William Birkin

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
30970048.jpg >Este artigo é coisa de NERD, portanto, seja bem-vindo._

>Aqui se aborda coisas as quais você pode se interessar, como RPG e computador. Caso você seja um valentão, não leia este artigo!_

Este artigo é sobre um(a) chefão!

Não importa quantos loads e continues você usar e o quão viciado você esteja, ele continua acabando com sua raça!

Rugal.GIF


Cquote1.png Você quis dizer: Herbert West Cquote2.png
Google sobre William Birkin

William Birkin foi um CDF que atuou como virologista para a Umbrella Corporation, famosa empresa criada por Rihanna para transformar pessoas em mutantes mortos-vivos por meio da exposição prolongada a suas músicas. Como é um dos antagonistas clássicos de Resident Evil, ele naturalmente acaba se transformando numa cria do Capeta aberrante e com sede por carne humana sangue.

Infância[editar]

Birkin valida a tese de que a linha entre um nerd antissocial e um megalomaníaco obsessivo é muito tênue.

Birkin era um jovem rapaz negligenciado pelos pais e sem amigos. Seus pais adoravam viajar e cair na farra, e como não queriam nenhuma criança chata tirando seu sossego e lhes enchendo o saco, eles costumavam largar Birkin sozinho em casa, nem se dando ao trabalho de telefonar para alguém vigiá-lo, já que seria dinheiro jogado fora.

Birkin muitas vezes passava dias na base da comida congelada, miojo e nuggets de frango, e foi a partir daí que já começou a demonstrar suas capacidades intelectuais além da média. Sabendo que esse tipo de comida cedo ou tarde acarretaria em algum tipo de câncer sinistro, o jovem William desenvolveu uma poção milagrosa: bateu algumas pastilhas de ômega 3 da Top Therm com chá verde, leite sem lactose e folhas de hortelã num liquidificador.

Por algum motivo muito além de sua compreensão, após beber aquele líquido esquisito ele ganhou imunidade aos efeitos de todo tipo de veneno proveniente da indústria de alimentos. Fascinado com as maravilhas da ciência e após ler alguns capítulos de Dr. Stone em algum site pirata de mangás, Birkin decidiu se empenhar nos livros e tornar-se um pesquisador que mudaria o mundo (coisa que ele de fato veio a fazer posteriormente, mas para pior, é claro).

Ingresso na Umbrella[editar]

Birkin rapidamente se tornou um nerd em sua definição mais clássica: desocupado, sem vida social e com dedicação total a livros que ninguém mais perderia seu tempo lendo. Já com um histórico de produção de substâncias ilícitas que desafiam as leis da biologia, Birkin foi aceito ainda cedo na Umbrella Corporation, já assumindo de cara posições de destaque nos setores de pesquisa e desenvolvimento de agentes biológicos potencialmente fatais a saúde humana.

Lá Birkin conhece Albert Wesker, outro forte candidato para a função de chefe final de pesquisas. Ambos passam a trabalhar numa espécie de centro de treinamento da Umbrella, onde jovens promissores costumavam ser treinados para se tornarem sociopatas megalomaníacos com complexo de Deus. A rivalidade dos dois era constante, e ambos travavam intensas competições para ver quem criava mais mutantes a partir de cobaias humanas, usando vírus ou bactérias de alta periculosidade.

Algum tempo depois Birkin, ao lado de Wesker, chamaram a atenção de James Marcus, um psicopata antissocial que nas horas vagas criava uma fazenda de sanguessugas em seu laboratório. Eles acabam sendo recrutados e indo trabalhar para o maluco, que por coincidência tinha acabado de desenvolver o T-Vírus misturando o vírus Ebola com baba de babuíno e fezes das sanguessugas que criava em casa. Mais tarde Birkin e Wesker acabam se tornando chefes de pesquisa em um laboratório secreto embaixo do Asilo Arkham, contando com nomes de peso como seus assistentes particulares, como o dr. Hugo Strange e Coringa.

