The Walking Dead (jogo)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg The Walking Dead (jogo) é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Bomberman está explodindo algumas cidades.


AVISO. Esse artigo contêm spoilers como o fato de que Lily mata Carley no capítulo 3 não importa as decisões que você tome. E que Lee é mordido por um zumbi e morre no final não importa as escolhas que você faça.
Walking Dead
WalkingDead game cover.jpg

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Telltale Games
Publicador
Ano 2012
Gênero Point n' Click
Plataformas PC; Polystation 3,5; Xbox 360
Avaliação 50%
Idade para jogar +17

Cquote1.png Carley will remember that Cquote2.png
Carley quando você a defende numa discussão, antes dela tomar um tiro na testa, não importa o que você faça

The Walking Dead é um joguinho infanto-juvenil, lançado em cinco pedaços para PC, Xbox 360 e PlayStation 3 do gênero Point n' Click (sem mouse) que é reconhecido por ter uma história de múltiplas escolhas que levam a um mesmo destino, apenas com um ou outro detalhe modificado, mas quem morre e quem vive não faz diferença de todo trabalho que você tiver.

História[editar]

Episode 1 – "A New Day"[editar]

O jogo começa mostrando o protagonista Lee, um homem afrodescendente (apesar do nome oriental) que está sendo preso por um velho branco (racismo), quando o mundo a Geórgia começa a entrar no apocalipse zumbi do universo Walking Dead. Nesse momento o jogador é apresentado a um esqueminha tutorial que não vai aumentar em dificuldade em nenhum outro momento.

No decorrer da história Lee entra numa casa e quase é devorado por uma zumbi escrota, quando uma garotinha de 8 anos, Clementine, salva-lhe a vida entregando a ele uma marreta biônica. A partir daí o tiozão irá desenvolver laços pedófilos paternos pela graciosa e fofa garotinha que se tornará sua protegida a partir de então.

Ao encontrar uns personagens aleatórios, Lee e Clementine são levados da cidade até uma fazenda, que obviamente dá merda e pela primeira vez o jogador é colocado num dilema, salvar um garotinho absurdamente retardado que fez merda num trator? Ou salvar um provável amante gay muito gente fina? E então o jogador é apresentado ao frustrante esquema de escolhas do jogo, pois não importa sua escolha, o cara morre e o garotinho vive, porém se você não salvar o garoto o Kenny briga com o Lee e isso afetará mais posteriormente.

Banidos da fazenda, Lee se refugia junto com a família do garotinho retardado já mencionado, e decidem fazer a coisa mais tosca durante um apocalipse zumbi, ir para o centro de uma grande cidade sem motivo algum... e por isso acabam presos numa lojinha de conveniências junto de um novo grupo de filhos da puta de sobreviventes formados por um velho nazista, sua filha (filha da puta), a jornalista gostosa que vai morrer não importa o que você faça, o japinha do seriado e um loiro pançudo que ninguém vai salvar mesmo.

O jogador então é apresentado ao primeiro (e único) puzzle do capítulo, que consiste em ficar pegando itens, conversando, usando esses itens em lugares para pegar novos itens, conversar mais e depois usar os itens até passar de fase.

Episode 2 – "Starved for Help"[editar]

O grupo de refugiados consegue se refugiar e criar uma mini-fortaleza em volta de um motel, mas pela falta de alimentos precisam sair e fazer negócios com um grupo de fazendeiros, uma mulher gorda e seus dois filhos com cara de banana.

Posteriormente, essa fazenda que parece a terra dos teletubbies é na verdade a zona macabra de uma família canibal, que fez como vítima um personagem random criado apenas para este capítulo.

Quando todos são presos num frigorífico macabro esperando a hora de serem abatidos acontece a cena crítica onde o velho Larry sofre um ataque de pancreatite e desmaia, semi-morrendo, Kenny desesperado com a possibilidade de ele transformar-se num zumbi joga um cubo enorme de Mentos, achatando assim a cabeça do pobre velho nazista desmaiado como se fosse um pedação de panqueca, para o desespero de sua filha Lily que a partir de então torna-se uma desequilibrada.

