Trespasser

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Trespasser é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, um tarado gasta centenas de reais para comprar cubos para Azur Lane

Peitos & Dinossauros
Trespasser cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Dream Works
Publicador Electronic Arts
Ano 1998
Gênero Totally Reliable Delivery Service misturado com Surgeon Simulator no mundo do ARK: Survival Evolved
Plataformas PC velho
Avaliação -0/10
Idade para jogar Livre

Trespasser é um desses jogos horrorosos que entra para a história dos videogames por ser tão maldito de ruim, um jogo tão amador e deplorável que se torna algo da categoria dos jogos lendários. Lançado em 1998, é um jogo totalmente bugado, lagado, glitchado, cagado, cuspido, injogável, escarrado e visivelmente feito nas coxas que teoricamente teria algo a ver com o filme Jurassic Park II mas que na prática é apenas um Turok que pegou câncer no cu de modo que as pregas anais inflaram impedindo que as fezes saíssem que uma vez acumuladas no trato intestinal começaram a sair por todos os poros e demais orifícios transformando o cartucho do Turoko num bolo fecal de triceratops.

Desenvolvimento[editar]

Trespasser visivelmente é um rascunho de jogo feito por pivetes estagiários e inexperientes num trabalho de conclusão de curso à distância de modelação 3D. Eles não sabiam o que estavam fazendo, esses desenvolvedores só sabiam que John Hammond (coitado, um senhorzinho e nem sabia onde estava se metendo) autorizou o uso de sua voz nesse jogo e por isso ele é uma espécie de fantasma invisível que aleatoriamente surge falando.

O que se sabe é que os desenvolvedores dessa porcaria ficaram com tanta vergonha de sua obra que nem deram o nome "Jurassic Park", colocaram apenas o logo miudinho quase imperceptível de Jurassic Park na capa, e adotaram o nome "Trespasser", uma alusão à uma piada interna que dizia "-se eu trepasse- com minha irmã não seria mais feio que esse jogo".

Jogabilidade[editar]

Peitos e dinossauro. Uma definição certeira do que é esse jogo.

O jogo parece um ARK: Survival Evolved, mas com câncer terminal e sem nenhuma das partes divertidas. A personagem principal, aliás, devido a um grave acidente perdeu um dos braços e o braço restante é tão impreciso que inspirou Surgeon Simulator. Na verdade dá para precisamente resumir esses jogo em apenas três palavras: peitos, dinossauros e glitches.

O principal obstáculo do jogador enquanto tenta entender para onde foi os ossos de seu braço molenga é caminhar por uma ilha e desviar do máximo de glitches possíveis, o que inclui cenários trêmulos, árvores flutuantes e dinossauros bêbados.

Ao longo de sua jornada o jogador terá dinossauros como inimigos, e os inimigos são velociraptors, velociraptors vermelhos, velociraptors amarelos e o último chefão é um velociraptors gigante. Os demais dinossauros como o estegossauro e o braquiossauro se comportam como cenário. E se você quer saber sobre o aterrorizante tiranossauro, ele está no jogo, mas ao contrário do que os paleontólogos acreditavam ele não é nenhum assassino predador sanguinário mas apenas um dinossauro bêbado que fica capotando por aí.

E sim, o jogo até tem lá seus puzzles, mas o desafio mental desse jogo é conseguir usar a porra do braço do personagem enquanto se sente num Totally Reliable Delivery Service em primeira pessoa.

Enredo[editar]

Um jogo precário desses óbvio que não tem história, ele é basicamente sobre uma peituda cujo avião da GOL caiu no Acre. No acidente aéreo a mulher teve o braço esquerdo decapitado e o braço direito desossado o que a fez perder toda a firmeza necessária para carregar objetos, por isso pegar uma simples pistola tornou-se uma tarefa hercúlea.

Perdida no Acre, a protagonista, uma mulher incapaz de enxergar os próprios pés porque seus seios cobrem a visão, começa a andar a esmo na floresta e coletar keycards largados em locais extremamente aleatórios enquanto eventualmente é atacada por dinossauros, animais os quais ela deve surrar com uma maça medieval, isso mesmo.

No final, após uns velociraptors se suicidarem, a tal mulher consegue pegar um helicóptero da FAB e fugir da região para nunca mais voltar.

v d e h
Jurassic Park logo.png