Maluco do Casebre

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Baiano 999.gif Maluco do Casebre
possui um refinadíssimo senso de vadiagem

Neste exato momento, deve estar no botequim da esquina.

Maluco do Casebre (aka Jorge Ben Jor de Família) é um nômade vagabundo, um membro do MST que vaga pelo Brasil à procura de casas abandonadas para morar por um curto período. Ele é o homem que possui mais residências em território tupiniquim, tomando posse de cerca de 24 casebres abandonados no meio do mato, mas ele possui um carinho especial por um barracão em específico, no qual ele deu água de pica para Vivian Mello, que estava perdida e apareceu pedindo apenas por água de bica.

Maluco do Casebre 1[editar]

Jorge Ben Jor de Família, o Maluco do Casebre original, após fumar vela.

Primo de vigésimo sétimo grau de Guilherme Boulos (ou seja, eles são nada um do outro, talvez ligados apenas pela vagabundagem), o Maluco do Casebre nunca gostou muito de trabalhar no cacete, seu negócio mesmo sempre foi trabalhar e relaxar. Não querendo sustentar vagabundo eternamente, os pais do Maluco do Casebre o expulsaram de casa, pra ver se o sujeito enfim tomava rumo na vida e fazia alguma coisa que presta. Mas isto apenas piorou a situação, tendo uma aversão grave ao trabalho, o Maluco do Casebre decidiu virar um nômade, passando a vagar pelo Brasil à procura de casas abandonadas para morar.

A princípio, o Maluco do Casebre não conseguiu encontrar casas abandonadas, apenas alguns terrenos, mas como ele não estava disposto a capinar os lotes e nem construir sua própria casa, afinal isso era o mesmo que trabalhar, o Maluco do Casebre apenas ignorou, e continuou vagando por aí a procura de uma casa já pronta para morar. Mas não conseguindo encontrar nada, o Maluco do Casebre decidiu integrar o MST e, consequentemente, o PT, se ele não estava conseguindo encontrar casas desabitadas, a melhor alternativa era desabitar casas na base da porrada e do tiro. Fazendo uso desta estratégia, o Maluco do Casebre conseguiu sua primeira casa, um barracão caindo aos pedaços no Mato Grosso, Grande e Gostoso. O único problema é que a casa não possuía eletricidade, mas nada que uma vela não resolvesse, além de iluminar o ambiente, o Maluco do Casebre aproveitou o instrumento de cera para fumar vela, sua prática favorita.

Após sua primeira ocupação de sucesso, o Maluco do Casebre continuou como um nômade pulando de casa em casa, mas foi apenas alguns anos mais tarde que o Maluco do Casebre ficaria famoso. Ao ocupar um barracão em Cu Pequeno, na Bahia, o Maluco do Casebre conseguiu o maior feito de sua carreira, através do buracão que era a janela do casebre, ele viu o buraquinho de Vivian Mello, uma ninfeta que estava perdida naquele meio do nada, provavelmente procurando pela peça que você queria, e com sede. Vivian Mello bateu na porta do casebre e pediu um pouco de água de bica, porém com sua elegância e malandragem carioca, o Maluco do Casebre ofereceu para ela água de pica, até dando o líquido na boquinha dela. Após matar a sede da coitada, o Maluco do Casebre, agora aliviado por ter esvaziado o saco, voltou a vagar sem rumo por aí a procura de novos barracões para ocupar, de novas velas para fumar e de novas ninfetas para penetrar.

Maluco do Casebre 2[editar]

Maluco do Casebre 2, o flamenguista que, assim como o Kauan Desu, é um mexânico, e só quer relaxar com as visitantes de seu casebre.

O filho do Maluco do Casebre original com Vivian Mello, o Maluco do Casebre 2 possui o mesmíssimo perfil do pai, esse nem precisa de DNA pra provar que é filho legítimo do Jorge Ben Jor de Família. Assim como seu pai, o Maluco do Casebre 2 é um cigano, que percorre o Brasil sem camisa, usando apenas uma toca e um óculos escuros, naquele visual de ator pornô dos anos 90.

O Maluco do Casebre 2 não possui a mesma habilidade de ocupação de seu pai, então sempre acaba sendo expulso dos barracões que ocupa pelos proprietários dos terrenos, que vão logo com a .12 pra cima dele. Mas quando enfim o Maluco do Casebre 2 conseguiu um casebre bom para morar, em Curralinho, ele começou a se dar bem na vida. Enquanto fumava vela na solidão do casebre abandonado, eis que aparece em seu quintal uma neguinha com o carro "enguiçado", que pede um auxílio mecânico. Mas tudo era apenas uma encenação dela para dar para o herdeiro do Maluco do Casebre, pois quando vai mostrar pra ele que o carro estava quebrado e não ligava, ela acaba ligando o carro sem querer querendo.

No fim, a mulher, assim como Vivian Mello, acabou levando nabo em todos os orifícios, e depois de nove meses provavelmente dará à luz ao Maluco do Casebre 3, ao menos torcemos por isso para não acabar o legado do doido mais engraçado do pornô nacional, perdendo apenas para Jailson Mendes e sua turminha do barulho.