Tribuna do Paraná

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.


Cquote1.svg Matou, picou e fez estrogonofe. Cquote2.svg
Manchete típica da Tribuna do Paraná

Cquote1.svg Se apertar o jornal, sai sangue. Cquote2.svg
Propriedades mágicas de um exemplar da Tribuna

Cquote1.svg Travesti Vanessão Ji-Paraná faz massagens com maestria e mais outras coisas também. Cquote2.svg
Classificados da Tribuna

Primeira página dos Classificados da Tribuna do Paraná.

A Tribuna do Paraná é um jornal muito profundo que circula no Paraná (O RLY?). Conhecido mundialmente pelas manchetes fantásticas sobre a criminalidade paranaense e pelos anúncios de prostituição massagens profissionais nos classificados.

História do Jornal[editar]

Uma típica primeira página da Tribuna do Paraná.

Nos idos de 1900 e guaraná com rolha, a Tribuna do Paraná foi fundada por Luiz Carlos Alborghetti, um eminente repórter que desde sempre está preocupado em trazer aos lares paranaenses a verdade sobre a bandidagem e as mortes. Dizem que, no sexto dia, Deus criou o Atletiba para o mundo ter mais emoções e logo depois pegou o embalo e resolveu também criar os vileiros e bandidos, porque um mundo paradisíaco não tem nenhuma graça. Um dos primeiros jornais criados pela humanidade se chamava Tribuna Romana, editada por Cícero, e suas manchetes mais famosas e que entraram para a história foram:

Cquote1.svg Cinquenta e sete facadas!! O general Júlio César chegava para o trabalho no Senado e foi abordado pelos bandidos. Reagiu, tomou 57 estocadas e já Elvis. Cquote2.svg
Manchete da Tribuna Romana em 44 a.C.

Cquote1.svg Rebelião de escravos botando pra quebrar em Roma. O sistema prisonal romano faliu de vez e os escravos aproveitaram pra fugir e tocar o terror na cidade de Roma. Um tal de Spartacus diz ser o chefe dos meliantes. Cquote2.svg
Tribuna sobre Spartacus

Cquote1.svg Deu a louca no imperador!! Nero tacou fogo em Roma e diz que a culpa é dos cristãos, conhecidos por tocarem a desordem no Império. Cquote2.svg
Tribuna sobre Nero

Matérias da Tribuna[editar]

Atlético de quatro para a Tribuna.

A Tribuna é sempre bem criativa em suas matérias, em especial as que aparecem na primeira página. Além de levar aos olhos paranaenses as realidades da periferia de Curitiba (aka. a bandidagem) em 92% das manchetes e 194% das edições, a Tribuna mantém o povo devidamente informado acerca do futebol do Paraná, ou seja, sempre anunciando as merdas dos resultados do Coritiba, do Atlético e do Paraná Clube, detalhando cada derrota em casa que os clubes curitibocas sofrem semanalmente. Alborghetti, o dono do jornal, até costuma dizer que o futebol do Paraná consegue ser pior do que as praias do estado, que já são uma merda e obrigam as pessoas a tirar a merda da frente para poder mergulhar.

Outros temas menos explorados pelo jornal consistem em narrar os frequentes acidentes de trânsito em Curitiba, porque o trânsito curitiboca está igual ao futebol do Paraná, principalmente no final da tarde. Se você pega Biarticulado ou Inter 2 todo dia, tem grandes chances de sair na Tribuna mais cedo ou mais tarde, seja por morte pela porta mágica do ligeirinho ou mesmo pela bala dos bandidos, nos únicos ônibus em que se é assaltado duas vezes por dia (o primeiro assalto acontece ao pagar a passagem de R$2,50).

Edição especial dos domingos.


Os temas policiais são por excelência o ponto forte da Tribuna, afinal é de sangue que o povão gosta de ver, além de ver bunda na televisão (mas na Tribuna também tem bunda, é só olhar os classificados). Não raro, as manchetes mostram quadrilhas de traficantes indo ver o sol nascer quadrado ou parar no bico do corvo. Tenha muito cuidado ao comprar a sua pedrinha, porque se não pagar, você aparece na Tribuna junto com os seus credores, e não será para relatar apenas o calote, mas mais precisamente os balaços na cabeça decorrentes do fato.

