Paper Mario: The Origami King

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Paper Mario: The Origami King é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Captain Falcon chega em trigésimo.

Mario Papel Higiênico 6: O emo
Paper Mario The Origami King cover.png

Capa da versão de Gamecube.

Informações
Desenvolvedor Sistema Inteligente
Publicador Nintendo
Ano coronavírus ano 2
Gênero Papel versus origami
Plataformas Nintendo Smitch
Avaliação 666% ou 69% (tive amnésia)
Idade para jogar Recomendado para cagões.

Cquote1.svg Au au au, ainda me sinto um cachorro Cquote2.svg
Toad depois de realizar um de seus fetiches.
Paper Mario: The Origami King é um jogo picotado e mais dobrado que seus antigos jogos. Ele é o sexto Paper Mario, e não muito diferente de seus antecessores, novamente tenta colocar Mario em mais uma cagada colorida (cópia de Color Splash), junto a um personagem secundário que tenta competir com Navi na personagem mais irritante dos jogos de videogame. Como o nome diz, desta vez Mario vai ter que arrebentar um rei origami, que obriga todos a virarem drag queen.

O jogo tenta dar uma diferenciada na mecânica, agora mudando de RPG para um aventura de comédia barata, que a propósito já deu o que tinha que dar. Ainda mais, fracassadamente "inovando" no sistema de batalha que apesar de ser mais rápido do que o jogo gay anterior, continua a ser uma grande perda de tempo, até porque nem XP existe nesse jogo.

Além disso, a narrativa do jogo é cheia de reviravoltas e com uma certa ação desnecessária, visto que esse jogo é mais parado do que fila do SUS, sem contar que ele insiste em meter uma criatura com amnésia em toda santa cena, ou então típicos personagens possuídos pelo cramunhão.

Jogabilidade[editar]

Sistema de batalha melhorado. Desta vez, Mario vai usar os poderes do precioso para acabar com a vilania.

Aqui, o jogo pode ser confundido com uma paródia de Dora, a Aventureira, já que diferente do resto de bosta da série, as batalhas, são uma grande encheção de linguiça. A premissa do jogo também exclui os solitários capítulos que faziam um Paper Mario decente, e agora ele está todo aberto, parecido com um GTA de fazenda ou algo do tipo, além disso, em cada cantão dos mundos, sempre tem um Shy Guy querendo te abusar segredo secretão (um bando de colecionáveis). O modo de batalha é ridiculamente e completamente desnecessário, uma verdadeira mafagafagem redundância que só acaba servindo para derrotar os chefes do jogo (meros objetos do cotidiano) como se fosse um show de luta livre. Mario finalmente saiu dessa vida de coletar cartas de Yu-Gi-Oh! ou figurinhas da copa e agora volta (ou quase volta) a coletar varetas (para enfiar no cu de quem tiver passando pela sua frente) e botas para dar em cabeças de Goombas e qualquer outro bicho medonho.

Coletável de número 69. Clique para ver sua descrição ao lado.

O jogo todo gira em torno do dinheiro, por isso tudo dá dinheiro. Desde catar Toads pelo mato, até em concertar os buracos pelo mundo, no qual se concerta com merda colorida. Com dinheiro, você pode comprar drogas, coisas ilegais e até subornar alguns Toads para enterrar os Goombas que você matou.

Olivia é a nova pé no saco, típica personagem mosca que fica seguindo o Mario em seu cu sua cueca. Uma cópia irritante de Cristina de Sticker Star e de HUE de Color Splash, e assim como esses personagens, é uma palhaça atrás da outra, que não se cansa de dizer o óbvio ou de rir de algum inimigo trouxa. Ainda sim, como se não fosse os coletáveis, e as batalhas com bichos com cara de bunda, Mario também tem que ir na casa da Mãe Joana coletar os espíritos de Pokémon para aí sim conseguir passar de uma fase. Por algum motivo, Olivia é a única que consegue soltar a franga o suficiente para virar um pokémon.