Episode 3 – "Long Road Ahead"[editar]

Graças a um magrelo cagão que estragou toda segurança da barricada do grupo do protagonista, um bando de marginais sem costumes invade o local e começa a escrotizar e badernizar tudo, sem saber que aquele povo estava sem comida e remédios direito para assaltar alguma coisa. Por causa disso o grupo precisa fugir num trailer, porque no universo do Walking Dead existem trailers funcionando em toda parte.

Para os jogadores mais alvoroçados que viam em Lily ou Carley possíveis pares românticos, e passaram dois capítulos inteiros puxando o saco só de uma ou de outra com certeza sofreram traumas nesse capítulo, pois não importa sua ações, Carley levará um tiro na testa de Lily (num ataque de ciúmes dela), e a Lily pira na loucura, rouba o trailer e foge para o infinito sem ser mais mencionada nunca mais.

Lee e o grupo fica então perante um trem abandonado e batido que ninguém até então teve a ideia de usá-lo. Mesmo sem o menor conhecimento de maquinismo Lee e seu agora novo amigão Kenny colocam o trem para funcionar. O filho do cara tomou uma mordida de burrice e agora está se transformando num zumbi e eles param no meio do caminho para sacrificá-lo, após mais uma cena de pura TPM entre Lee e Kenny.

No final um casal totalmente aleatório aparece apenas para repor a bandalheira de personagens já perdidos.

Episode 4 – "Around Every Corner"[editar]

Chegando na cidade de Savannah, a situação não era melhor do que a já esperada: Só zumbi, destruição e alguns personagens novos para substituir aqueles que vão morrendo.

O grupo de Lee encontra uma casa habitada para usar de fortaleza apenas por um moleque desnutrido-zumbi, já deixando para trás um velhote de muito carisma que nem pode acrescentar alguma coisa ao time. Para substituí-lo Lee encontra Molly, uma loirinha trombadinha que tem uma picareta de estimação. Kenny, por algum motivo sem explicação está completamente fissurado pela ideia de pegar um barco e ir para o oceano rumar sem destino.

Apesar da ideia bizarra de se lançar ao oceano sem provisões, sem planos e sem destino, o jogo que se orgulha tanto de oferecer múltiplas opções não oferece a opção óbvia de você negar essa ideia e você se vê obrigado a invadir o quartel general de uns malandros chamados "Crawford" para descolar remédios, uma bateria e diesel.

Crawford eram tipo nazistas que não aceitavam crianças, gays, grávidas, velhos e doentes, todos considerados como raça inferior, mas como seu médico era um vadio que contratava prostitutas e pagava-as com insulina, até uma dessas engravidar e se vingar dele o esfaqueando, aí ele virou um zumbi e foi o fim daquele lugar.

Episode 5 – "No Time Left"[editar]

Por fim eles chegam numa cidade chamada Savannah ou algo assim não lembro; ao chegar perto da cidade se deparam com um caminhão caído (pois como todo jogo sempre tem que ter uma merda no caminho), logo depois de você resolver toda a treta chegam em Savannah e são atacados por zumbis (walkers para os frescos) por causa de uma filha da puta que bate o sino, e o filha da puta do Ben (se você ainda não tivesse matado ele) foge que nem uma bicha deichando clementine sozinha. Depois de fugirem dos zumbis (walkers) eles chegam numa casa (trancada) onde eles tem que encontrar uma entrada; depois de você desenterrar o cachorro, a doida da clementine entra na casa, porém consegue abrir a porta para os outros. Logo após o Lee e o Kenny irão investigar quem tinha tocado a porra do sino. Após encontrarem a mulher lá, acontece umas coisas e depois novamente são atacados por zumbis e Lee decide ir pelo caminho do esgoto. Depois ele encontra um grupo escroto lá só de velho e o filho da puta do velho vai com o Lee. ao chegarem lá na casa acontece umas coisas e depois o filho da puta do velho 'ameaçou' o Lee a clementine ir com o velho. Depois, o Lee vai pra uma sala onde a Clem está e vai conversar com ela e ela fica com raiva (ou triste) com ele. Depois do Lee dormir ele vai procurar a Clementine e não acha ela, até encontrar o boné dela e ele vai para fora para ver se ela estava por pert0. Depois ele encontra o radio dela e quando vai pegar é mordido por um filho da puta punheteiro que da o cú, ai depois acontece umas tretas GRANDES e tal.

