Vegaøyan

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.

Cquote1.png Você quis dizer: Vega Cquote2.png
Google sobre Vegaøyan

Vegaøyan é um arquipélago norueguês que corresponde a milhares de ilhotas com densidade demográfica abaixo de -1 pessoa/km², localizado no norte extremo da Europa, ainda no Atlântico, Vegaøyan é um daqueles lugares que ninguém em sã consicência gostaria de ir passar as férias ou mesmo o feriadão do Dia do Nerd.

Ilhotas[editar]

Vega

O arquipélago de Vegaøyan, ou arquipélago de Vega mesmo para diminuir esse nome impronunciável com esse o riscado, é composto por algo em torno de 6500 ilhas, todas grandes o suficiente para caber uma casa de 2m por 2m parecida com aquelas que o Paulo Maluf distribuía para a população de São Paulo na época em que ele imortalizou o estilo político do "Rouba, mas faz".

Desde os mais remotos tempo o arquipélago de Vega é habitado por pessoas que não acharam lugar melhor para viver, essas pessoas vivem da pesca abundante de atuns e sardinhas em lata que a região proporciona e também usam as aves da região para fins eonômicos, o arquipélago de Vega é um exportador de plumas para rechear travesseiros dos milionários europeus e sua prole de pequenos burgueses neoliberaizinhos.

O arquipélago, um conjunto de ilhotas inabitadas.

Tirando isso o arquipélago não apresenta qualquer característica relevante, apenas é um marco da civilização humana, pois para sobreviver naquele local as pessoas sofrem, portanto, o arquipélago é símbolo da superação do Homo sapiens, mesmo não sendo ele lá um bicho muito sábio...

Em 2004, assustados com a presença humana em um local tão isolado a UNESCO nomeou o aruipélago de Vega como um dos milhares de patrimônios mundiais da humanidade, isso por ser um local onde uma sociedade humana apresentou desenvolvimento em simbiose com o meio em que vivia, justificativa essa que 78,59% da população mundial não conseguiu entender sem um dicionário.

Ver também[editar]