Preistechu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Preistechu é um vidiogueime da Sony, que apareceu em Uruguaiana em meados de 1996. Extremamente popular, é tido como o grande responsável pelo término da vida social de milhares de nerds e vagabundos no Brasil. Desde o seu surgimento até hoje (encontrado em lixeiras, tipo a feira de Duque de Caxias), o Presteichu vendeu pra caralho.

O vidiogueime fora seguido do Preistechu Um (uma versão filha-da-putamente vagabunda), Preistechu 2, Presteichu Portable (uma lenda, pois só existe em Saturno), e o Presteichu 3 (só existe nos Estados Unidos, ou seja, em Netuno).

História[editar]

O Prestechu

A origem do Preisteichu remonta à 1500, quando Pedro Alvares Cabral trouxe de Portugal, além de dezenas de portugueses filhos-da-puta, um aparelho para fuder a Nintendo que planejava um acessório de CD para o Super Nintendo. Como o aparelho era produzido por poutugueses, ou seja, uma merda, a Sony fora acionada para fabricar o acessório, aposentando assim a Telefunken,principal investidora do console. Mas depois de vários desentendimentos sexuais entre as amantes, a Nintendo optou por trocar a Sony pela Philips, que além de máscula, faz excelentes aparelhos de barbear. O aparelho já se encontrava em avançado desenvolvimento e a Sony decidiu lançá-lo no mercado como um console de videogame independente, fazendo esse anúncio em 1503. A Nintendo tentou medidas judiciais para impedir o lançamento e a fabricação, mas perdeu em várias instâncias na Angola, Manchúria e na Guiana Francesa. Com o lançamento em 1995, a maioria dos jogos disponíveis foram bem-vendidos (President Evil, Uinin-elevem, entre outros). Logo a maioria dos fabricantes resolveu apoiar a Sony, visto que a Nintendo, tão teimosa quanto uma mula, manteria a produção dos cartuchos. Cerca de 14.546,5 jogos foram lançados para o PlayStation.

O Preistechu como é conhecido no Brasil, surgiu no Paraguai, quando biólogos tiveram a brilhante ideia de transformar o Playstation em viveiro para planárias. Acidentalmente, Arce, um lateral direito que jogou no Palmeiras, inseriu um CD copiado (que não era conhecido como pirata, pois ainda apresentava os dois globos oculares e não havia amputado nenhum membro) em um Playstation viveiro para transformá-lo em pipoca quando aconteceu um fenômeno que culminou com o fim da vida social de milhares de brasileiros, assim como a continuidade dos seus respectivos cabaços e o cultivo em massa da fimose: o vidiogueime 'rodou' o jogo copiado (que perdeu a perna direita, assim como o globo ocular esquerdo, no processo milagroso). A paitir daí, os biólogos paraguaios, como não tinha para quem vender seu novo 'consolo' (seus habitantes não apresentavam QI suficiente para ligá-lo), encontraram consumidores no país vizinho, o Brasil, uma republiqueta de merda, onde seus habitantes apresentam QI suficiente para ligar o 'consolo', mas não para votar em um presidente alfabetizado. Mandaram toda aquela remessa de aparelhos para Uruguaiana, que já apresentava uma clientela ridiculamente podre, financeira e espiritualmente.

Em 23 de Março de 2006, a Sony anunciou o fim da produção do PlayStation. Os jogos já haviam deixados de serem produzidos desde 2004. Mas o Preistechu ainda é produzido no Brasil, só não se sabe onde, e vendido (ou encontrado) em lixos espalhados pelo país.

Versões[editar]

O primeiro Preistechu 'tunado', o "Preistechu Um" com um quadro-negro acoplado em sua bunda. O primeiro Preistechu ou Prei possui um estilo típico para sua época, uma "caixa" cinza-sujo composta de uma unidade leitora de CD, vulgarmente chamado de "leitor" e buracos para os memoricardis (cartuchinhos que "salvam" o jogo) e entradas para jostiques. O consolo ficou menor depois de um tempo e foi batizado como "Preistechu Um".

Portugal e Brasil[editar]

Um dos mais divertidos jogos para Preistechu

Em Portugal, todos os consoles PlayStation são distribuídos oficialmente pela Sony do Suriname, tendo sido anteriormente distribuídas pelo PT com autorização da Sony Australiana. Há postos de assistência técnica, médica e odontológica espalhados por todo país, linha direta de apoio consumidor e jogos vendidos (oficialmente) segundo o calendário europeu de lançamentos.

No Brasil, o Playstation não foi vendido oficialmente por que a Sony não se dispôs a concorrer com o Preistechu, ao contrário de suas concorrentes Sega,Tec Toy e Nintendo: o presidente da Sony Brasil, Toha Yamachi, disse em duas oportunidades, confidenciadas na alcova, que o Preistechu é imbatível "no bagulho" e que na mão, não dá.

Especificações[editar]

  • Unidade Central de Processamento|CPU: roda geral
  • GPU 3D: vixi...
  • GPU: é 'nóis'.
  • Som: foda.
  • Memória: boa pra caralho.
  • CD: Toca a porra toda!
  • Multiplayer: dá pra bater vários campeonatos de Uinin-Elevem

Sucessores[editar]

Atualmente fabricado na sua segunda versão, o Preistechu 2 foi lançado não se sabe quando com a promessa de extrair o máximo de massa encefálica pelas pontas dos dedos dos viciados em vidiogueime, pois possui a capacidade de tocar filmes em DVD e competir com os modernos jogos de computadores 3D, tipo Contestraique. A segunda versão também ficou menor, ficando 60% 'mais pequeno' e chamado de Preistechu 2 Fininho.Os maiores concorrentes do Preistechu 2 são o Xisbocse e a maconha, porém a superioridade de vendas é do Prei 2 é sinistra.

A Sony lançou lá fora o Playstation 3, só que o mesmo ainda não tem uma versão digi-evoluída aqui no Brasil.

Ver também[editar]