Torre de Babel (telenovela)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


A90.jpg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 90's!
Se você NÃO teve infância naquela época, com certeza você está no Facebook ou no Whatsapp neste instante.


Cquote1.png Vem aí Torre de Babel; forte, verdadeira, emocionante! Cquote2.png
Globo sobre Torre de Babel
Cquote1.png Tão forte que afastou os telespectadores, não acostumados a ver no tradicional horário das oito tanta violência Cquote2.png
Nilson Xavier, crítico de televisão, sobre Torre de Babel
Cquote1.png Jamanta não sabe de nada! Cquote2.png
Jamanta sobre qualquer merda que acontecia na novela
Cquote1.png Você sabe o que é ficar 20 ano (sic) na cadeia?! 20 ANO!? Cquote2.png
Clementino sobre o tempo que ficou em cana.
Cquote1.png Por favor, Cláudio, me dá duas verdinhas e uma azulzinha! E me dá também uma riscadinha. Cquote2.png
Dona Diolinda, sendo hipocondríaca pela enésima vez.
Cquote1.png ¿Y quién me va a entregar sus emociones? Cquote2.png
Alejandro Sanz, toda vez que Adriano e Shirley se pegavam na trama.
Cquote1.png Cala a boca, Luzineide! Cquote2.png
Bina mandando Luzineide, muito linguaruda e falastrona por sinal, se calar a cada capítulo

Torre de Babel foi uma das mais fortes e polêmicas novelas das 20 horas da Globo, exibida no lugar de Porra, Amor! e substituída por Suave Veneno. Escrita por Silvio de Abreu, trouxe aos telespectadores agradáveis cenas de assassinatos, lesbianismo e uso de drogas em seus primeiros capítulos; em 2015, Gilberto Braga repetiria em Fracassônia a mesma fórmula para atrair o público.

Sinopse[editar]

Sampa, 1978. Clementino e César Toledo estão festejando a cumeeira, quando a última laje é colocada (bem coisa de pobre mesmo). Até aí, nada de mais, até que Clementino pega sua mulher fornicando com um dos peões da obra e, tomado pela ira, apanha uma pá e desfere vários golpes na adúltera e no amante e os empala nas vigas da construção. César, ao presenciar o sangrento assassinato, chama a polícia e Clementino é sentenciado a vinte anos em regime fechado, só que passados os 20 anos (1998, no caso), a pena de Clementino expirou, pois ele se tornou ainda mais agressivo e violento na prisão, tramando contra seu antigo chefe (para quem pensava ainda que cadeia no Brasil reforma o cidadão). Clementino descobre que César erigiu, na Avenida Paulista, o Tropical Towers (calma que eu já chego lá), e tomado pelo ódio, Clementino quer destruir o shopping, mas ele quer fazer isso na calada da noite, na surdina, sem causar mortes. É aí que entra o advogado Alexandre, que quer libertar Clementino, pois sua pena na cadeia já venceu (sim, isso existe).

Clementino sai de lá e vai para um ferro-velho, onde mora uma filha dele, a Sandrinha, responsável por incriminá-lo, e a manquinha Shirley, além do dono casca-grossa do local, Agenor, e dos tios de Shirley, Gustinho e Boneca (huuuummmmmm...). Há ainda a mansão dos Toledo, onde vivem César e Marta, junto com a agregada Clara, que Clementino começa a catar no decorrer da trama, e seus filhos pequenos.

Confira todo o elenco principal a seguir:

Elenco[editar]

