Uarini

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Essa porra existe? Cquote2.png
Google Maps sobre Uarini
Cquote1.png Uarini é uma cidade que não produz. De dia falta água, e de noite falta luz! Cquote2.png
Capitão óbvio sobre Uarini
Cquote1.png A capital da Farinha!! Cquote2.png
morador retardado sobre Uarini
Cquote1.png Um lugarzinho no meio do nada Cquote2.png
Toquinho sobre Uarini
Cquote1.png É show!! Cquote2.png
Banda Djavú sobre Uarini
Cquote1.png Precisamos preservar o verde Cquote2.png
Marina Silva sobre Uarini
Cquote1.png Nunca ouvi falar. Faz parte da Alemanha? Cquote2.png
Justin Bieber sobre Uarini
Cquote1.png O nosso encino é de CUalidadi! Cquote2.png
professor de Uarini sobre O ensino de Uarini
Cquote1.png Mamãe, ele pegou no meu bilau! Cquote2.png
aluno de Uarini sobre seu professor tarado
Cquote1.png Isso conta como população? Cquote2.png
IBGE sobre Uarini
Cquote1.png Estou linda hoje!! Cquote2.png
Miss Gay Uarini sobre ela mesma
Cquote1.png Já comi Cquote2.png
Alexandre Frota sobre Miss Gay Uarini
Cquote1.png É turista! Cquote2.png
Qualquer um sobre pessoa bonita que estiver em Uarini

Uarini é uma aldeia que se localiza no "meio do mato" do Amazonas, escondido até mesmo do Rio Solimões de onde teoricamente deveria estar em sua margem.

História[editar]

Veículos de transporte urinários.

Tem sua história vinculada à Tefé porque é tão insignificante que ninguém se preocupou em escrever tal besteira, só se sabe que em 1981 o então prefeito de Tefé, o glorioso Armando dá o Reto, desmembrou do território de Tefé tudo o que fosse inútil, entre eles, a cidade de Uarini e outros matagais sem futuro e serventia.

A origem do nome vem de alguma língua indígena qualquer onde "Uarini" significa "Xoxota" ou em alguns casos "Buraco da Bunda". Ganhou esse nome devido a viadagem que vem desde os ancestrais indígenas.

Geografia[editar]

O matagal é tão denso que não dá pra identificar nada, é tudo a mesma mer...

Tudo verde, a Marina Silva nunca se sentiu tão feliz.

O rio que banha Uarini quando não desaparece no tempo da seca deixando-o mais isolado do que nunca, costuma ser bem poluído pelo esgoto, em dia de domingo os pobre gostam de se banhar no meio da merda.

Clima[editar]

Quente e úmido como uma xoxota, o que combina com o significado do nome.

Economia[editar]

A agricultura é a atividade econômica sendo a cultura da mandioca a mais presente, pois a maioria da população se identificou com o formato da mesma. Anualmente celebram o concurso da maior mandioca (uui), da mandioca além de outras coisas também fazem a farinha que serve para encher o bucho para a população não morrer de fome já que essa é única coisa que sabem fazer.

Política[editar]

Para ser prefeito em Uarini basta ser um traficante de renome foragido da Colômbia e finalmente achou um lugar que ninguém consegue achar, nem mesmo no Google. A população é tão inteligente que é capaz de eleger até um poste, então eleger bandidos é moleza. Os prefeitos tem hábito de gastar dinheiro do povo comprando mansões em Manaus, carros luxuoso e até um relógio de 6 mil reais.

População[editar]

Até o último censo do IBGE a população totalizava em 300 habitantes divida entre indígenas, analfabetos, homossexuais e borboletinhas na fase do "casulo".

Educação[editar]

A educação passou longe dessa cidade... Existe um pequeno colégio com vários professores débil mentais que conseguiram seus cargos suando "na cama" com muito esforço. Todos os professores da cidade são sem noção e nem formação, não existindo muitas opções, os professores são geralmente homossexuais que mal sabem escrever o próprio nome que só sabem ensinar os jovenzinhos a desmunhecarem, nas escolas de Uarini o índice de viadagem precoce entre adolescentes nunca foi tão alto, só perde para os boiolinhas de High School Musical.

Lazer[editar]

A única diversão é matar mosquitos transmissores da malária, tomar banho num igarapé horroroso chamado Bóia aonde os maconheiros da cidade vão fumar sua pasta base e visitar a orla da cidade, cheia de cachaceiros drogados, para tomar banho de merda nas águas do rio degradado da margem da aldeia.