Michael Scott

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Ps3dourado.jpg Viena estava exuberante!

Este artigo é rico e seu autor só compra coisa chic. Seus advogados estão de olho em você, então não vandalize! Pobre? Tenho nojo de pobre, tudo o que tem é feito de prástico...

Vamos, meu bem, meu tempo vale ouro!


Michael lendo esse artigo.

Cquote1.svg Eu dei pra ele Cquote2.svg
Helene Beesly
Cquote1.svg Eu também! Cquote2.svg
Carol Stills
Cquote1.svg Suas vagabundas... se bem que eu também dei pra ele... Cquote2.svg
Holly Flax
Cquote1.svg Eu quase dei, mas ele descobriu antes que eu já dava pra outra pessoa Cquote2.svg
Donna Newton
Cquote1.svg Eu comia ele! Cquote2.svg
Jan Levinson
Cquote1.svg Eu não sei se comeria ou ele que me comeria... Cquote2.svg
Ryan Howard
Cquote1.svg Eu daria pra ele, mas ele não me quis... Cquote2.svg
Dwight Schrute
Cquote1.svg Eu jamais daria pra ele, tá louco! Cquote2.svg
Pam Beesly
Cquote1.svg Eu daria, bêbada, mas daria! Cquote2.svg
Meredith Palmer
Cquote1.svg Eu daria, mas esqueci de tentar dar pra ele Cquote2.svg
Cathy Simms
Cquote1.svg Vocês poderiam parar com essas piadas forçadas sobre dar pra esse imbecil? Se bem que eu desconfio que ele queria é me dar... Cquote2.svg
Toby Flenderson
Cquote1.svg That's what they said! HAHAHA! Cquote2.svg
Michael Scott sobre ser mais comedor que o José Serra

Michael é o melhor chefe sim. E quem duvidar disso será demitido só pode ser louco.

Michael Gary Scott, também conhecido como Michael o Mágico, MC Mike Scott, Prison Mike, Date Mike, Michael Wonka, Michael Jackson, Michael J. Fox, Namorada do Ryan, Namorado do Dwight, Michael Scarn, James Michael Bond, entre outros apelidos, a maioria criados por ele, o que já mostra o quanto ele é tão egoísta que até apelida a si mesmo, é o único e real protagonista de The Office dos Americanos, o único real gerente da filial de Scranton de Dunder Mifflin, o único personagem que realmente salvava o seriado, o personagem que quando saiu do seriado fodeu com a série toda, o melhor personagem feito pelo Steve Carell na vida (e olha que o cara chegou a fazer o Evan Baxter de Todo-Poderoso e a A Volta do Todo-Poderoso e o Virgem de 40 Anos. Mesmo assim nenhum jamais será como Michael Gary Scott. O ser mais foda da história dos seriados e é melhor eu parar com isso senão já já vão apagar meu artigo dizendo que não tá engraçado e sim apenas uma babação de ovo, ou pior, vão dizer que meu nome é Dwight Schrute.

A história do mais imbecil melhor chefe do mundo[editar]

Michael em estado de choque ao perceber que levou mais um chifre de uma namorada.

Michael começou sua carreira na Dunder Mifflin como clone do David Brent de uma série britânica aí um vendedor que conseguiu subir na vida após passar em muitos testes de sofá. Originalmente, quando mais jovem, o pobre Michael tinha sido uma criança desprezada por todos, igual você, e com isso adquiriu uma carência tão desgraçada que afetou até mesmo sua vida profissional inteira. Não a toa, ele passou a vida como o gerente mais imbecil legal da história, que tentava, igual você até hoje tenta na Desciclopédia, ser engraçado e não apenas idiota, mas tudo o que consegue é ser idiota e não engraçado. A encarnação máxima do objeto de ridículo, que só porque sofreu bullying a infância inteira passou a achar que ser engraçado era justamente zoar com todo mundo.

Como Michael trata seus funcionários que lhe dão problemas

A despeito disso, Michael em todas as sete temporadas que passou no programa, sempre se mostrou um chefe que fazia de tudo pra manter seus funcionários de boa, mesmo quando um Jim Halpert fazia uma pegadinha que quase matava o Dwight, ou quando o Dwight botou fogo no escritório, ou quando o Andy ficou enchendo o saco dele e de todos no escritório num nível que nem o próprio Michael era capaz, ou quando o Stanley gritou com ele o chamando de palhaço, ou quando o Oscar mostrou que não sabia beijar direito, ou quando o Toby foi simplesmente o Toby, algo parecido com o Kevin sendo o Kevin ou o Creed sendo o Creed. Ah sim, esqueci de dizer, quando o Ryan simplesmente desapareceu com um milhão de dólares da empresa num piscar de olhos, mas o caso do Ryan é diferente, já que o Ryan poderia matar os pais dele que o Michael o trataria como amante filho... pera, mas se o Ryan matasse os próprios pais e o Michael o trata como filho... puta que pariu...

Pra realmente tirar totalmente a paciência do Michael pra ele querer te botar pra correr, você precisa ser filho da puta igual ao sobrinho dele foi ou ser o Toby.

Michael inclusive sempre premiava seus amados funcionários com um bonequinho chamado Dunder, que era inspirado no Troféu Imprensa. Pena que com a saída dele ninguém continuou a prática, mostrando que todos seus sucessores eram bundas moles que não tinham coragem de cantar que Scranton era a "Cidade Elétrica", nem nenhum deles balançavam igual eu faço, nem faziam bugalô igual eu faço...