História[editar]

[editar]

Peach convidando Mario (e Luigi) para mais uma festinha. E no final, ganhar só um beijinho no narigão.

O jogo começa com Luigi dirigindo seu calhambeque junto a Mario que está no porta-luvas rumo a Toad Town para mais uma festa de suingue. Ao chegarem lá, os irmãos pensam que todos já estão no castelo se comendo e correm para o cabaré real. Luigi acaba esquecendo o presente da princesa e volta para busca-lo, enquanto Mario vai ao salão principal enrabar alguém. Lá ele encontra a Peach pronta para dar pra ele, mas antes ele precisa ser castrado, o que claramente Mario recusa. Ele então é predestinado a ficar para sempre numa sala de espera com uma temática de calabouço e escravidão. Esperando até morrer e com muito tesão, Mario vai a procura de uma saída, no meio do caminho tinha uma pedra ele encontra Olivia presa entre as dimensões do inferno numa parede, ele também descobre que tem o poder da mulher elástica que é de rasgar paredes, fazer vandalismo e causar o caos.

Vagando pelas tumbas do castelo, Mario e Olivia ouvem gemidos, e por um buraquinho olham inimigos dobrados metendo o pau nos personagens de papel, grampeando sua boca e fazendo-os de escravos. Assim que a orgia acaba ele entram no prostíbulo e encontram Bowser dobrado no pau-de-arara, libertando-o dessa tortura.

Saindo pela torre do castelo, Mario dá de frente com a Peach possuída e seus miguxos, levando-o a uma batalha, depois de dar um sacode nessas baratinhas, Olly se revela gay uma bicha má e diz que será a rainha o rei dono do Reino dos Cogumelos, transformando Mario e seus aliados em confete.

Contudo, Olly começa seu ritual de queima rosca, invocando cinco serpentinas do além para embrulhar o castelo de Peach (transformando num presente pra si) e levá-lo para o espaço. Porém o que parecia ser o início do carnaval, acaba sendo uma cilada para os heróis. Mario, Olivia e Bowser escapam no possante voador de Bowser, pilotado por um Shy Guy qualquer. Vendo o chapéu do Luigi cair na fundação do castelo, eles voltam para resgatar a sombra do Mario, mas acabam levando um arrastão da fita vermelha e se separam. Bowser acaba caindo no cu do mundo enquanto Olly coloca o castelo da Peach em cima de uma montanha de bosta.

Serpentina Vermelha[editar]

Esse artigo é patrocinado por Softy's.

Mario e Olivia acabam caindo na Floresta dos Sussurros, uma floresta em que árvores falantes ficam te assediando na caruda. Lá eles encontram o Ol' Grandsappy, uma árvore mais velha que o universo, e que não consegue levantar a sua pipa, Mario ajuda o velho tentando encontrar um viagra pela floresta. Depois de encontrar o azulzinho, e testemunhar um show da broadway, o idoso vira uma sequoia e liberta os heróis que estavam com labirintite, devido ao longo trajeto pelo seringal.

O bigodudo finalmente chega a Toad Town, e descobre que finalmente deve usar os seus super poderes de encanador, para adentrar ao esgoto e passar para o outro lado, tudo porque uma ponte explodiu quando Olly resolveu dar piti no bordel ao lado. Em Toad Town o jogador encontra os Paper Macho Goomba, goombas muito machos feito com papel higiênico molhado.

Depois de melecar o fiofó e se aventurar pelos esgotos da cidade fúngica dos Toads, Mario e Olivia chegam a primeira Rota na Picnic Road, lá eles encontram koopas crentes que acreditam no Earth Vollumental, uma tartaruga que tem o poder da terra e criar aterros sanitários, no entanto, a igreja do Bulbassauro está trancando e precisa de 4 bolas para ser aberto. Depois de recuperar a merda toda, e lutar com o vollumental atacando o rabo da criatura. Olivia consegue o Torterra e vai a Overlook Mountain, um cume, onde no fim dele está uma lojinha de souvenires onde está a serpentina.

Serpentina vermelha antes de passar por uma troca de cor.