Cquote1.svg 1, 2, 3; 1, 2, 3; 3 traficantes tomaram pipoco nas Mercês. Cquote2.svg
Exemplo de manchete sobre o tráfico de drogas em Curitiba

Classificados[editar]

É isso que o povo quer ver. E nem chegamos nos classificados.

Cquote1.svg Você quis dizer: Putaria Cquote2.svg
Google sobre Classificados da Tribuna do Paraná

A seção de classificados da Tribuna do Paraná é notoriamente reconhecida pelos grandiosos serviços prestados à população masculina do Paraná. Nada menos do que 69% dos classificados são reservados a anúncios de massagistas profissionais que oferecem os melhores serviços de massagem e mais coisas junto. Provavelmente o povo paranaense é fanático por massagens, ou então aquilo lá mudou de nome na Tribuna.

Em conjunto com os mestres do marketing que ativamente atuam nos telefones públicos do centro de Curitiba, a Tribuna do Paraná ajuda a estimular um promissor mercado que por sinal é o mais antigo do mundo. E entre outras coisas, é um passo a frente para fomentar o desenvolvimento do turismo sexual na capital paranaense, com seus curitibocas que nunca cumprimentam ninguém na rua. A Tribuna quem sabe um dia acabará com esta má fama que assola os habitantes da cidade ao mostrar o que há de mais belo em Curitiba.

Outro fato comum nos anúncios é que todas as "massagistas" estão na casa dos 18 aos 22 anos, mesmo após quinze anos de anúncio dessas "moças" nos classificados do jornal, além de serem normalmente "sapecas", "carinhosas" e "iniciantes", isso quando não são "catarinenses", como indica metade deste tipo de anúncios.

Famosas manchetes da Tribuna do Paraná[editar]

Essa manchete reúne tudo o que um leitor da Tribuna gosta: Mulher pelada na Playboy e assalto com morte.

Cquote1.svg Matou, picou e fez estrogonofe. O cara ficou de saco cheio da mulher e resolveu passar a faca. Pra não desperdiçar tanta carne e economizar no supermercado, picou e fez estrogonofe. Cquote2.svg
Tribuna do Paraná sobre uma das manchetes do Chapa Quente

Cquote1.svg Foi comprar pipoca e levou pipoco. O rapaz só queria comprar um saquinho de pipoca no Parque Barigui, mas os assaltantes apareceram e lhe meteram pipoco. Cquote2.svg
Tribuna sobre assalto no parque

Cquote1.svg Botou fogo na casa da sogra. O cara foi visitar a sogra sem ser obrigado pela mulher, o que por si só a mulher do cara já estranhou. Chegando lá, o sujeito fez o que muitos têm vontade de fazer mas nunca tiveram a coragem: Isso mesmo, ele pegou e tacou fogo na casa da velha. O problema é que ela não estava dentro de casa e logo em seguida o genro piromaníaco foi ver o sol nascer quadrado. Cquote2.svg
Tribuna sobre incêndios criminosos

Cquote1.svg Matou a namorada por causa do RPG. O sujeito apostou a namorada numa partida de RPG e depois lhe meteu trinta facadas por ter perdido o jogo. Quem mandou o cara fazer ficha de Bardo num duelo PvP? Além de bandido e assassino, o vagabundo é um belo de um imbecil ainda por cima. Cquote2.svg
Tribuna sobre mortes em jogos de RPG

Cquote1.svg Entraram atirando no evento de anime. Um grupo de sujeitos vestidos com roupas coloridas chegou no evento de anime do Largo da Ordem e eles começaram a atirar na multidão com armas laser. Um outro grupo, formado por homens com bandanas azuis, provavelmente uma gangue rival, reagiu atirando kunais e lançando um tipo de praga sobre os outros meliantes. Vinte mortes já foram contadas pela Polícia. Cquote2.svg
Tribuna sobre eventos de anime

