História do sexo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Este artigo é relacionado à história.

Se você vandalizar, Nikita Khrushchov vai te beijar!

Bushdestruiçãogolfe.jpg
E inicia-se a história.

A história do sexo é a história mais antiga do mundo, até mais antiga do que a sua avó e do seu avô. Acredita-se que essa história começou quando um pênis e uma vagina se encontraram e pela primeira vez eles descobriram o prazer, esse prazer foi tão grande que desde então o sexo é ato mais feito no mundo todo, não só entre os animais e humanos, mas também entre plantas, seres inanimados, seres inexistentes e outras bizarrices.

O primeiro sexo[editar]

A primeira suruba, veja como elétron fica apenas olhando a obra acontecer.

Segundo Deus, o primeiro sexo é uma grande duma mentira, segundo ele e seus comparsas Adão e Eva passaram pelo teste de castidade e ganharam um presente de uma cegonha, agora a próxima missão deles era o de responsabilidade.

Na versão da Wikipédia ciência, o primeiro sexo aconteceu em 1000000000 antes do big bang entre dois átomos, foi um sexo devagar, sem graça que parecia uma dança, mas foi o mais revolucionário de todos. Após algum tempo uma explosão de prazer veio a criar o universo, filho de Próton e Nêutron, e Elétron o tio. E assim sabemos como os átomos foram os primeiros safados e sem vergonhas do mundo, apesar de se seu sexo ser o mais estranho e bisonho de todos.

Reino Animal[editar]

Suruba de corais.

O reino animal e as plantas são os mestres da safadeza, verdadeiros brutamontes que inventaram os fetiches e a putaria coletiva. Até esse momento, o sexo era apenas uma diversão, onde dois os mais indivíduos perdiam 99,9% de sua vida se comendo.

Já o sexo dos animais mostra uma evolução marcante do sexo, o grito, um som simbólico e típico do sexo, que até se caracteriza em quem está fazendo o ato. Esse fator de gemer enquanto está com um galho de 30 centímetros no seu estomago foi de grande ajuda para dar mais tesão em quem está no comando, sem contar que o tempo do sexo foi diminuindo com o passar do tempo até hoje se tornar a famosa rapidinha.

O sexo se tornou um ato universal, onde você pode fazer em qualquer lugar e a qualquer hora, é uma extensão da punheta onde ambos podem se punhetar ao mesmo tempo. O primeiro fetiche foi o fetiche de fazer sexo em áreas públicas que eram um verdadeiro show para o mundo animal, onde todo mundo se pegava, se trocava, se lambia e até mesmo depois do prazer, eles continuavam trabalhando.

Intervenção humana[editar]

Ritual do sexo, todos podem participar.

Os seres humanos transformaram a arte do sexo, a criação de acessórios tanto para prazer do próximo quanto o seu próprio prazer, fez o sexo ser a brincadeira, mais gostosa, divertida, molhada e relaxante do mundo. Eles também foram os primeiros seres a fazer sexo com outras espécies, ultrapassando as barrerias da moralidade atual, sem contar que as profissionais do sexo foram as primeiras profissionalizantes em algo, enquanto a profissão de dar foi a primeira carreira do mundo.

O pênis do ser humano é o maior de todos os primatas e felinos que tem um pinto do tamanho e circunferência de uma caneta gic, ele só não ganha dos elefantes, equinos, girafas e baleias. Apesar disso, o ser humano é consumidor nato do viagra, na qual foi o produto mais vendido do mundo, mais do que celulares e carros.

Fisting à moda animalesca.

Suponha-se que o ser humano passe pelo menos 1 hora fazendo sexo por dia, enquanto a média se sexo por semana é de 6. Com esses enormes índices de sexo, a DST faz a festa, e quando não é uma doença, é a gravidez indesejável. Então desde os tempos dos homens das cavernas, o preservativo de vísceras de animais, palha ou tecido eram famosíssimos no mundo sexo, tão famosos que Shakespeare os chamava de Prevenção do Terror.

Durante a Idade Média o sexo se torna numa peça de teatro, onde a penetração é o prato principal da obra, precedida da felação e sucedida pelo clímax. Os sentimentos como o amor e ódio fazem parte constante do sexo que regula a velocidade do ato. Veja o menu do sexo abaixo.

Entrada[editar]

Cquote1.png Esse dedinho vai no seu cuzinho Cquote2.png
ET querendo colocar seu dedo muscoso em seu buraco
  • Boquete: O boquete é começo de que vai vir uma foda fodastica, é o ato de você lubrificar bem o amigo e não machucar sua donzela. Muito praticada ainda quando não existia KY.
  • Beijo Grego: Essa técnica é ato de esfregar, lamber, lubrificar, cuspir e até mesmo meter o nariz no cu do sua parceira ou do seu miguxo, além de ter a chance de saborear bosta. Típico da Grécia.
  • Fio terra: Técnica profunda de colocar o seu dedinho do meio no cu de outro, normalmente fazem o fio terra aqueles que são virgem e que querem sentir uma coisa menor antes de receberem o maior. Os gays são os grandes fãs do fio terra e não o recusam por nada.
  • Fisting: É um fio terra mais avançado que você pode colocar os dedos, a mão e o braço na vagina ou no seu cu, o fisting é altamente perigoso, pois seu cu pode cair da bunda e sua vagina pode sumir.

