da peixeira alumiada que agora pode foder até o mais resistente dos chefões dessa budega e qualquer outro mané na face da terra. Alem de Link, só Luke teve o (des)prazer de usa-la em O impero contra-ataca.
  • True Master Sword – a última forma suprema da espadinha, agora com direito a força Jedi, raio Sith e tudo mais. Foi usada por Lukinha novamente na última saga de George Lucas conhecida como O retorno de Jedi.

Escudos[editar]

  • Wooden Shield – escudo fodido de madeira que queima mais rápido que lenha em fogueira de São João.
  • Iron Shield – escudo feito com restos da armadura de Tony Stark, mas que não aguentam nem um mísero round contra o Super Choque por eletrocutar o Link sem querer querendo.
  • Sacred Shield – a única que vem com uma barra de energia e, assim como as espadas e os pokemons, tem duas evoluções bem fudidas que só nerds viciados conseguem atingir.
  • Hylian Shield – O lendário escudo da família Real de Hyrule Skywalker que você já usou em todos os outros jogos dessa maldita franquia dos infernos.

Poções[editar]

  • Heart Potion – poção pra ganhar 1-Up!
  • Revitalizing Potion – poção pra chat de jogo de luta, onde quem toma aumenta a barra de ataque especial e dá um fatálity do inimigo... ou talvez só pro Link usar a força.
  • Stamina Potion – também conhecido como comida de astronauta, restabelece as vitaminas e proteínas ingeridas por Link caso ele fique com fome no meio do caminho.
  • Air Potion – faz Link ter os poderes do super humano Mergulhador Radical, podendo respirar em baixo d'água por mais de 24 horas (OMG!)
  • Guardian Potion – transforma Link no guerreiro imortal juntamente com Teseu, Seiya, Goku e Chuck Norris.

Outros troços[editar]

  • Beetle – troço que ajuda Link a voar quando não está na X-Wing com seu passarinho mutante.
  • Bombas – dados por Bomberman, explodem tudo o que você imaginar (como sempre foi e sempre vai ser).
  • Arco e Flecha – atira flechas nos seus oponentes (é lógico! Queria o que? Que atirasse balas de uma calibre 44?).
  • Estilingue – pra não gastar flechas com qualquer merdinha no caminho (agora não vá pensar que é revolver!).
  • Digging Mittssoqueira luva de boxe com garras que cava buracos subterrâneos (Não! Ele cava montanhas aviárias!).
  • Mogma Mitts – evolução pokémon segunda geração da Digging Mitts, também chamada de 2.0.
  • Rede de caça – dispensaram os potes pra Link caçar insetinhos e deram pra ele essa rede fudida.
  • Clawshot – são as garras do Octopus depois de amputadas, que Link usa pra alcançar lugares distantes sem precisar ficar avuando.
  • Chicote – usado para atordoar inimigos, domar leões e bater em crianças rebeldes que ainda não receberam a visitinha da Super Nanny.
  • Gust Bellows – um soprador que faz Tornado Spin na horizontal pra te fazer catar coisas debaixo do areião (tipo lâmpadas mágicas e o tesouro de Alibabá).
  • Goddess' Harp – depois que dispensaram a Ocarina of Time e a Spirit Flute, sobrou pro Link esse instrumento bem mais gay que os outros.

Enredo[editar]

Origem[editar]

Tentando seguir uma cronologia cronologicamente confusa em que ninguém sabe quem veio antes ou depois, a historinha se passa 100 anos antes da suruba narrada em Cocaína of Time, o que é meio sem noção já que em Ocarina os personagens começam o jogo quando ainda são criançinhas na faixa etária de 5 ou 6 anos de idade e aqui já estão praticamente passando da puberdade. Por fim tudo acontece antes de Zelda se tornar a princesa de Hyrule, de Link acabar sem motivo algum sendo morador da Vila de Kakariko, da Master Sword virar o lendário sabre de luz mais cobiçado por todos os Jedis do universo e muito antes de Ganondorf nascer (sendo que no futuro ele é bem mais velho que Link... dá pra entender?). A muito tempos trás, quando humanos, elfos, gnomos e outros anomalias do bem abitavam em Hyrule, uma fissura se formou no reino e de lá saíram os titãs os malignos filhos do Capeta, liderados por Darth Vader, que queriam de qualquer jeito pôr suas horrendas e sujas mãozinhas no Poder Final (a Triforce), guardada por uma deusa, já que as demais estavam de férias e deixaram a mais burra de guarda no controle do universo. Devido a essa suruba dos infernos, a galera teve de chamar reforços contra a turma do mal, dai veio a Liga da Justiça, o Esquadrão do Tempo, os lutadores da WWE e a academia Jedi em peso contra o Império do Cão, mas claro que nesse quebra pau todo o Império contra atacou e fodeu com tudo. Sobrou então pra deusa colocar o resto dos sobreviventes junto com a Triforce em um pedaço fodido de terra e mandar toda essa galera pro céu, acima das nuvens, onde o lugar ficou conhecido com Skyloft (onde tudo é branquinho e azul e tem anjinhos voando diariamente que nem pinturas de teto de catedral). Por fim ela criou uma barreira de nuvens pra separar o céu de Skyloft do inferno de Hyrule, e é nesse ambiente pós-apocalíptico que o jogo começa.