  • Tony Ramos é José Clementino - o cara que vai parar na cadeia por matar a mulher e o amante e que quer destruir o Tropical Towers, sai de lá amargurado e ressentido, ainda querendo se vingar de César Toledo, mas vai abrandando ao conhecer Clara;
  • Maitê Proença é Clara - agregada na mansão do Toledo, se apaixona por Clementino, briga com ele na metade da trama mas depois os dois voltam a se entender;
  • Tarcísio Meira é César Toledo - dono do Tropical Towers e quem engaiolou Clementino. É um empresário milionário;
  • Glória Menezes é Marta - mulher de César. Só;
  • Letícia Sabatella é Celeste - ex-puta que dançava em boates em Ponta Porã, e que surge na vida de Henrique;
  • Edson Telefone Celulari é Henrique - um dos filhos de César e Marta, muito galinha e mulherengo;
  • Marcos Palmeiras é Alexandre - advogado que tira Clementino da Cadeia. Cata Sandrinha na trama;
  • Marcello Anthony é Alexandre - o filho caçula dos Toledo, drogado que morre na explosão do Tropical Towers (já chego lá...);
  • Cláudia Raia é Ângela Vidal - a grande vilã da novela, uma psicopata que esteve envolvida na explosão do shopping. Fará de tudo para separar Henrique de Celeste;
  • Oscar Magrini é Gustinho - um dos tios de Shirley, a manca, que tem sonho de ser cantor de sertanejo romântico sob o pseudônimo de Johnny Percebe. Gosta de falar tudo terminando em "percebe", percebe?;
  • Ernani Moraes é Boneca - não sabemos se ele assumiu ou não, mas ele tem esse nome muito masculino porque na verdade ninguém sabe como se chama, então todos o chamam assim mesmo... boneca!;
  • Adriana Esteves é Sandrinha - filha mau-caráter de Clementino. Foi ela quem explodiu o Tropical Towers. Odeia o pai, que a odeia de volta, e os dois têm sempre essa péssima relação;
  • Victor Fasano é Edmundo Falcão - o filho animal de Diolinda, e só tem olhos para o trabalho. Vive de mau humor;
  • Karina Barum é Shirley, a manca - manca porque tem um defeito na perna que a faz ser coxa. Se apaixona por Adriano e acredita na inocência do tio, Clementino;
  • Cláudia Jimenez é Bina Colombo - funcionária do Tropical Towers muito despachada e divertida. Se oferece para Edmundo (e olha que o que não falta ali é carne), que como sempre a menospreza
  • Cacá Carvalho é Jamanta - o retardado da novela que sempre diz tudo começando com seu nome;
  • Juca de Oliveira é Agenor - dono casca de ferida do ferro-velho, morre na explosão do shopping, só que não;
  • Natália do Valle é Lúcia Praga Prado - advogada, um antigo casinho de César, para quem acaba se dando;
  • Sílvia Pfeiffer é Leila - sapatona que trabalha no Tropical Towers, onde morreu. Volta momentos depois como Leda Sampaio, sem nenhuma homossexualidade;
  • Christiane Torrone é Rafaela Katz - estilista, outra fancha que pegava Leila na novela;
  • Danton Mello é Adriano - cara que come Shirley na novela;
  • Eliana Costa é Luzineide - fala tanto na novela que Bina sempre lembra de mandá-la calar a boca a novela toda. É ela quem revela Sandrinha como a criminpsa responsável pela explosão do shopping;
  • Isadora Ribeiro é Vilma - primeira mulher de Henrique, que a troca por Celeste;
  • Cleyde Yáconis é Diolinda - mãe de Edmundo, que sempre toma uns M&M's que chama de remédios quando acha que está se sentindo mal.

A explosão do Tropical Towers[editar]

Como a novela estava dando uma audiência muito baixa para a época (40 pontos, quando a média era de 55), Silvio de Abreu aplicou algumas alterações para conquistar público; uma delas foi providenciar a explosão do Tropical Towers, o shopping da novela, matando três personagens que o pessoal não gostou, o zé-droguinha Guilherme e as sapatas Rafaela e Leila. Rumores dizem que Agenor também foi vitimado, mas não ocorreu.

Final da trama[editar]

Durante uma festa na mansão dos Toledo, Luzineide revela que foi Sandrinha quem explodiu o shopping para incriminar Clementino, pois nunca gostou dela; Alexandre se separa dela e fica com Lúcia e Clementino é inocentado e fica com Clara. Gustinho vira um jogador de futebol de prestígio e Boneca vira cantor, após Xuxa descobrir que Boneca dublava Gustinho nos palcos, pois o mesmo se achava muito feio para aparecer (mais ou menos como Milli Vanilli), Ângela se joga do alto do Maksoud Plaza após tentar matar o filho de Henrique e Celeste e morre e o Tropical Towers II é inaugurado, mas tudo pode acontecer novamente...