Chegando à torre, os heróis preguiçosos pegam o elevador para ir ao observatório da torre. Pela graça do jogador, o elevador é atacado com mísseis coloridos de cima a baixo, fazendo o elevador cair e fazer os heróis morrerem de combustão. Porém como o papel desse jogo é indestrutível, eles apenas voltam ao primeiro andar, agora subindo as infinitas escadas.

As escadas também levam o jogador a vários locais da torre como a cozinha, que está infestada de baratas, e o restaurante ao ar livre, onde Mario novamente é confundido com as torres gêmeas, e é bombardeado de novo. Chegando no topo da torre, conhecemos o Jean Pierre 12º, um estojo de lápis que acha que Mario é uma arte abstrata horrorosa. Contudo, é Mario que retoca a cara do afrancesado, assim destruindo o primeiro rolo de serpentina comprado no Mercado Livre.

Serpentina Azul[editar]

Leves diferenças entre esse e o melhor jogo da série.
(clique para ampliar)

Depois que a serpentina vermelha se foi, o teleférico está livre e agora Mario e Olivia podem ir ao Cristo Redentor Autumn Mountain onde a serpentina azul está. No trajeto da montanha, os heróis conhecem Bobby, uma bomba que está com amnésia e que adentra na Party do bigodudo para descobrir o que ele fez na noite anterior. Ao chegarem na montanha do outono, a primeira coisa que você precisa fazer é fechar os olhos, já que essa montanha feita de cores de laranja vai te cegar, mas no entanto Bobby fica parecendo um cachorro feliz e decide ir conversar com os inimigos para puxar o saco se enturmar, fazendo você batalhar trocentas vezes inutilmente.

Nessa montanha, Bobby se perde umas 10 vezes e depois de procura-lo em uma festa de comida enlatada com um mexicano, Mario coloca Bobby em sua cueca e vai a procura do vollumental da água para apagar o fogo da Olivia encher um lago que sofreu nas mãos do sol dos Teletubbies. Depois de ir a mansão super ultra chiquérrima do dragão aguado e dar uma surra nele, os heróis partem para a puta que te pariu o lago e fazem uma viagem de barco para algum lugar.

Eles chegam no Shogun Studios, uma versão japonesa do Disneylandia, Olivia como sempre insiste em ir no parque e eles vão lá encher linguiça. Vendo que o parque está vazio os personagens vão embora começam a caçada para procurar uma alma viva por lá, e aí começa o escambau, uma troca infernal entre os personagens secundários, só para conseguir encontrar a chave do poder que abrirá o cu do Mario castelo Rá-Tim-Bum.

Entrando no castelo, os personagens assistem 3 peças de teatro [1], a primeira delas é uma encenação porca do Pistoleiro Papaco, sendo que Mario foi convocado para atuar os personagens principais, a segunda é uma peça romântica, um típico duelo de caras que batalham por uma mina (que no caso é a travesti da Birdo)[2], e a última peça que é um balé de Shy Guys onde Mario liga o foda-se e mata todos eles.

No fim, o chefe dessa serpentina é revelado, um boneco voodoo feito de elásticos que é mais viada que a Birdo. Depois de destruído a turma comemora a vitória com fogos de artifício e por algum milagre, Bobby se cura do Alzheimer.

Serpentina Amarela[editar]

Olivia em algum momento dessa história.
Dica: Ela está debaixo disso.[3]

Destruindo a serpentina da alegria, faz com que o trio siga o rio e chegue em Sweetpaper Valley, uma mina, lá King Olly dá as caras e diz que a festa do kamasutra já acabou e que o pessoal não poderá passar, Olivia se achando a última bolacha do pacote vai a briga e diz umas e outras para o seu irmão emo, mas mesmo antes de abrir a boca é esmagada com um pedra sem dó nem piedade.

