The Witcher

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
The Witcher
The Bitches.png
Logotipo da série, agraciando as personagens femininas da série
Gênero GTA na Idade Média, com monstros
Desenvolvedor CD Projekt RED
Publicador CD Projekt RED
Plataforma de origem OS X
Primeiro lançamento The Witcher 1 (2007)
Último lançamento Thronebreaker: The Witcher Tales (2018)

The Witcher é uma série de jogos de videogame produzidos e criados pela desconhecida CD Projekt RED e inspirado pela "obra literária" - se é que podemos chamar 'fanfic' de "obra literária" - do autor Andrzej Sapkowski, um escritor polaco que não se suicidou. Nestes jogos são narradas as aventuras de Geralt de Rivia, um Witcher (ser com poderes de soltar purpurina, fatiar monstros e acender lanternas no chão) que o jogador deve controlar, mas não necessariamente para engajar em relações sexuais, afinal a conotação sexual e os objetivos sexuais não importam tanto, sendo que na verdade os momentos de sexo constituem apenas uma pequena parte do jogo, de aproximadamente 60% da campanha, enquanto no restante do tempo Geralt está ocupado e envolvido em discussões políticas interessantes e preparando poções com as técnicas de Walter White.

Desenvolvimento[editar]

A série The Witcher, desde o seu primeiro jogo, tem conturbado os autores do jogo, afinal, estes estão sempre muito preocupados com a tensão gerada pela capa do jogo, onde sempre está escrito sob o título "Role-Playing Game", que traduzido para um idioma não-francófono significa "Rolar um Play Gigante", uma denominação que acreditava-se poder atrair mais nerds poloneses, e embora jamais pudessem oferecer realmente um RPG, o jogo foi mesmo assim muito vendido e bem recebido entre os nerds, atraídos pelos peitos e bundas que o jogo oferece em abundância. Apesar do estranho hábito de Geralt de Rivia em gostar de transar sem nunca tirar as calças. Então, apesar de não ser exatamente um RPG, o jogo continuou sendo vendido como tal e nunca ninguémr eclamou.

Jogabilidade[editar]

The Witcher são jogos de RPG, o que quer dizer que o jogador tem total liberdade a reagir de diferentes formas perante os diálogos, e até mesmo decidir em que ordem fazer as missões e muito mais. Os primeiros jogos da série eram lineares, sem graça e desconhecidos, mas o terceiro jogo foi uma grande evolução que resultou em uma espécie de Skyrim com menor variedade de inimigos.

A característica especial da série, todavia, é que ela baseia-se totalmente num jogo popular polonês, o pedra-papel-tesoura. Geralt pode então usar três estilos de combate, ou seja, se o inimigo usa papel Geralt deverá usar a tesoura, se o inimigo usa a tesoura Geralt deverá usar a pedra, e se o inimigo usar a pedra Geralt deverá usar o papel para ganhar.

Recepção[editar]

Tanto o The Witcher 1 quanto o The Witcher 2 foram lançados apenas na Krakozhia (província polonesa famosa, onde Tom Hanks nasceu, a atualmente extinta após invasão da União Soviética) e como cópias ilegais foram distribuídas apenas no Acre, ninguém jamais jogou estes dois primeiros jogos, não sendo possível portanto avaliá-los decentemente. Diversos fanboys de Wither 3 se fazem de "poser' e mentem que jogaram os primeiros jogos, frequentemente elogiando estes jogos anteriores por conter mais nudez, embora haja sites mais adequados para se encontrar nudez... vai entender...

Todavia, o The Witcher 3 foi o grande jogo responsável por tornar a saga conhecida, afinal por 2 anos foi o único jogo não-indie de U$1,99 a ser jogado no PlayStation 4 e o Xbox One, consoles de 1 milhão de reais em barras de ouro que valem mais do que dinheiro (na época do lançamento) então todo mundo jogou, gostem ou não, e claro, para não admitir que desperdiçaram sua grana, todo mundo mentiu que adorou o jogo.

Jogos[editar]

  • The Witcher 1 - Ninguém jogou essa porcaria lançada somente na Krakozhia e no Acre, mas dizem os boatos que o jogo era muito diferente do terceiro, e consistia apenas em comer o máximo de mulheres possíveis e guardar seus respectivos nudes.
  • The Witcher 2: Assassins of Kings - Segundo jogo da série, conhecido por ser uma bela porcaria com gráficos péssimos, sendo uma espécie de Dragon Age II, só que feito inteiramente por estagiários, de tão mal feito.
  • The Witcher 3: Wild Hunt - O único jogo realmente conhecido da série. Um Skyrim piorado de mundo aberto, com muito menos putaria e uma diversidade de mais de 100 inimigos diferentes que podem ser vencidos com "porrada, porrada, passinho pra trás, porrada, porrada, passinho pra trás" (incluindo o último chefão).
v d e h
The Witcher logo.png