Truísmo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Chewbacca.PNG ANIMAAAAAAAL!!!

Este artigo trata de algum animal, ou alguém que pareça um animal, ou alguém com nome de animal, ou alguma bosta que te faz se sentir um animal, ou ainda um ANIMAL. Não cheire gatinhos!


Cquote1.png Isso é ridículo... Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Truísmo
Cquote1.png Venha, Luke, para o Lado Negro da Força... Cquote2.png
Darth Vader sobre Truísmo
Cquote1.png Olha a faca!!!! Cquote2.png
Tr00 sobre Poser
Cquote1.png Me amarro no Corpse Paint dessa horda. Cquote2.png
Tr00 sobre Twisted Sister

Trues primitivos comprovam que, embora não tenham inventado a roda, inventaram a queimação de rodas.

Truísmo é uma doença degenerativa, semelhante ao Mal de Alzheimer, que ataca principalmente pessoas com alta deficiência intelectual (vulgo “retardadas”).

Definição[editar]

Consiste na atrofiação, gradual e crônica, de todos os neurônios, além de uma diminuição efetiva no campo de visão, entre outros sintomas. Se não for tratada, pode levar inclusive à morte. Sua incidência entre a população de fãs de Heavy Metal é particularmente alta, mas pode também ser encontrada em outros tipos de pessoas, em ocasiões mais raras.

História[editar]

O primeiro contato da humanidade com o truísmo se deu, segundo paleontólogos, há milhões de anos atrás.

Os cientistas presumem, considerado um fóssil encontrado na região de Neander, que determinadas pessoas se afastaram voluntariamente do convívio civilizado, preferindo se reunir em tribos rústicas que tinham como hábito se comunicar através de grunhidos e atacar outras “tribos” que dela se aproximassem ou que com ela não se assemelhassem. À princípio, conjecturou-se tratar do ancestral comum entre o homem e o macaco, mas logo essa hipótese foi descartada; na realidade, o Homem de Neanderthal, como ficou conhecido, já era o Homo Sapiens, o que deslocou o rumo das investigações sobre seus costumes da arqueologia para a neurologia.

True Norwegian Black Metaller

Tipologia[editar]

Os trues dividem-se tradicionalmente em:

  • Tr00 Trues - Também conhecidos como Old Trues. São os metaleiros mais antigos, que gostavam de falar de espadas e outros objetos fálicos. Consideram-se os maiores divulgadores do Metal, o que, sem dúvida, é verdade; quem não se lembra dos clipes do Manowar -inesquecíveis?
  • Tr00 Bestas - Denominação genérica da categoria como um todo.
  • Tr00 Norwegian Black Meta(mal)llers - Os piores de todos os trues. Querem que todos tenham preservada sua individualidade de pensamento, desde que concordem ipsis literis com o que o Deus Metal achar de qualquer coisa (Oráculo do Senhor Capeta) -muito sensato.

Sintomas[editar]

Em ordem crescente de degeneração, estes são os sintomas da doença, divididos entre fases:

  • Fase Reversível da Doença
Típico grupo de trues, perseguindo provavelmente uma boy band.
  1. Super-crescimento do coro capilar: não se sabe bem o porquê, mas verifica-se, em indivíduos true, um aumento na taxa das enzimas responsáveis pela produção de cabelo, bem como uma aversão peculiar aos hábitos higiênicos reservados a essa parte do corpo.
  2. Bangeamento: trata-se de um cacoete típico do indivíduo true e consiste em movimentos rápidos com a cabeça no sentido de um pêndulo ao contrário. Alguns cientistas estudam se semelhante comportamento não será o responsável pela liquefação cerebral total (sintoma que veremos adiante).
  3. Atrofiamento dos músculos responsáveis pelo riso: aqui, o indivíduo true não sente mais alegria. Ou não gosta mais de sentir alegria. Não há um consenso entre os especialistas sobre a causa psicológica do sintoma; mas, sobre se tratar do início da fase degenerativa do cérebro, parece não pairar dúvida.


  • Fase Irreversível da Doença
  1. Maculação de tecido exocorpóreo: as roupas do indivíduo true, nesse estágio da doença, ficam, sem exceção, pretas e encardidas. Mesmo que esteja fazendo um sol escaldante, o indivíduo true sempre vai sair de roupa preta para a rua. Mais um indício de degeneração cerebral.
  2. Diminuição da perspectiva sensorial: verifica-se uma diminuição drástica na capacidade do indivíduo de enxergar dois palmos além, bem como na capacidade de escutar aos outros.
  3. Diminuição da perspectiva social: verifica-se uma redução de relacionamentos. O indivíduo true simplesmente se recusa a conviver com outros que não sofram de truísmo. Há também quem aponte o preconceito contra os trues, que, de fato, existe e deve ser evitado, embora seja natural que as pessoas evitem o contato com eles, por aversão ao ridículo às doenças contagiosas.
  4. Despigmentação da pele: conhecida nos meios científicos como Vitiligus Norueguensis, é a famosa perda da coloração da pele em substituição de faixas aleatórias e proporcionais de manchas negras pelo rosto, vulgo Corpse Paint. Alguns estudam se essa doença está associada à Vitiligus Jackson, que faz com que os indivíduos gostem de ser sodomizados por menininhos –parece que sim.
  5. Satanismo, Vociferismo, Sodomia, Queimação de Igrejas e outas queimações de rosca filme: consiste na prática de ações que vão mais radicalmente contra o conservadorismo e, segundo os true, da hipocrisia das sociedades ocidentais. Atos como a viadagem generalizada, o vandalismo, a substituição da comunicação inteligível e outras barbaridades que tais se tornam extremamente comuns.
  6. Liquefação Cerebral Total: nessa fase, qualquer porcaria ininteligível que o doente ouça sob o rótulo de Bréqui Metal é considerada melhor do que qualquer sinfonia de Beethoven. Ou seja, a destruição dos neurônios (e dos tímpanos) está completa.
  7. Autoempalamento: Aqui o indivíduo simplesmente se joga para a morte, optando por uma morte tradicional de anticristão, ao estilo do Conde Vlad. Alguns trues foram encontrados literalmente esfolados em cima de troncos (afro-descendentes ou não).
Alguns sugerem que o Corpse Paint seja uma reação orgânica à ingestão contínua de sêmen afro-descendente.