[editar]

Link tentando suicídio

Em Skyloft habitam um grupo de padawans que estão na academia do Mestre Yoda para se tornarem cavaleiros Jedis, entre eles está um garoto chamado Link Skywalker, assim como uma guria chamada Zelda que não é uma princesa patricinha, mas só uma amiga de infância dele e nas horas vagas sua única fonte de prazer sexual. Durante uma trepada entre os dois em cima de um pseudo-pterodáctilo, Zelda é capturada por um emo-viadinho chamado Ghirahim quando este estava tentando executar a técnica milenar Tornado Spin. Link tenta pegar sua mina de volta, só que acaba se fudendo. Para resgatar sua puta particular, Link recebe a túnica jedi celta e a lendária espada dos Skywalkers chamada Goddess Sword (que futuramente virará a Master Sword que Luke empunhará para matar Darth Vader). Juntamente com Fi, ladra de papel de Navi o espírito da espadinha, Link Skywalker desce até o inferno de Hyrule e ai que começa o quebra pau dessa budega.

Reino dos Cogumelos[editar]

Link desce lá na tal terrinha da viadagem Faron Woods e acaba encontrando uma velha cracuda que diz por onde a Zelda foi e os caralho. Aí o Link anda, corre, corta grama, rola, caça pokémon, dá espadada, até chegar no Templo dos tentáculos onde ele pega a primeira e mais nova arma, o Beetle! É um drone digno de Paul McCartney que permite que você pegue as coisas em qualquer lugar. Aí Link mata mais uns monstros maconheiros aí e encontra algo ainda pior, Lord Ghirahim, o mesmo filho da puta que capturou zelda.

Depois de receber uma bela lambida e cansar os braços, Link descobre que a Zelda finalmente arrumou algo de útil pra fazer da vida e foi fazer macumbagem. O próximo destino dela era o Earth Spring, que fica no Havaí. Então, com ajuda de Fi, Link pegou uma prancha de surf pronto pra pegar uma onda, mas acabou que lá realmente era só lava e ele se fodeu de novo.

Vulcão de Eldin[editar]

Mal chegando, você vê lava pra todo lado. Já vai deixando o walkthrough na mão porque esse dungeon é confuso pra cacete. Aqui, você finalmente pega as clássicas bombas (desta vez você não precisa gastar rupees!) que todo zelda tem. Não só isso como você ganha as Digging mitts, umas luvinhas mixurucas aí pra você poder cavar buracos.

Mas então... cadê os Gorons? Ah meu amigo, agora a galera de Eldin além dos monstros é uns bichos parecidos com topeira que tem uns penteados engraçados. Eles falam que viram alguém zanzando por lá, mas não tava com cara de ser a Zelda. Aí pra ir na porra do Earth Temple (o templo de eldin) você voa, entra em caverna, explode parede, sobe, desce, e sobe de novo. Mas quando você alcança a porta... cadê a chave? Tá com a Nilce! Os monstros tinham enterrado pedaços da chave em lugares diferentes. Logo, você tem que procurar os restos da chave pra conseguir entrar. Depois de pegar as chaves, Link finalmente entra naquela bagaça. Lá tem lava, lava, e um novo inimigo, aquela evolução de lagartixa maromba. Enfim, o boss desse dungeon é uma pedra com fogo no rabo parecida com o Mike Wazowski chamada Scaldera, invocada pelo ghirahim para matar provocar Link, até porque uma bolinha não é páreo para o menino. Depois que você derrota o boss, finalmente você encontra a querida Zelda! Mas acaba que a Impa assumiu que está namorando com a Zelda e não deixa os dois se verem novamente, e aí ela vai embora com ela. Link fica puto que a Zelda traiu ele então resolve perseguir aquela vadia e jura matá-la.