Habilidades fantásticas do Michael[editar]

O dia em que o Michael foi levado pro hospício, sendo convencido que era a reencarnação do Houdini pra isso.

Com um mestre de ensino e de palhaçadas, Michael conseguia demonstrar incríveis habilidades. Vamos a algumas delas:

  • Conseguir sempre vender pelo melhor preço tudo que ele oferecia, com a técnica de nunca ouvir a primeira proposta e sempre rejeitar a segunda, porque vai que de repente aparece uma terceira (ou não);
  • Mesmo sem nunca ter passado um único dia na prisão, conseguia entender perfeitamente a dor de quem vive dentro de uma. Por dor me refiro ser feito de mulherzinha na cadeia mesmo...
  • Demonstrar que racismo se combate mandando o Norte dos Estados Unidos contra os racistas;
  • Conseguir realizar truques de mágica que deixariam o Mister M desesperado por nunca conseguir desvendar os segredos do fracasso das mágicas dele;
  • Conseguir praticar parkour como nenhum outro jamais o fez;
  • Sobreviver a um murro na barriga no Dwight, um tapa da Kelly, outro da Pam, além de ser esmagado pelo Kevin;
  • Ter colhões pra aguentar o Andy choramingando;
  • Conseguir usar a empilhadeira de maneira fantástica e desastrosa, pra tristeza do Darryl e do Lonny;
  • Pilotar um Sebring como se estivesse dirigindo um Fiat 147, com toda classe do mundo até quando o enfia no meio de um lago...
  • Fazer discursos de casamento incovenientes melhores que o lero lero do padre;
  • Fazer um filme de ação com os funcionários melhor do que filmes do James Bond o que nem é muito difícil na real;
  • Conseguir transformar tudo na empresa como motivo pra fazer uma musiquinha paródia melhor do que as que uns professores usam pra tentar desesperadamente que você decore a matéria deles;
  • Lembrar sempre que quando falarem que algo está muito duro, é tudo que ela sempre diz, seja ela quem for...

Os amores e horrores de Michael Scott[editar]

Michael com aquela cara de "salvem-me" com a Jan em seu colo fazendo ele passar mais vergonha alheia do que o habitual.

Michael ao longo da série tenta desesperadamente encontrar seu amor. Tudo começou com o Ryan, que provavelmente foi o seu verdadeiro amor na série toda, mas acabou dando errado porque ele não era gay, nem o Ryan, apesar de ter beijado na boca do Oscar e viver com o Dwight fazendo até de mãe do filho melancia dele. Daí ele acabou apaixonado pela Jan Levinson, sua vice-presidente e chefa, que a princípio o odiava com todas as forças, mas no desespero pra ter um escravo sexual com muito dinheiro, ela acabou o seduzindo, até mesmo colocando silicone nos peitos pra o conquistar e aprisionar emocionalmente no relacionamento tóxico mais desgraçado que esse planeta já viu depois do meu.

Depois teve a Carol, que ele depois de nove encontros já achou que poderia casar com ela, sendo que a mina nem conhecia direito o cara - e quando conheceu... correu logo ao perceber que namorava um psicopata retardado. Posteriormente descolou uma "namorada" japonesa que era gêmea de outra que o Andy também tava "namorando", só que as japas achavam que eles eram guias turísticos, já que não entendiam porra nenhuma do que os "namorados" diziam e fugiram quando eles as levaram pro motel. Até a Meredith num natal tentou dar um presente bizarro pro Michael: a própria buceta, mas pelo visto o Michael podia estar carente, mas não maluco.

Michael, tal como você e eu, percebeu que só conseguiria namorar se fosse com uma maluca igual à Holly. Pena que no seu caso e no meu essa desgraçada não apareceu ainda...

Depois disso ele tentou fazer um daqueles encontro às cegas com uma velhota chamada Margareth, mas ao ver como ela era, ele saiu correndo como quem não quer nada. Até a Pam ele tentou beijar, mas levou um fora na mesma hora. Claro que ainda apareceu a Holly Flax na sua vida, uma mulher que parecia perfeita justamente por ser tão retardada quanto ele, mas aí o filho da puta do David Wallace simplesmente a transferiu na cara dura da empresa e ainda botou de volta o Toby pra o atormentar mais ainda.

Com a saída da Holly, ele teve que "se virar" com outras criaturas bizarras, como uma enfermeira aleatória que tirou sangue dele não é aquela gostosona que apareceu num outro episódio que eu nem vou colocar foto aqui pra depois cê não reclamar que a Desciclopédia te faz melecar o teclado do PC ou do celular e até a mãe da Pam, Helene, ele tentou namorar, mas ao descobrir que ela era mais velha que a tua mãe, deu tudo errado. A Pam, mesmo puta com o Michael, ainda apresentou uma tal de Julie, mas no meio do encontro ele fez um monte de merdas, que deixaram a dona do bar, Donna (não, não é trocadilho, é o nome dela mesmo, se eu quisesse fazer trocadilho diria "a Donna do bar"), que aparentemente "se apaixona" por ele, mas na realidade ela só usa o babaca do Michael pra fazer ciuminho no maridão dela.

Por fim, depois de muita choradeira, trouxeram de volta a Holly só pro Michael não ficar igual a um outro personagem do Steve Carell, chupando dedo até os quarenta anos de idade, e eles acabam casando e tendo muitos filhos juntos, mesmo isso sendo bem duro de dizer, sabe...

Cquote1.svg THAT'S WHAT SHE SAID! Cquote2.svg
Michael Scott sobre mim

Ah não, eu dei espaço pra ele fazer piadinha repetida, puta que pariu!