Prato principal[editar]

Se não lubrificar, vai doer.
  • Cachorro: A posição do cachorro é uma clássica do sexo, serve para qualquer um com um pinto pequeno e sua velocidade pode chegar aos 100 quilômetros para aqueles que tem gingado, apetecendo qualquer um que estiver recebendo uma estocada no colo do útero.
  • Frango Frito: Nessa posição os dois ficam de frente um para o outro, além de você receber por baixo, você também recebe por cima, além dos lados caso esteja com trocentas pessoas.
  • Cavalgada: A cavalgada é a penetração máxima que alguém pode receber, entra tudo e deixa o caos.

Clímax[editar]

Engole ou cospe? Eis a questão...

  • Na cara: Acontece depois de um boquete, onde sua tinta está carregada e você pode fazer um desenho na cara da vítima.
  • Creampie: Recheamento de rosquinha com leite.

Sobremesa[editar]

Isso não é uma boneca de cera.
  • Chupão: É um carimbo que você coloca na pessoa que você fodeu.

Final de semana[editar]

  • Gangbang: Festa de várias horas onde o objetivo é foder apenas uma, além de ter um público com segundas intenções
  • Blowbang: Gangbang de boquete.
  • Bukkake: Clímax do blowgang.
  • Swing: Outra festa, onde todo mundo se pega e ninguém tem olho gordo.

Brinquedos[editar]

Consolo a moda antiga, atenção aos detalhes.

Acredite se quiser, os consolos e brinquedos para o sexo, são os mais antigos do mundo, o primeiro vibrador por exemplo, foi um cilindro de pedra com 20 centímetros, era o produto mais vendido no Egito Antigo e ainda servia como uma colher para mexer alguma sopa de minhoca.

Todos sabem que os brinquedos sexuais vêm de um sex shop, essas lojas super especializadas no consolo e no seu conforto são tão antigas quanto a sua vó. O primeiro sex shop foi idealizado por Dercy Gonçalves em 3000 a. C. nas catacumbas de Narmer no Egito Antigo, ela também foi a percursora do comércio sexual, na qual trazia a putaria, a prostituição e as casas de orgias ao mundo, e por um custo baixíssimo de apenas 20 centímetros de pau.

Dercy momentos antes de participar do maior bacanal do mundo.

Os sex shops serviam também como salão de surubas onde o cafetão ficava no final do lugar parecendo um rei com trocentas putas a sua disposição, isso também fez com que os fetiches começassem a brotar e o sadomasoquismo foi um deles.

Naquela época em que sua mão ainda era virgem, todas as mulheres e gays queriam ter um homem para levar uma surra na cara, na bunda ou em qualquer parte do corpo, o ato começou a crescer e os mais safados gostavam mesmo é de ser um completo escravo na hora H. O chicote que existe desde da era da pedra era o principal instrumento para adestrar o seu objeto sexual e aflorar o animal que tinha dentro daqueles que tinham um fogaréu no cu. Outros brinquedos são as algemas de ferro que serviam exatamente para prender escravos.

Réplica do primeiro plug ball do mundo, concordamos que o original está um pouquinho sujo.

No período em que Cleópatra dominou o Egito Antigo, ela inventou o poder da persuasão e por consequência acabou por inventar o strip-tease. Num desses shows de amostra de seios e bucetas, Cleópatra que estava no palco, teve uma ideia brilhante para deixar todos no tesão, ela pegou o seu colar de pérolas e colocou no cu de sua colega de dança, logo mais retirando uma pérola por vez.

Com o fim do Egito Antigo e a acensão da Idade das Trevas, o sadomasoquismo virou imoral (como se já não fosse), então quaisquer atos de sodomia sexual eram feitos em volta de quatro paredes, até porque todos nessa época eram sodomizados pela igreja e o povo morria de medo de morrer no berço de Judas. Querendo ou não, com certeza tinham alguns que se aventuravam por esses brinquedinhos das inquisição.

Hoje um dos brinquedos mais usados além do dildo, é a boneca inflável, essa aberração foi feita durante a era nazista na Alemanha, acredite ou não, mas a boneca inflável foi um propaganda nazista para os EUA para eles ficarem bem quietinhos a respeito do governo alemão, no final dessa história os EUA acabaram por ficar com as bonecas infláveis e com a fama de vitória. Essas bonecas são o consumo de qualquer punheteiro virgem do mundo contemporâneo.