Feitos na organização Umbrella[editar]

Bastou um mês de academia, alguns anabolizantes desenvolvidos pela própria Umbrella e um suprimento de Whey Protein para que Birkin virasse um verdadeiro monstro, literalmente.

Durante sua estadia como chefe de pesquisas do Asilo Arkham, Birkin, ao lado de Wesker, alcança a patente de cientista louco, tornando-se um dos líderes a frente do projeto T-Vírus. Com o bioterrorismo em alta, empresas de Hollywood estavam financiando a criação de zumbis para utilização em grandes produções cinematográficas, criando uma grande demanda para Umbrella Corporation. Afinal, mortos-vivos não precisam de salário, dispensam o décimo terceiro, não tiram férias e não incomodam apelando para a legislação trabalhista, o que faz deles os funcionários dos sonhos de todo patrão.

Durante esse período, Birkin é apresentado a horrenda Lisa Trevor, uma pobre coitada que um velho psicopata aprisionou em uma mansão mal-assombrada e começou a usar como cobaia humana. Como a merda já tinha sido feita mesmo, Birkin apenas deu continuidade ao serviço sujo, submetendo Lisa a todo tipo teste biológico. Birkin injetou em Lisa diversos tipos de agentes infecciosos, como os vírus da gripe aviária, gripe suína e da dengue.

Não demorou muito para que Ozwell E. Spencer, um maníaco adorador de Jashin e obcecado pela imortalidade, botasse o olho-gordo nas descobertas de Marcus e mandasse Birkin e Wesker dar cabo do infeliz para roubar sua pesquisa. Como o centro de treinamento da Umbrella tinha sido bem sucedido em transformar Birkin e seu amigo em dois doidos varridos, eles aceitam sem pestanejar, como os bons puxa-sacos que eram.

Num belo e chuvoso dia, após administrar o vírus da AIDS no organismo já alterado de Lisa, Birkin descobre o G-Vírus, o que garante finalmente o direito a um laboratório sombrio em Raccoon City só seu, com direito a uma máquina de café expresso e Wi-Fi. Aquilo veio em um momento muito oportuno, já que Birkin estava tentando se descolar de sua imagem sempre associada a de Wesker, que era muito mais carismático e naturalmente era mais cogitado nas interações sociais.

Alguns tempo antes da descoberta do G-Vírus, Birkin acabara se envolvendo em um relacionamento anti-profissional e nem um pouco ético com uma de suas assistentes, Annette Birkin, que posteriormente deu a luz a Sherry Birkin, uma pobre garotinha que já nasceu predestinada a ser uma eterna figurante. Após o assassinato de James Marcus, Birkin foi uma das mentes diabólicas a trabalhar na criação dos Tyrant, criaturas desenvolvidas ao se misturar o T-Vírus com os genes do Tropeço da Família Addams.

Incidente no Centro de Treinamento[editar]

Birkin é um dos poucos vilões de Resident Evil, além de Wesker, a aparecer em uma fanart, o que prova que as pessoas ao menos ainda lembram do seu nome (ou quase isso).

Algum tempo depois de darem cabo de James Marcus, Birkin e Wesker acabam se lembrando que se esqueceram de esconder o corpo do defunto, o que poderia levantar alguma suspeita dos vizinhos assim que levantasse o cheiro de podridão. Assim, ambos são encarregados de limpar a cena do crime e dar uma disfarçada no local com um desinfetante com cheiro de lavanda.

Quando chegam no lugar não há sinal de mais nada além de umas cobaias e uma sanguessugas assassinas. Enquanto observam Rebecca Chambers e Billy Coen metendo o nariz onde não são chamados, Birkin e Wesker começam a passar por uma crise existencial, acreditando que matar Marcus talvez tenha sido a maior merda que tenham feito, já que poderia acabar rebatendo em suas carreiras no futuro.