Mario e Bobby, vão ao Great Sea do Wind Waker para aproveitar as férias sem a chata da Navi, lá eles chegam a barco da Peach e são atacados por um Blooper acima do peso. Depois de matar a lula lé lé, Bobby finalmente conta o real motivo de ir ao mar, dizendo que precisava pegar a sua chupeta para chupar alguma coisa enquanto anda ajudar Mario a tirar Olivia das dimensões.

Bobby acaba cometendo suicídio e explode a pedra para livrar Olivia. Depois da choradeira da Olivia por Bobby numa mina de toupeiras, os dois chegam ao deserto tentando encontrar a serpentina amarela. No deserto eles encontram a Las Vegas dos Snifits, personagens iguais os Shy Guys só que mais tarados, lá eles falam com o Professor Toad (o novo miguxo da turma), o fanático por múmias e tumbas, depois de encontrar mais um pokémon, desta vez uma galinha de fogo, que ajudará a iluminar 4 torres que parecem como pênis gigantes pelo deserto, quando todos os pintos estão acesos, a pirâmide de Tutankhamon vai sucumbir ao solo.

Foto em tributo ao Bobby.

Dentro, os heróis fazem um tour na casa do defunto, no salão principal eles encontram uma festa com DJ e tudo. Em resumo, Mario tem que procurar por 40 toads sem cara para requebrar o popô na pista de dança e assim o chefe se revelar e o Mario dar uns sopapos nele. De primeira você pode se confundir com um grampeador, mas o chefe é um furador, afinal quem usa furador hoje em dia? Emfim, depois de mandar esse furador para lata de lixo, a serpentina amarela é mandada para o chefe snifit para fazer um miojo para os andarilhos do deserto.

Mas como esse jogo inventa história, a fita libera um cheiro de peido tão forte que o Capitão T. Ode acorda de sua hibernação, esse capitão que era erroneamente chamado de Khap'taan Teeowed pelo Porfessor Toad, é o Capitão Gay um tipo de capitão dos mares que não tem o fazer e só fica enchendo o saco na próxima serpentina.

Serpentina Roxa[editar]

Sempre é uma alegria quando se passa de um nível escroto como esse.

Voltando para o Toad Town, o Capitão T. Ode vai ao museu para reivindicar o seu submarino amarelo, depois que ele é roubado de lá, Mario, Olivia e o capitão vão ao alto mar para encontrar a serpentina mais chata de todas. O capitão dá aos jogadores o mapa do tesouro, mas sem um X, fazendo você ter que ir procurar além dos tesouros por novas ilhas, afinal não é à toa que o Mario é o personagem mais superestimado dessa parada, já que até explorador ele é.

Existem inúmeras ilhas, mas as mais importantes são as em formato de bosta naipes de jogo de baralho, dentro dessas ilhas o jogador passa por vários desafios que testam a sua paciência, sempre pra no final uma estátua grega dar a dica do dia. Depois de se afogar pelo alto mar, o jogador vai a procura de Atlantis para encontrar o Ice Vollumental, um urso polar, ou melhor dizendo um Avalugg. Ainda em Atlantis, Mario vai fazer mais uns desafios pé no saco para provar sua inscrição no SUS coragem (um show de reflexos), poder (speedrun) e sua sabedoria (um quiz, provavelmente do buzzfeed). Depois de vencer essa joça, Mario ganha 3 bolas de gude para jogar em suas horas vagas, além também fazer abrir a torre do diabo.

No canto do mapa, você vai encontrar uma torre que só vai se abrir se um plug anal estiver em um anal, como Olivia já se encontra no fiofó do Mario praticamente em 99% do jogo, isso também conta, então a porta se abre. A torre é novamente entulhada de lixo desafios, onde tem típicos quebra-cabeças para aumentar o tempo de jogo, já metade dele pode ser pulado. Depois de subir (de escadas de novo) a torre, o vilão dessa vez é um rolo de fita adesiva, aquelas vagabundas de 1,99 bem fininha transparente. Depois de derrota-lo, Mario destrói a serpentina roxa, que mais parece rosa, e agora só falta apenas mais uma.

