Hathor

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tutankamon.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!

Lesbian logo.png Este artigo pode levar-te para o Lado Azul da Força!

Este artigo contém fatos sobre sapatas e gosta de Fórmula Truck.

Hayden panettiere madeline zima lk.jpg


Cquote1.png Você quis dizer: Ator? Cquote2.png
Google sobre Hathor
Cquote1.png Experimente também: Afrodite Cquote2.png
Sugestão do Google para Hathor
Cquote1.png Eu sou mais bonita! Cquote2.png
Afrodite sobre Hathor
Cquote1.png Eu conheço esse olhar! Cquote2.png
Ana Carolina sobre Hathor

Classificação[editar]

Hathor, a deusa do amor. Ainda bem que não é da beleza, já que ela era meio feinha.

Atriz Hathor, apesar de parecer tratar-se de alguém do sexo masculino, é mais uma das divindades que eram cultuadas no Antigo Egito, sendo esta uma das que recebiam mais cachê oferendas de seus devotos e paga-paus particulares, pois era a Deusa das Mulheres, sendo, muito provavelmente, uma feminista (daquelas que queimam sutiã e não depilam as axilas) e lésbica (já que nunca foi vista do lado de nenhum outro deus do sexo masculino, mesmo que fosse o seu irmão).

Além da Deusa do Clube das Mulheres, ainda desbacava Nut, sendo também considerada a deusa do Céu, do Amor, da Dorgas Alegria, do Vinho, da Dança do Siri e, de quebra, ainda era a Deusa da Fertilidade, mesmo que nunca tenha gerado um filho sequer naquele útero.

Essa deusa tinha quase a mesma funcionalidade que Santo Antônio tem por aqui hoje em dia (nos tempos de Festa Junina), ou seja, tirar as encalhadas da fossa, fazê-las perder a virgindade e ainda fazer com que elas arranjem uma tampa para a sua panela, a metade das suas laranjas ou as labaredas do seu fogão.

Claro que nem sempre isso dava certo, mas pelo menos as barangas tentavam sair das suas solidões, diferentes das de hoje, que preferem ficar acomodadas, esperando que um homem venha do céu e se joguem nos braços delas, mal elas sabem que os únicos homem que se jogam de algum lugar são suicídas.

Características divinas[editar]

Hathor levando alguma sacerdotisa para conhecer o amor.

Hathor era muito comparada com Ísis e Bastet no seu princípio, não que ela tivesse a mesma forma que elas, mas sua funcionalidade era quase a mesma, o que deixava aberta para a confusão. Dona de um poder muito maior do que essas outras deusas, com o tempo ela foi ganhando mais força, ficando mais distinguível e ganhando a sua própria imagem.

Ao longo das eras egípcias (que não foram poucas), ela já teve várias representações, sendo que uma delas era a sua comparação com uma mulher que tinha chifres na cabeça e portava o Cquote1.png disco solar Cquote2.png no topo dos cornos; também poderia ser representada como uma mulher com orelhas de vaca; outra forma era a de uma mulher com cabeça de vaca e portando o disco sobre em cima; e outra era de uma vaca completa, com o disco solar na cabeça e que ainda vinha com alguns enfeites de penas (vaca com penas, isso era novidade).

Uma imagem muito comum de Hathor é o rosto de uma mulher com as orelhas de vaca, sendo que esse rosto é visto de frente e não de perfil, como é feito o desenho das maiorias pinturas egípcias. Nessa sua face, além das orelhas de burro vaca, ela ainda teria o cabelo partido ao meio (como a Doroti de O Mágico de Oz) com as pontas enroladas, só para dar um diferencial, já que muios deuses nem sequer tinham mostravam a cabeleira.

Pelo fato dela ser a única deusa que apareceu no Panteão sem um marido famoso, acredita-se que ela preferia uma briga de aranhas ou mesmo usava 44 de bico largo, mas isso são são supositórios suposições.

Ver também[editar]