No final das contas, Wesker, obviamente mais esperto, decidiu que mandaria Spencer para o raio que o parta e se mandou da Umbrella, já que cedo ou tarde, ia feder pro seu lado. Birkin, por sua vez, tocou o foda-se e decidiu continuar na empresa, ligando a auto-destruição daquela espelunca para limpar todos os rastros de seus crimes no Centro de Treinamento. Birkin ainda não tinha quebrado o recorde de criação de monstros da empresa, na época pertencente a Alexia Ashford, o que pretendia fazer com o seu G-Virus.

Infecção e morte[editar]

Mediante a possível descoberta das ações vilanescas da Umbrella, Birkin ficou encarregado e uma importante tarefa na Umbrella: varrer a sujeira para debaixo do tapete. Dessa forma, ele passou a subornar Brian Irons, um policial corrupto local (que no remake de 2019 foi interpretado por Gilberto Barros) para que ele sabotasse todas as investigações que pudessem ser conduzidas contra a Umbrella, já que dinheiro é sem sombra de dúvidas mais importante que toda a segurança da humanidade.

Birkin, de visual novo, pronto para desfilar e vencer em todas as competições masculinas de beleza (devorando os demais competidores, é claro).

O tempo foi passando, e Birkin se tornava cada dia mais antissocial e perturbado psicologicamente. Devido a suas pesquisas, ele passou a se comportar feito um LOLzeiro, ficando trancafiado em seu recinto o dia inteiro, negligenciando a própria família, deixando de pagar as contas básicas e esquecendo inclusive de tomar banho. Até mesmo a própria Umbrella estava começando a ficar preocupada, e não era incomum que outros empregados da Umbrella arrombassem as portas do laboratório de Birkin às vezes, pensando que ele estava morto, devido ao mal cheiro do lugar.

Birkin acaba desenvolvendo um caso severo de paranoia, e passa a desconfiar que a Umbrella estava conspirando contra ele para tomar posse de seu G-Virus, o que na realidade, não era uma viagem tão absurda assim, dado o histórico da empresa. Mais tarde seus medos tornam-se reais, quando a Umbrella envia seu grupo particular de paus-mandados liderados por Hunk para pegar uma amostra do G-Virus. Assim que se deparam com Birkin, um dos soldados pensa que se tratava de um zumbi, devido ao seu extremo fedor pela falta de banhos, e lhe mete o chumbo.

Chegando a conclusão de que era melhor melhor morrer do que perder a vida, Birkin injeta a si mesmo com uma amostra do G-Virus, se convertendo no próprio Satanás na terra, com uma aparência grotesca e assustadora. Os soldados que não morreram de infarto devido ao medo profundo diante de Birkin são perseguidos pelos esgotos e mortos um a um, com exceção do Hunk, um caso raro de personagem portador do dom do protagonismo mesmo sem ser o protagonista.

Durante a batalha nos esgotos, Birkin acaba derrubando amostras de vírus na água do lugar, que acaba contaminando ratos e se juntando ao agente causador da leptospirose, gerando uma epidemia em massa na cidade de Raccoon City, cuja prefeitura jamais havia investido em saneamento básico e tratamento de água. Birkin então passa seus dias a vagar atrás de hospedeiros compatíveis para gerar novos tipos de aberrações, já que se multiplicava de forma parecida com os xenomorfos dos filmes do Alien.

A partir daí, em bsuca de sua filha Sherry Birkin, Birkin começa a tomar consecutivos couros de Leon Scott Kennedy e Claire Redfield. A cada nova surra, Birkin sofre uma nova mutação, até que se transforma numa massa disforme de tentáculos e dentes semelhante a um grande tumor vivo gigante. Birkin finalmente encontra seu fim em um atentado terrorista conduzido por Bin Laden contra um trem-bala, onde havia entrado sem pagar a passagem atrás de Sherry, Leon e Claire (que deram um jeito de escapar devido ao poder supremo do protagonismo).

Ver também[editar]