Serpentina Verde[editar]

Terminando com a última serpentina no alto da torre, um portal surge para mandar os heróis ao céu, pois eles morreram a serpentina verde está lá. Eles chegam então em Shangri-Spa, um motel/spa que organizado por Toads cupidos (que não se encontram pelados), mas que não tem cor, ou seja, são assexuais. Mario e Olivia ganham 4 banhos de graça no spa, mas em troca eles concertam 3 dessas banheiras de hidromassagem.

Depois de passar pelo primeiro açude, Mario encontra Kamek, o mago da turma, ele diz que o castelo do Bowser agora está igual fundo de quintal, todo destruído no buffet do Shangri-Spa. Mario, Olivia e Kamek vão ao castelo do Bowser, mas são interrompidos por uma tartaruga (que não é o Bowser), enquanto isso Bowser Jr. está passeando com o seu carro de palhaço, e os personagens pedem a ele para driblar a tartaruga com o possante dele, mas Bowser Jr. é lerdo (igual o pai) e é picotado por uma tesoura. Tentando reconstruir as migalhas de papel que ainda sobraram do Bowser Jr., Kamek leva ele a uma banheira de hidromassagem, concertando a criança, mas ainda está todo amassado e com uma freada.

Chain Chomp e seus pets. Aqui Mario sente na pele o que é ser esmagado por um saco de batatas.

Depois de concertar algumas banheiras, Bowser Jr. perde a cor fazendo cosplay de gasparzinho, para reverter essa maldição, Mario vai a mata para ir na última dessas águas quentinhas, dentro dessa mata, Mario vai ter que ser rápido o suficiente para fugir de um Chain Chomp selvagem em tempo de cio, escolher entre os caminhos de Kamek ou Olivia e se mostrar um verdadeiro amigo a mesma ou um traidor e sucumbir a persuasão de Kamek, além de salvar seus miguxos de se perderem por aí e começarem a ficar loucos e comer urtiga.

Só sei que no fim desse alvoroço todo, de passar por trocentos poços d'água, Mario consegue um desconto para ir ao poço colorido, mas antes ele vai ter que responder algumas perguntas no quiz dos snifits, um quiz mega chato que tem em todos os jogos da série, mas depois de passar por esse reality show de meia tigela, Bowser Jr. volta com suas cores e agora o pessoal pode entrar no palacete do Bowser.

Destruindo a tartaruga com voyeurismo, a que guardava caixão na porta do castelo do Bowser, os heróis (e seus arqui-inimigos) adentram ao castelo e encontram os bicho tudo à solta fazendo a festa, comendo, se embebedando, se embreagando, etc. A festa vira num barraco quando Kamek chama seus lacaios para lutarem até a morte contra os bichos dobrados, enquanto isso os heróis vão a sala do trono, e ao verem que a porta está trancada, vão aos aposentos de Kamek para fazer um ménage à trois encontra a chave do salão real.

xeretando o castelo, antes de chegar ao quarto do Kamek, Kamek e Olivia são capturado por sei lá quem, Mario continua a sua jornada sozinho e todo cagado, e depois de encontrar o Luigi, e mais uma vez dizer que encontrou a chave para o castelo da Peach (só que era do Bowser, mas pelo menos a chave era de um castelo), Mario descobre que quem pegou Olivia era uma Handaconda, personagens pretos, amadores do fio-terra. Depois de vencer com uma simples competição de pedra, papel e tesoura, Mario vai a luta com o Tesourão, aquele que corta o teu botão, mas antes recebe um aquecimento do mesmo em uma batalha com os restos mortais do exército do Bowser.

Finalmente depois de destruir a tesoura queimando-a com fogo e largando as suas cinzas em um terreno baldio, todos são restaurados e Mario e Olivia novamente salvam o dia destroem mais uma serpentina, liberando o caminho para o castelo da Peach.

Castelo Origami[editar]

Bowser na sua forma de cafetão real. Feita para chamar atenção das e-girls e e-boys.