Deserto de... Lanayru?[editar]

O próximo destino das duas safadinhas era a região Lanayru, e para sua surpresa... Agora, Lanayru é um deserto! Achou que teria um monte de água e peixes humanóides? Achou errado! É um deserto devastado e com muita areia movediça, sem quase nenhum sinal de vida. O mais perto disso são os primos perdidos do R2-D2, uns robôzinhos que ficam trabalhando o dia inteiro.

Em Lanayru, tem as chamadas Timeshift Stones, umas pedras de crack aí que quando o link dá espadada elas mudam o tempo para o passado, onde tudo era uma região mais viva e colorida. No momento, você passa por três partes da região: As minas, o Deserto, e enfim, o centro das minas, que é o "templo" de Lanayru. As coisas que você ganha aqui são o nada-famoso Gust Bellows, Um aspirador reverso que você usa pra limpar sujeira e assoprar cataventos. Pra falar a verdade, isso só é útil em um jogo de Zelda mesmo. Você também ganha um upgrade do beetle por salvar um dos robôs de uns monstros estraga-prazeres por aí. Esse upgrade permite que o Beetle agora carregue coisas para você! O boss de Lanayru é um aracnídeo com olhos nas mãos, em que você tem que acertá-los até a mão do bicho explodir, mas cuidado; Você pode parar nas garras desse monstro horrendo! Depois de derrotar o monstro e passar por uma sala absolutamente longa, Link finalmente encontra Zelda. Será que agora finalmente tudo acaba? Claro que NÃO! Antes de Link matar Zelda, Ghirahim apareceu e quis matá-la primeiro. Zelda sem pensar duas vezes, joga a Goddess harp para Link, e acaba que ele não deixou Ghirahim matar a putinha, mas acabou deixando a mesma fugir. Antes das duas fugirem, Impa diz para Link voltar para Faron Woods e conversar com a velha cracuda. Mais um final falso de um Zelda. Boa, Nintendo!

O jogo recomeça...[editar]

Forma alternatva do Demise, Um Vulpimancer do Ben 10

Quando Link está descendo em Faron Woods, Groose resolve segui-lo e os dois acabam caindo juntos. Quando ele percbe onde está pisando, ele fica louco, mas aí Link diz tudo que está rolando. Ele fica confuso, mas vai falar com a velha cracuda no barraco dela. Quando você chega lá, Groose fica falando um monte de mimimi que era ele que queria salvar a querida Zelda, porém a véia diz que não é ele que é digno de salvá-la. E ele sai de lá que nem um fracassado, então a velha diz para Link quem era Impa, e o que ele deveria fazer agora. Ela ensina Link a tocar a harpa. Depois de ensinar Link a tocar a balada da deusa, Uma pedra imensa aparece atrás dos dois, conhecida como The gate of Time. É um portal do tempo que permite que você viaje para o passado, onde a Zelda está. Aí a velhota diz que você tem que ir pra lá e pra cá pra poder passar por esse portal. Isso significa que lá vem mais 343583 horas para gastar nesse jogo.

Depois do bate-papo sem motivo da velha, a terra começa a tremer.

Personagens[editar]

O jogo conta com uma penca de noobs, sendo apenas um jogavel, outros coadjudantes e o resto só mesmo figurante que fica te dando no saco e enchendo linguiça na história (isso sem contar os chefões, subchefões e os irritantes inimigos bestas que só sabe foder com tua vida).

Principais (ou nem tanto)[editar]

São estes os de maior importância menor insignificância:

Ao que reza a lenda, é aqui que finalmente Link consegue comer Zelda
  • Link – como sempre, é o protagonista dessa espelunca e o herói que tem que salvar o mundo antes que ele se foda nas mãos do vilão. Depois de tantos outros jogos perambulando sem rumo em terra firme, ele finalmente entrou pro esquadrão dos X-Wing celta e se formou como piloto de um pseudo-pterodáctilo-vermelho para ficar batendo asinhas céu a fora, ao infinito e alem!
  • Princesa Zelda – Nesse jogo, Zelda não é uma princesa; apenas uma vadia loira burra amiga de infância do Link que fica pagando pau pra ele, tanto que pra isso até entrou pra patrulha de pilotagem só mesmo com a intenção de ficar mais perto do garanhão. Enfim, depois de tantos outros jogos fazendo charminho e cheia de não-me-toques, ela finalmente passa a ter vergonha na cara e dá pro Link (e claro, o garoto que não é bobo nem nada, se aproveita dessa oportunidade).
  • Fi – É a outra putinha do jogo que fica seguindo Link pra todo santo canto que o muleque vai. Fica falando coisas óbvias como "a sua vida está baixa, recomendo pegar corações!!!". Ela é o espírito da lendária espada dos Skywalkers alem de também rouba o lugar de Navi, Tatl e Midna ao ser a ajudante e mentora do garoto em suas aventuras seu treinamento Jedi.