Depois de conseguir localizar a clem, Lee vai todo fodão lá pro prédio, após entrar no quarto onde Clem estava ele se depara com outro filho da puta e acontece outras tretas lá e novamente Clem salva o Lee. Depois o Lee e a Clem saem do prédio lá e ai o Lee desmaia e acorda com Clem fazendo uma massagem cardiaca ou algo do tipo. No final o Lee não tem mais forças pra continuar e acaba pedindo para a Clem ou mata-lo ou abandona-lo ambos o Lee morre porém ele da varios conselhos queira afetar em TWD SEASON 2, o final é realmente emocionante não tem como você pelo menos ficar um pouco triste.

Jogabilidade[editar]

Basicamente o jogo consiste em mover um cursor, "clicando" em pegar coisas, usar coisas em outras coisas, conversar muito, conversar mais, pegar coisas e conversar mais ainda, resolver puzzles que sua irmã resolveria e tomar decisões que não influenciarão em nada substancial no resultado da história, que é a morte do Lee.

Personagens[editar]

The Walking Dead Kart, um dos DLC oferecidos.
  • Lee - Protagonista com o mesmo carisma de uma porta, sempre tem decisões mais sensatas a ser tomadas, tipo deixar Duck morrer logo aquele moleque mimado, mas pelo bem do enredo não consegue fazer muita coisa.
  • Clementine - Uma garotinha frágil e sensível que caso morra, o Lee morre - Ele deve ter se apaixonado por ela para sempre morrer quando Clementine morre - em sua jogatina.
  • Kenny - Típico cara bastante idiota e trouxa, é aquele tipo de personagem que não tem o que fazer no jogo e aparece só para "ocupar cenas", pena que não dá para matar ele.
  • Katjaa
  • Duck
  • Carley - A gostosa do grupo que sempre aparece com fogo no rabo para dar pro Lee. Uma pena que essa personagem morre pela vagabunda cuzona Lily no capítulo 3.
  • Doug - Um cara qualquer que ninguém escolhe salvar, uma vez que tem que escolher por ele ou Carley que é a gostosa do grupo e escolha certa de 90% dos jogadores, então não há muito o que se dizer sobre esse cara.
  • Larry - Um velho chato reclamão que passa todos os episódios só reclamando de Lee por ser racista, e por isso ainda bem que ele morre no episódio 2
  • Lily - Uma mulher falsa e bastante escrota, finge ser amiga nos episódios, mas acaba traindo no final levando a van junto. É a "falsificada" do grupo, não importa o que a gente faz, ela sempre vai fugir.
  • Mark - Carinha que aparece do nada no capítulo 2 e ninguém dá comida pra ele por nem conhecê-lo, só serviu para ser vítima de um canibalismo macabro no capítulo 2, e mesmo sem duas pernas se arrasta macabramente pelos corredores da casa da família de canibais.
  • Christa - Uma esposa reclamona que só se importa com a garotinha maravilha, aparece no capítulo 3, passando parte do episódio falando que Lee não sabe cuidar da Clementine. É uma das personagens que desde o começo já sabemos que teria sido melhor jogá-la do trem, pena que não adianta a escolha que faça, ela vai conseguir chegar no trem sendo ou não com fogo no rabo dela.
  • Omid - Bicho inútil que mal aparece já quebra a maldita perna e fica a porra do episódio todo deitado na cama aliciando a clementina a garotinha maravilha, e depois de tanto blá blá blá o caboclo não dura nem 5 minutos na segunda temporada! esse merece um kilo de bosta!
  • Charles
  • Molly A Daiane dos Santos pós-apocalipse que tem um vibrador amarelo mil utilidades e depois de tanta pirueta misturada com morte de zumbi ela desaparece para usar intensamente seu brinquedinho pulando casas.
  • Vernon
  • Brie
  • Stranger