Profilaxia e Tratamento[editar]

True incorporando uma entidade nórdica.

Segundo os estudiosos do assunto, há formas de se evitar da doença. Conforme os sanitaristas mais tradicionais, a melhor prevenção a se adotar contra o truísmo é estudar muito, o que significa, em outras palavras, adquirir o mínimo nível de cultura além da alfabetização. Infelizmente, não há método mais fácil para os trues.

Agora, uma vez instalada a doença no cérebro, o método de desintoxicação é inevitavelmente doloroso. Passa-se por uma lavagem cerebral um tratamento musical humanitário, que inclui altas doses de axé, funk e pagode, podendo incluir ainda o sertanejo, dependendo da capacidade de resistência da vítima do enfermo. Esse método é o único desenvolvido por nossa avançada tecnologia hospitalar e resulta na cura total do paciente; mas, infelizmente, os efeitos colaterais existem e incluem uma vida vegetativa e massificada para o resto da existência -embora normal e sadia.

Estilos[editar]

  • Tradicional: o estilo tradicional da doença true engloba a famosa hiper-extensão capilar até o rego, o que ocorre talvez para facilitar a limpeza do ânus de resquícios remanescentes de esperma; isso explicaria também a aparência repugnante de seus cabelos longos. Quanto à roupa, são quase sempre pretas e de couro, incluindo botas toscas e calças jeans ultra-apertadas. Com efeito, essa moda é seguida à risca pelos trues afligidos pela forma tradicional da doença, baseada no estilo dos travestis britânicos ídolos da NWOBHM (New Way Of Baitolice Heavy Mete). Casos: Iron Maiden, Judas Priest, Manowar etc.
  • Thrash/Death: irmãos mais pobres dos tradicionais, esses trues desenvolveram, à princípio, um tipo de doença idêntico ao original, descrito acima, só que de maneira mais ralé. Com o passar do tempo, porém, esse novo tipo da doença adquiriu características próprias. Ao invés de falarem em guerras de espadas entre machos, preferiram se dedicar ao desenvolvimento de suas vocações de dominadores, contando, para quem passar por sua frente, suas histórias sobre orgias cadavéricas e outras boiolagens de coveiro gay. Principalmente entre os deathbangers, desenvolveu-se também uma nova forma de comunicação baseada em grunhidos e vômitos –tudo muito salutar. Casos: Destruction, Morbid Angel, Testament etc.
  • Black: o estilo black se acentuou principalmente entre indivíduos contaminados de origem nórdica. Lá, o truísmo adquiriu características bem específicas, talvez para melhor se adaptar às condições climáticas, que congelaram e atrofiaram o cérebro dos enfermos antes mesmo que o truísmo o pudesse ter feito. Geralmente, os doentes desse tipo são incapazes de tocar qualquer instrumento musical, além de sofrerem uma acentuação nas patologias propriamente viadáticas e mulherzinhas do truísmo, como o gosto pela maquiagem, pelas roupas apertadas, pela sodomia e pelo afro-descendente preto. Casos: Marduk, Gorgoroth, Dark Funeral etc.
  • Melódico: estilo predominante entre nerds jogadores de RPG (Revelando-se Puro Gay). O indivíduo passa a emitir ruídos agudíssimos, semelhantes a um Edson Cordeiro ou a um Freddy Mercury da vida, com o diferencial de que os sonzinhos de acompanhamento, retirados dos sofisticadíssimos jogos do antigo Atari teclados, são ainda mais gays e queimadores de filme do que qualquer outra breguice manifestação “erudita”. Adoram contar historinhas fantásticas, como as que aparecem nos filmes do Senhor dos Anéis, do Harry Potter, da Xuxa e do Didi Mocó. Casos: Rhapsody, Helloween, Blind Guardian etc.
  • New: os new estão majoritariamente localizados nos EUA e sofrem preconceito dos outros estilos, por causa de sua rebeldia e de seu homossexualismo não-enrustido. São os que menos espelham os sintomas do truísmo original, talvez, segundo alguns, por não sofrerem DESSA doença em específico, mas de uma variação menos nociva (ou mais). Desencanaram da sublimação da cor preta e assumiram logo que gostavam de um negrão, tendo sempre um por trás, rapeando, enquanto eles ficam na frente, dando gritando toda vez na primeira voz. Também gostam muito de se misturar com sujeitos de estilos mais gays modernos, como a música eletrônica e a pop. Casos: Korn, Limp Bizkit, Linkin Park etc.

Ver também:[editar]