IJN Yamato

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Navio Grandão Yamato
IJN Yamato.png
Algumas pessoas pensam que o único propósito da construção de Yamato é mostrar o quão magnífico o Império Japonês foi derrotado no final da Segunda Guerra Mundial.
Carreira
Operador Marinha dos Kamikazes
Fabricante Cuzões
Origem do nome "Molho de tomate" em japonês
Lançamento 1937
Destino corais
Características
Tipo encouraçado
Classe Mamado
Comprimento 263 m
Armamento Uma caralhada de canhões de balas de 46 centímetros

IJN Yamato é o maior navio de guerra da história da Marinha Imperial Japonesa e até hoje o maior navio de guerra do mundo, embora qualquer país que tenha uma Marinha possa facilmente construir um navio maior e com mais toneladas que o Yamato, mas por ser grande e não muito útil, ninguém quer gastar muito dinheiro para construir um navio-alvo extravagante extragrande.

Construção e design[editar]

Os japoneses estavam engajados na Segunda Guerra Mundial, haviam acabado de atacar Pearl Harbor e planejavam espalhar a cultura otaku para todos continentes, então pensaram o que parecia ser o mais óbvio para se fortalecerem: Construir o maior navio de guerra do mundo em tamanho, peso e armamento, afinal se eles fizesse um navio maior do que os outros e com uma artilharia mais espessa do que os outros, ele automaticamente seriam mais poderoso do que outros!

Desta forma os japoneses imaginavam o glorioso Yamato como principal contribuição para a eminente vitória da Segunda Guerra Mundial do Império do Japão. Os japoneses já até imaginavam a cerimônia de assinatura de rendição dos Aliados a bordo do navio de Yamato ancorado na baía de Nova York realizada e por isso construíram um largo bico para ter espaço o suficiente para tal reunião.

Além dos enormes canhões que de tão grandes matavam os próprios marujos japoneses que estivessem por perto na hora dos disparos, o Yamato ainda contava com uma cantina, um restaurante de sushi (você não sabia que o sushi foi inventado pelos japoneses?), uma fonte termal onde a água era aquecida através dos motores da casa de máquinas, e uma sala de karaokê.

História[editar]

O Yamato foi concedido ao experiente almirante Toma Noku Ajinomoto a quem foi responsabilizado a tarefa de ir dar uns passeios com esse enorme encouraçado, o que ele fez muito bem durante 1 ano, passeando com o navio por todo o Pacífico. De 1940 a 1942 o Yamato participou no máximo da Batalha de Midway, mas apenas observando de muito longe preciosos quatro porta-aviões japoneses sendo dizimados e afundados enquanto os Estados Unidos venciam tranquilamente aquela batalha. Foi nessa batalha que o Yamato inventou a sua principal manobra, a retirada estratégica, que consiste em impedir que os americanos afundassem o maior navio do mundo não dando para eles esse gostinho de vitória avassaladora.

Já haviam se passado 4 anos de guerra e o Yamato não tinha comparecido a nenhuma batalha, os marinheiros já apelidavam o gigantesco navio de "Hotel Yamato" porque ele servia apenas para hospedar os marinheiros mais sortudos que não precisavam estar se fodendo nas batalhas que aconteciam todos os dias. No máximo em 1943 o Yamato visitou as Ilhas Salomão para visitar a batalha pelas Ilhas Salomão que o Japão vinha lutando há três meses, assistiu a derrota de longe e foi embora.

Somente em 1944, quando o Yamato participou da batalha naval das Filipinas, ele finalmente teve a oportunidade de disparar o primeiro projétil de artilharia. Um único tiro pesado que atingiu por engano um avião japonês. A segunda atuação real numa batalha foi na Batalha do Golfo de Leyte onde o Yamato disparou um total de 104 projéteis que atingiu só água, um avanço visto que dessa vez não atingiu nenhum avião amigo. A atuação do Yamato foi formidável, tomou bomba de todos os lados e não afundou, enquanto o seu irmão IJN Musashi não teve a mesma sorte e afundou naquela ocasião. Aliás, um torpedo que foi lançado por um submarino da Marinha dos Estados Unidos nas águas da Ilha de Truk acabou atingindo o Yamato sem perceber e quando o Yamato voltou ao porto naval para reparos e só então descobriu-se que o navio tinha um buraco nele, os japoneses passaram a acreditar com orgulho que o Yamato era um navio de guerra inafundável.

Naufrágio[editar]

Yamato sendo transformado em sucata após tomar um Kame-Hame-Ha.

O maior problema de ter um navio tão colossal era que levá-lo para a batalha nunca parecia uma boa ideia, a sensação era sempre que seria desperdício demais colocar um navio tão imponente em perigo, um gigantesco colosso de aço lento demais para desviar de bombas, os japoneses durante muitos anos fizeram de tudo para evitar de entregar aos americanos o gostinho de afundar o maior navio de todos os tempos. Mas os americanos já haviam conquistado todas ilhas, então o Yamato precisou ser utilizado pra valer, e obviamente foi facilmente afundado pois um navio gigante daqueles era avistado com quilômetros de antecedência e os norte-americanos simplesmente desceram centenas de bombas no Yamato.

Hoje em dia o Yamato está em uma posição vergonhosa integrando o ranking dos "quatro maiores objetos longos e inúteis do mundo", atrás apenas da Grande Muralha da China e à frente da dos seus navios irmãos IJN Musashi e IJN Shinano. Os militares dos EUA lançaram ao todo um total de 3.000 aeronaves contra seus oponentes longos e inúteis.