Cquote1.svg O pau comeu solto na Vila Pinto. Aconteceu o maior quebra-pau dentro da Vila Pinto, quando comerciantes locais decidiram fazer uma liquidação de seus produtos. Foi só os caras anunciarem os preços baixos que a pobralhada de lá foi correndo para a liquidação e fizeram a maior algazarra para conseguir agarrar o que tinha lá. Tiveram que chamar a Polícia para segurar toda aquela multidão de pobres. Cquote2.svg
Tribuna sobre tumultos em liquidações

Cquote1.svg Desmantelada quadrilha de traficantes de Mupy. Hoje a Polícia prendeu uma quadrilha especializada no tráfico de Mupy, uma bebida entorpecente muito consumida em festas otakus. Os caras pegavam a droga, vinda da China, na fronteira com o Paraguai e iam revender em São Paulo, onde acontecem os tais bailes. Os traficantes tentaram esconder o carregamento de Mupy num caminhão de Diabo Verde. Cquote2.svg
Tribuna sobre tráfico de Mupy

Um menor vítima da dependência química.

Cquote1.svg Bebedeira de bebês em creche. O flagrante policial ocorreu na Escolinha Acarajé Feliz, onde foram encontrados bebês de 1 a 2 anos de idade consumindo bebidas alcoólicas. Os moleques eram deixados junto com o estoque de pinga do diretor da creche e ninguém fazia nada para impedir a bebedeira dos bebês. Segundo um dos pequenos alunos da escolinha, foi o cãozinho do zelador que botou a manguaça para eles beberem. Cquote2.svg
Tribuna sobre consumo de álcool entre menores

Cquote1.svg Matou trinta emos na Galeria do Rock. Direto de São Paulo: Foi parar no xilindró o cara que matou nada menos que 30 emos na Galeria do Rock em São Paulo. O assassino parecia estar possuído pelo Exu Caveira quando foi pego com um fuzil AR-15 e um revólver Desert Eagle. Ele dizia que os emos têm que ir tudo para a Terra do Sete Barbas e que o Deus Metal lhe deu a missão de matar os emos. Não que os emos sejam grande perda, mas bandido tem que ir pra trás das grades. Cquote2.svg
Tribuna sobre matador de emos

Cquote1.svg Foi preso usando calcinha e sutiã na Rua XV. Um homem, biologicamente falando, foi preso hoje no centro de Curitiba usando calcinha e sutiã e berrando que nem uma bicha louca. Assustados, os pedestres chamaram a Polícia para conter a tresloucada, que só se acalmou depois que um policial negão lhe agarrou para poder colocar as algemas. Cquote2.svg
Tribuna sobre bichas loucas

Cquote1.svg Matou e jogou na valeta. O rapaz comprou a pedrinha dele, não pagou e por isso os traficantes foram até sua casa e meteram 42 balaços. Para se livrar do presunto, os bandidos pegaram e jogaram na valeta que passa ao lado da Favela Vila Zumbi. Cquote2.svg
Tribuna sobre dívidas de drogas

Cquote1.svg Cheirou o gatinho e apertou o gatilho. Um homem se suicidou hoje de manhã na periferia de Curitiba com um tiro de Três-Oitão. Segundo as testemunhas, ele tinha dez gatos em casa e costumava cheirá-los com frequência, tendo constantes alucinações por isso. Em uma desses viagens, o cara apertou o gatilho na própria cara e foi pro beleléu. Cquote2.svg
Tribuna sobre suicídios

Cquote1.svg Chutou a macumba e levou balaço. Estava o sujeito passando pela encruzilhada quando, segundo testemunhas, chutou uma macumba que estava ali oferecida aos encostos. Logo depois disso, a Polícia se meteu num tiroteio com bandidos e o cara levou uma bala perdida. Dizem que foi o encosto. Cquote2.svg
Tribuna sobre macumba

Galeria da Tribuna[editar]

Ver também[editar]