Nun

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Tubarão.jpg Este artigo é aquático!

E é especialista em natação. Se você vandalizar, ele te joga uma tsunami, então cuidado com os tubarões e não leia sem usar uma máscara de oxigênio.

Horus.jpg

Este artigo é egípcio! Ele foi escrito num pergaminho sagrado e seu escriba é um sacerdote mumificado.

Não profane este artigo, ou a maldição do Faraó irá cair sobre você!


Foi Nun, a água, que deu origem a tudo.

Cquote1.png Você quis dizer: Nunca? Cquote2.png
Google sobre Nun
Cquote1.png Experimente também: Rio Nilo Cquote2.png
Sugestão do Google para Nun
Cquote1.png Ah, nun sei! Cquote2.png
Algum palhaço sobre Nun

Nun descansando depois de criar uma ilhazinha.

Nun foi uma das primeiras divindades egípcias a aparecem pelas bandas do Universo dando origem a tudo que conhecemos hoje como Planeta Terra (ou pelo menos a parte mais líquida do nosso planetinha azul), sendo que isso aconteceu mais exatamente quando Neter, tentando bancar o bonzão, deixou o seu trono de todo poderoso do mundo (além de coçador de saco, já que não fazia porra nenhuma mesmo) e começou a fazer alguma coisa pela humanidade, começando assim a sua construção.

Como todo mundo sabe (se não sabe, deveria saber), Nun é uma das mais de oito mil partes de Neter, sendo esta parte a mais líquida da divindade e que ninguém sabe como saiu dele. Apesar de tal deus passar a forma de um meio líquido e a água se tratar de uma palavra do sexo feminino, isso não significa dizer que Nun era uma deusa. Para que fique bem claro, ela não tinha sexo, sendo assim totalmente impossibilitada de criar qualquer outra divindade, mesmo que fosse por cissiparidade (uma pena, pois poderíamos colocar uma imagem dela aqui).

Construindo o mundo[editar]

Uma Flor de Lótus. Foi uma desse tipo que deu origem a Rá.

Tudo era escuro e tenebroso, nada tinha forma e nem cor, a única coisa que se mexia no cosmo era Nun, uma parte líquida de Neter, que nem na primitiva Terra queria por os pés para não se sujar. Nun, depois de devorar uma bela pratada de feijoada com jiló, acabou soltando uma bufa, sendo que tal não foi qualquer coisa.

Como é de conhecimento de qualquer um, tudo o que os deuses fazem tem uma funcionalidade, mesmo que seja das mais nojentas. Tal bufa, criativamente, acabou dando origem a uma ilha (WTF? Provavelmente ela soltou uma bufa e fez o 2 ao mesmo tempo), que ficou cercada pelas águas de Nun. Nessa ilha, uma Flor de Lótus surgiu, sendo que dessa florzinha nasceu -ié-ié.

Rá, tendo sua vista embaçada pela escuridão provocada pela presença de Nun que o circundava, estalou os dedos e fez surgir o Sol, acabando com toda e qualquer escuridão de Nun (pelo menos durante o dia). Das lágrimas de Rá surgiu o princípio da humanidade e Nun, mesmo sendo esquecida por toda a história depois do nascimento de Rá, continua viva até hoje (ou não), fazendo sabe-se lá o que.

Negro como as águas do Nilo[editar]

Depois que Rá apareceu, o trabalho de Nun foi por água abaixo, literalmente falando.

Rá, com toda a sua sapiência, também é uma parte de Neter, sendo essa mais pomposa do que Nun, já que brilha como o Sol e chama mais a atenção. Ficou ao seu comando dar origem a muitos outros deuses, sendo que Nun continuou fazendo aquilo que somente ela poderia fazer, molhar as coisas. Foi dela a criação de todos os mares, rios, lagos, oceanos, olhos d'água e poças de lama, que surgiram ao serem misturadas com terra.

Cansada depois de tudo isso (assim como Deus depois de criar o mundo), ela resolveu descansar, em um lugar que oferecesse Sol (apesar de Nun não gostar muito desse brilho) e um grande espaço para lazer, o que não demorou muito para ser encontrado, já que a Terra toda nem sequer ainda era habitada (Rá demorou um pouco mais no seu trabalho de criar tudo).

O lugar escolhido para Nun descansar foi (logicamente) o Egito, pois se isso fosse a Mitologia Grega provavelmente ela escolheria a Grécia (O RLY?). Nesse lugar, Nun estendeu todo o seu corpo e descançou eternamente (eta preguiça), virando assim o famoso Rio Nilo, que continua a manter a cor de as suas águas negras afro-descendentes, como Nun era antes da chegada de Rá.


Ver também[editar]