Cquote1.svg Mestre, as baterias do seu Wiimote estão fracas. Cquote2.svg
Fi dando uma de capitã óbvia

Dispensaram um machão bombado e colocaram um gay magrelo como novo vilão (Putz!)
  • Ghirahim – é o vilão emo da história. Depois de terem apostado forte em vilões cafetões, semi-mostruosos, bizzaros, infantis e resultantes de um ritual mal feito de macumba, a Nintendo resolveu apostar forte em vilões bichonas passivas completamente assumidas que estão mais interessados em serem a nova capa da revista Capricho do que em dominar o universo, e com Ghirahim não é diferente. Ele é um viadinho magrelo altamente gótico (razão porque ele pinta a franja de branco) que é dono da parte terrena de Hyrule. Fã de RBD e Restart, seu maior sonho é destruir o herói e todos os héteros do universo para em fim estabelecer o seu império emo colorido na terra (aloka!). Algumas lendas falam que agora ele é o Vaati.
  • The Imprisoned - The Imprisoned (ou O Prisioneiro) é um Vulpimancer nativo do planeta Vulpin como O Besta que o Link viu do seu sonho comendo a Zelda(literalmente) e que você precisa enfrentar três veses para poder seguir seu caminho e aprender a Canção do Herói. Ele é uma versão alternativa do Demise, o tataratataratataratataratataratataratataratataravô do Ganondorf. A cada batalha que Você tem com ele, ele ganha um novo atributo e/ou nova habilidade como braços,cauda,capacidade de voar e um pênis. Você vai ter que cortar todos para prosseguir Sim, incluindo o Penis
A forma original do Ancestral do Ganondorf
  • Demise - O chefão do Jogo, ele é o cafetão supremo mestre do Ghirahim e o único personagem que na vida passada não tinha o mesmo nome que no presente (Porque a maioria dos gamers não aguentam mais oGanondorf). quando Link consegue o Triforce, ele pede para a Deusa que destrua o Demise, então o lugar da estátua da deusa desce até a terra (como a nova Jerusalém no apocalipse) selando e dando um Fatality no Vulpimancer. tudo fica bem até que a bicha emo magricela aparece e toma a Zelda pra reviver o Demise e, DE NOVO, o Link vai atrás dela. Quando ele volta a vida, sua forma humanóide e a batalha épica começa, você nunca irá chegar lá mesmo!

Figurantes Secundários[editar]

A seguir, os noobs de maior insignificância:

  • Groose – um viado metido a besta usuário de esteroides que se diz ser rival de Link. Tenta inutilmente roubar o pássaro rubro do muleque só pra tentar agarrar Zelda (sem nenhum pingo de sucesso). No fim ele até que se supera.
  • Bucha – provável filho de Jó Soares com Quiabo é uma aberração do reino vegetal que lidera a tribo dos quiabos ambulantes chamada Kikwa.
  • Eagus – o primeiro mestre Jedi de Link que lhe deu o seu primeiro sabre de luz com que ele começa toda a suruba.
  • Gaepora – diretor da academia Jedi onde Link estuda e pai da gostosa da Zelda. Futuramente será só mais um animal na vida de Link (literalmente).
  • Faron – dragão aquático fodido que Link tenta manter vivo mandando-o direto pra UTI assim que o encontra.
  • Gorko – goron arqueólogo que cata qualquer lixo que vê pela frente (e o pior é que nem recebe salário mínimo por exercer a profissão de gari).
  • Goddess Hylia – a única deusa dessa joça, já que Farore, Din e Nayru cansaram de ficar vendo Link fazer merda em todo santo jogo.
  • Impa – a última Sheikah que sem ter coisa melhor pra fazer, acaba virando babá (ou namorada) de Zelda. Por ter um caráter e aparência duvidosa, acredita-se que ela na verdade seja um travesti, mas como Link até hoje nunca viu nenhum possível membro preaxo rígido entre as pernas de Impa, essa teoria pode ser descartável... ou não.
The Legend of Zelda: Skyward Sword ganhou o Trofeu Gamístico na categoria Jogo mais plagiador da Nintendo Venceu