Grumixama

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bambu.jpg Este artigo faz parte do incrível mundo Vegetal Folhoso

Este vegetal foi certificado pelo Greenpeace sendo livre de agrotóxicos e outras pragas nocivas.

Grumixama
Grumixama.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae que a Grumixama gosta
Classe: Maginoliopsiu psiu
Ordem: Mirtalesbica
Família: Muito Boa
Gênero: Eugeniosa
Espécie: E.brasilienses...
Nomenclatura Tetranominal
Eugenia brasiliensis Palmeira

Grumixama surgiu junto com todas as frutas do tempo da tabaroga gigante, mas nunca conseguiu posar para uma pintura de fruteira, até hoje não sabem as grumixamas o que lhes faz excluídas, sendo tão bem dotadas, vistosas e dispostas a posar, não descontentariam o olhar do fotógrafo pintor, nem brigariam com as demais da fruteira. Não acreditam que seja por causa do nome, já que o Abacaxi está sempre lá nas pinturas com casca e coroa.

Cultivo da Grumixama[editar]

Corrida para chegar na grumixama.

Não é preciso acariciar as sementes para que se sintam bem, como no caso da Guabiroba, mas ela também bastante e tem muitas semelhanças com a fruta citada. Suas árvores podem atigir vinte metros, mas Grumixama não tem culpa disso nem critica a natureza e não liga se alguém trepar nela, mas com essa altura, quem for realizar essa proeza deve ser um primata bastante trepador.

Costuma dar em todo lugar, desde que se enterre bem. As sementes germinam rapidamente, mas as flores aparecem somente no fim do inverno porque são frescas e não gostam muito de tomar sol. Daí quem aparece no Verão é o bendito fruto: arredondado, nem casca grossa ele é, tem a casca lisinha de coloração rubra como os lábios de Uiuiuiki, possui no interior apenas duas sementes, sem muita encheção, mas enche essa sua boquinha linda com uma polpa branca (não essa) e suculenta como o da Jabuticaba, e não deixam de ser mesmo parecidas a não ser pela segunda ser a musa do Monteiro Lobato ( eu também pensava que fosse Narizinho) e a outra esquecida.


Ora, também seria algo deveras charmoso dizer: "Seus olhos de grumixama".


Propriedades[editar]

Flores de Grumixama antes de dar.

Essa fruta não possui grandes propriedades, apesar de ainda resistir em garantir seu espaço, que não perde facilmente apesar de meio delicada e há uma grande vantagem na frescura das flores de não gostar de muito calor: são resistentes à geada, são mesmo chegadas a um gelinho, ou seja: essas flores parecem exigentes de princípio mas também não são muito difíceis de se agradar.

Grumixama se bronzeando.

Grumixama já foi muito usada como bebida, desde vinho a chazinho, mas como ela perde para as plantas que dão origem a bebidas mais fortes e alucinógenas (seu drogado, chapado e noiado). Assim mesmo segundo a sapiência de botânicos, médicos homepatas e índios, ela combate o reumatismo, bem como deixa os velhinhos menos gagá o que não adianta no caso de seus avós, pois você mesmo já apresenta esses sintomas naturalmente.

Tão logo o suco de Grumixama passe por suas papilas gustativas rumo à sua garganta você pode sentir os efeitos benéficos da bichinha (nem essa também), isso porque ela também é rapidinha na assimilação, e isso sem ser pegajosa.


É mesmo verdade que ela dá em todos os lugares, mas principalmente dá que uma beleza na mata atlântica pluvial. A explicação para essa fruta ser tão comida é que em sua fase flor ela é outra daquelas hermafroditas, que não dá nem come, mas claro que sendo fruta, ela quer mais é dar, e comer ela não faz questão. Algumas espécies de Grumixama ficam tão entediadas com essa fase hermafrodita que o fruto se torna uma variedade amarela.

Grumixama na História[editar]

Comeu uma grumixama e ficou feliz.

Essa fruta já foi de grande importância no cardápio das antigas tribos sul americanas, isso lá nas épocas douradas de Kuzkotopia, e já foi considerada sagrada por falta de outra fruta mais exótica por suas propriedades. O único pecado de Grumixama foi se omitir e salvar a própria casca quando os raivosos desesperados desbravadores europeus iniciaram suas invasões.

É que ela não possui qualquer poder no sentido ofensivo, coitadinha. Grumixama também não servia muito bem como míssil porque não é dura o suficiente (igual ao seu como algumas frutas que são tão boas pra isso que até parecem pular da mão de quem a estiver manusenado por si mesmas, como por exemplo goiabas e Kiwis, que até emitem uma rizadinha ao se espatifar em alguém, só não ficam mais felizes que as rajadas dos pombos.

Nem por isso elas escaparam totalmente dos arremessos, haviam algumas mulheres que para agrado do Imperador desenvolveram uma certa arte, atirando-as na boca do soberano por aquela parte do corpo mesmo... e que de certa forma combina com a grumixama a começar por esse simpático nominho.

As grumixameiras, costumam ter forma piramidal, e daí nem é preciso dizer mais nada. Acredita-se até mesmo que foi dela que surgiu essa forma arquitetônica tão estranha prática, bem como os primeiros estudos sobre triângulos... isso se você realmente acredita em árvore com forma piramidal.