Depois de ser desencarcerado pela setuagésima nonagésima vez, Bowser tem a brilhante ideia de ir em para o castelo da Peach à barco voador, deixando Mario e Olivia nos acentos VIP da aeronave (só dessa vez). Depois de chamar o seu esquadrão de bob-bomb e os seus borra-botas para o airship do Bowser, a viagem começa. Mas como sempre, Dollyinho Olly ataca o dirigível de papel e aí inicia uma guerra de granadas.

Como Bowser não está de TPM, ele deixa você usar o seu secretão, um canhão capaz de atirar bolas de gude, que servem para atirar nos jatos de Olly. Mas, como tudo nesse jogo é de cunho cuja a vitória é puramente feita para te fazer de trouxa, Olly atropela o barco voador de Bowser, fazendo-o cair quase acima do castelo da Peach, mais precisamente dendo do vulcão. Nesse vulcão uma horda de Goombas Machos fazem uma maratona para pegar o Mario, enquanto Bowser Jr. e Kamek fazem uma cena miada de sacrifício achando que estão num circo.

No fim, ao chegar no castelo, Olly faz uns retoques na arquitetura medieval do cafofo de Peach, transformando-o em um castelo feito de papelão, que não tem porra nenhuma. O primeiro inimigo é um grampeador cachorro que transformava todos em origamis, quando destruído, Bowser volta a ser um papel, já o segundo é o próprio Olly, o personagem mais chato do jogo e que por algum motivo tem 3 formas.

A primeira forma é uma batalha comum apenas para encher o saco, onde o jogador terá que convocar todos os pokémon para morder o rabo do origami rei. Depois disso, Olly vai se transformar em diva, e ele e o Bowser vão começar uma lutinha de tapas, enquanto você tenta fazer uma simulação de terremoto para empurrar Olly para o infinito e além. Quando Mario e Bowser finalmente derrubam Olly, ele volta, e agora cabe a Olivia para novamente se transformar em pokémon para dar uns tabefes no seu irmão.

Final alternativo, no qual os personagens vão para o mundo da Hello Kitty.

Em um momento entre a vida e a morte, Olly não demonstra ser um perdedor, por isso manda a Olivia transforma-lo num patinho de Origami e pedir para que faça um desejo, ela por sua vez, deseja que ele morra e nunca mais fosse uma ninfeta pintosa, tanto Olly quanto Olivia acabam voando para o céu como se fossem migalhas de um biscoito velho.

Mario e o resto do Reino do Cogumelo festejam com fogos de artificio a morte dos Origamis. Depois os créditos rolam enquanto Mario e Luigi voltam pra casa embriagados no calhambeque do Luigi.

Personagens[editar]

  • Luigi: Irmão do Mario, desaparece na primeira cena do jogo. Vive o jogo inteiro tentando procurar a chave do castelo da Peach, para na teoria sair dele, só que depois de pegar até a chave-de-cadeia, Luigi descobre que o castelo da Peach está só o pó e decide encontrar a chave dos peitos do castelo da Daisy.
  • Olly: É uma bicha louca que um dia acorda e decidiu dominar o mundo e outras trocentas pessoas (Toads e o escambau) e vira o Reino dos Cogumelos do avesso, mandando o castelo da Peach para o cu de Judas. Olly, diferente de sua irmã, tem o pinto pequeno, pois para mostrar sua masculinidade teve que dar uma de Bowser. Birdo é sua maior .
  • Olivia: Irmã do emo acima, companheira e puxa saco do Mario em toda a sua aventura. Uma personagem que parece um ovo de tão amarela que é e uma verdadeira metralhadora de bosta. Olívia é a o único origami que não quer te matar, visto que ela não quer praticar incesto com seu irmão. Além de ter um senso de humor de uma criança de 2 anos, é a personagem que mais tem personalidade do jogo, já que o Mario nem voz tem.

Referências[editar]

  1. Sem contar que um bando de Toads estão amordaçados nas poltronas do teatro (BDSM).
  2. Birdo é a única personagem que quer beijar Mario nesse jogo, (Mario não deixa).
  3. Perceba que Mario está tentando empurrar a pedra morro a baixo.