Yume Kōjō: Doki Doki Panic

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Yume Kōjō: Doki Doki Panic é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Captain Falcon chega em trigésimo.

Super Mario Imajin jogando uma máscara na cara de Wart e seus asseclas. Hum... eu fiz isso uma vez, mas com um certo encanador aí...

Cquote1.png Você quis dizer: Super Mario Bros. 2 versão original Cquote2.png
Google sobre Yume Kōjō: Doki Doki Panic
Cquote1.png Eu sei não... já vi esse jogo em algum lugar... Cquote2.png
Você sobre Yume Kōjō: Doki Doki Panic

Yume Kōjō: Doki Doki Panic ou somente Doki Doki Panic é um jogo da Nem Intendo feito em 1987 no Japão feito para um NES especial chamado Famicom Disk System, que usava disquetes ao invés dos clássicos cartuchos, mas só teve no Japão mesmo. E com isso esse jogo ficou por lá só. Seria só um jogo besta de nome esquisito que nunca ficaria famoso por porra nenhuma, já que sua história é uma completa bosta, não fosse por um detalhe, detalhe este escondido no próximo encanamento, ops, na próxima seção:

História do jogo[editar]

Sua história é a de quatro amigos que vivem numa espécie de reino imaginário, habitado por seres bizarros como Birdos, Shy Guys, Mousers e outros similares, todos em geral apenas derrotáveis em caso de pegar eles na cabeça e jogar um contra o outro. Ou então jogando cogumelos ou verduras na boca das criaturas, que odeiam esses alimentos. No final do jogo devem enfrentar um vilão que está dominando o mundo dos sonhos e que engarrafou uns anjinhos aí, esse cara se chama Wart e ele também só pode ser derrotado se comer algumas verduras.

Depois de ler tudo isso você jogador viciado de Nintendo dirá "rapaz... esse jogo é um plágio descarado de Super Mario Bros. 2". E eu diria até que você está QUASE certo. Porque na realidade é O CONTRÁRIO. Super Mario Bros. 2 é que é um plágio cara-de-pau mal feito de Doki Doki Panic. E você dirá "como a Nintendo pode fazer isso?" Pois é, siga até o próximo encanamento e continue lendo esse artigo para descobrir.

Falta de criatividade em dobro[editar]

Comparação entre os personagens dos diferentes jogos. Apesar de serem completamente diferentes uns dos outros, esses personagens foram absurdamente clonados um do outro.

Quando Shigeru Miyamoto criou o Super Mario Bros. 2 japonês, continuação óbvia de Super Mario Bros., os fãs americanos, que eram burros pra cacete e não percebiam as diferenças entre os dois jogos e achando que Miyamoto tinha feito uma tremenda cópia decalcada de um jogo pro outro, mudando apenas de ".1" para ".2", a Nintendo americana exigiu mudanças no jogo, senão o jogo iria fracassar em vendas, já que ninguém acreditava que os dois jogos eram diferentes um do outro (o pior que realmente a maior parte dos dois jogos é quase a mesma merda, até a ordem dos Fake Bowsers são as mesmas).

Shigeru então viu que o Doki Doki Panic não vendia porra nenhuma no Japão, já que os japas não entendiam um jogo com quatro indianos como protagonistas (mas ironicamente na mesma época compravam mangás de certos garotos japoneses - ou não - defendendo divindades gregas como se fosse a coisa mais normal do mundo isso) e aí decidiu roubar o código-fonte do jogo inteiro, criando assim o Super Mario Bros. 2 com pouquíssimas modificações com o jogo original.

Jogadores e Habilidades[editar]

  • Imajin - O Mario da turminha. Mesmo sendo o mais novo de todos, ele é que é o chefe e patrão de todos no jogo. Suas habilidades são balanceadas, ele não corre pra caralho, não pula alto pra porra nem sai voando, mas tem um controle maior das suas habilidades, igual ao Super Mario no SMB2.
  • Mama - A mãe do Imajin e da Lina. Tem um poder impressionante de pulo, conseguindo pular cerca saltar até distâncias impressionantemente impressionantes e imprecindíveis. Nos EUA Mama fez uma cirurgia de mudança de sexo, ganhou um bigode e uma roupinha de encanador verde e mudou de nome para Luigi.
  • Lina - Irmã de Imajin, ela consegue voar (ou quase isso, digamos que na realidade ela plana) usando sua saia voadora (mas não é uma Super Saia Jeans heim!) e com isso consegue atingir lugares que nenhum outro consegue. A Princesa Peach (ou Toadstool, como preferir) emulou direitinho esses poderes, mas misteriosamente toda vez que Bowser a ataca ela se esquece que pode voar e acaba sempre sendo capturada pela tartaruga gigante.
  • Papa - O pai de todos, menos da Mama que é a mulher dele (e não a mãe dele né...), gordo e pesado, só vale a pena pegar esse personagem se você quiser usar suas habilidades de arremesso de legumes e verduras nos inimigos, já que ele consegue jogar até uma distância próxima da distância entre a Lua e a Torre Karin. Toad aprendeu esses poderes com o Papa, mas tal como a Princesa logo acima, toda vez que o Bowser aparece ele peida na farofa e não usa esses poderes (ou será porque Bowser tá cagando e andando prum cogumelo jogando legumes nele?).

Conclusão[editar]

Cquote1.png Nada se cria, tudo se copia! Cquote2.png
Lavoisier sobre Doki Doki Panic e Super Mario Bros. 2

Que nada! A conclusão real é essa: videogame é assim, todo jogo é exatamente a mesma merda igualzinha, só serve pra você perder tempo e quebrar a cabeça com a porra do jogo pra depois descobrir que jogou uns 20 iguais antes.