Trilha sonora[editar]

Torre de Babel foi a primeira telenovela do horário nobre a ter toda a sua trilha sonora lançada somente em CD; anteriormente, Por Amor lançou a nacional em CD e K7 e a internacional apenas em CD, e A Indomada por sua vez teve o volume 1 lançado também em longplay. A nacional foi lançada em junho de 1998, e a internacional em outubro.

Nacional[editar]

Capa: Cláudia Raia

  1. Te Amo - José Augusto (tema de Shirley e Adriano)
  2. Loca (Crazy) - Simone (tema de Celeste)
  3. Felicidade, Que Saudade de Você - Zezé di Camargo & Luciano (tema de Johnny Percebe)
  4. Eternamente - Fafá de Belém (tema de Marta)
  5. SNS (Só no Sapatinho) - Grupo Só no Sapatinho (tema de Sandrinha)
  6. Quase Fui Lhe Procurar - Luiz Melodia (tema de Ângela)
  7. Muito Mais - Roupa Nova (tema de Alexandre e Sandrinha)
  8. Vambora - Adriana Calcanhotto (tema das duas sapatas)
  9. Onde Foi Que eu Errei? - Fat Family (tema de Bina)
  10. Toda Vez - Zélia Duncan (tema de Edmundo)
  11. Telefone - Nara Leão (tema dele com Ângela)
  12. Urubu Malandro (instrumental) - Paulo Moura e os Batutas (tema de Henrique e Vilma)
  13. Moda de Sangue - Elis Regina (tema de Clementino e Clara)
  14. Pra Você - Gal Costa (tema de abertura)

Internacional[editar]

Capa: Edson Celulari

  1. Immortality - Céline Dion e Bee Gees (tema de César e Marta)
  2. All my Life - K-CI & Jojo (tema de Edmundo e Bina)
  3. You Were There - Eric Clapton (tema de Ângela)
  4. High - Lighthouse Family (tema do barzinho do ferro-velho)
  5. Con te Partirò (Time to Say Goodbye) - Andrea Bocelli (tema de Alexandre e Lúcia)
  6. Adia - Sarah McLachlan
  7. Lady - Lionel Richie (tema de Celeste)
  8. The Air That I Breathe - Simply Red (tema do barzinho do ferro-velho)
  9. Be Alone no More - Another Level
  10. Zoot Suit Riot - Cherry Poppin' Daddies (tema de Gustinho)
  11. Por Arriba, Por Abajo - Ricky Martin (tema de Dino)
  12. I Want You to Want Me - D-Soul (tema do barzinho, de novo)
  13. Ho Fatto un Sogno - Antonello Venditti (tema de Sandrinha e Alexandre)
  14. The One I Gave my Heart To - Mya Hill
  15. Corazón Partío - Alejandro Sanz (tema de Shirley e Adriano)
  16. Háblame Luna - All Jam (nunca tocou na novela)

Tema de abertura[editar]

  • Pra Você/GAL COSTA

Compositor: Silvio César

Pra você eu guardei
Um amor infinito
Pra você procurei
O lugar mais bonito
Pra você eu sonhei
O meu sonho de paz
Pra você me guardei
Demais, demais

Se você não voltar
O que faço da vida?
Não sei mais procurar
A alegria perdida
Eu nem sei bem por quê
Fui gostar tanto assim
Ah, se eu fosse você
Eu voltava pra mim…

Curiosidades[editar]

  • A explosão do Tropical Towers foi apenas uma das mudanças aplicadas em Torre de Babel para angariar público; houve ainda a mudança da abertura da novela e seu tema musical, que era um instrumental de Alberto Rosenblit (produtor musical) e passou a ser uma música de Gal Costa;
  • Rapidamente se tornou um grande sucesso. Até hoje a música "Só no Sapatinho" é lembrada como

tema da Sandrinha, enquanto que "Corazón Partío" é associada a Shirley e Adriano;

  • Danton Mello, que vivia um dos comedores de Shirley, se machucou feio na vida real, enquanto gravava o Globo Ecologia, por isso ela teve de catar outro nesse ínterim.

Ver também:[editar]