Rio de Janeiro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Disambug.png Nota: Se procura o estado papa-goiaba, consulte Rio de Janeiro (estado).
Hell de Janeiro
Favela do Brasil
Rio de Janeiro imaginario e real.jpg
Como o Rio de Janeiro é na real
Símbolos
Bandeira rj.jpg
Flamengo-RJ (BRA).png
Bandeira Brasão
Apelido(s) "Cidade (Nada) Maravilhosa"
Gentílico folgado
Localização
Brazil Rio de Janeiro Rio de Janeiro location map.svg
Localização do Rio de Janeiro no Rio de Janeiro
País Brasil
Estado de calamidade pública
Municípios limítrofes Um monte de cidades da Baixada Fluminense (vulgo cu do mundo)
Distância até a capital costumava ser 0 km, mas o presidente mudou a capital pra Brasília, então agora são uns bons 700 km.
História
Fundação 1 de março de 1565 (455 anos)
Aniversário 1° de março (todas as obras são inauguradas nesse dia, mesmo inacabadas)
Administração
Prefeito(a) Fernandinho Beira-Mar (CV)
Característica geográficas
Área total grande demais para o meu gosto, fiquei preso na Av. Brasil de novo!
População
total

(estatísticas
IBGE 2019)
6 milhões de chimpanzés com cabelo pintado de loiro e aparelho dental colorido
Clima tenso, cheio de bala perdida
Fuso horário Hora de Brasília (UTC-3)
Indicadores
IDH
(PNUD/2010)
caminhando pra ser o pior do Brasil
PIB
(IBGE/2016)
R$ 0.000.000,00 (foi usado pra fazer as Olimpíadas)
PIB per capita
(IBGE/2020)
R$ 600
(auxílio emergencial)
Outras informações
Padroeiro(a) Ogum
Sítio www.flamengo.com.br
Cristo Refém-dor com medo de traficantes.
Uma cena típica no Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro (ou Rio de Xana, para enfatizar seu aspecto turístico) é a maior favela com praia do Brasil, capital do país na visão dos gringos e na imaginação dos cariocas e dos paraíbas que assistem às novelas da Globo, e também motivo de vergonha para o restante do estado homônimo, que passa o vexame de ser confundido com o povo da capital por pessoas de outros estados. Na verdade, é motivo de vergonha para qualquer brasileiro que viva no exterior ou que frequente sites de namoro virtual em inglês, já que o Rio passa ao mundo a imagem do brasileiro como um Zé droguinha simiesco, funkeiro e que faz supletivo. Por esta razão, nos últimos anos diversas páginas de facebook vêm buscando expulsar o Rio de Janeiro do país, o que garante à cidade o título de localidade mais odiada do Brasil, atrás apenas do Nordeste quando o PT vence as eleições.

O pujante mercado de cocaína e crack tem alavancado a economia do município nas últimas décadas, sendo reconhecido junto de Medellín, La Paz e Cidade do México como superpotência continental do tráfico de drogas, que fornece emprego para a maior parte da população infanto-juvenil carioca, além de abarcar grandes multinacionais do ramo, como o Comando Vermelho e os Amigos dos Amigos. Desde 2006, o Rio também serve de capital para o estado de Minas Gerais, quando o governador Aécio Neves transferiu a sede do governo mineiro para o Leblon. Já outros setores mais tradicionais da economia carioca ainda incluem a prostituição com mão-de-obra qualificada (notória pelas bundas femininas de tamanho extra grande, muitas vezes feitas sob medida). Mais recentemente, em 2015, a Dolly transferiu suas fábricas do Rio Tietê, em São Paulo, para a Baía de Guanabara, no Rio, devido à maior presença de coliformes fecais nas águas da baía fluminense.[1][2]

Entre as grandes contribuições da Cidade Maravilhosa[carece de fontes] para a cultura brasileira estão o calendário carioca, que estabeleceu o início do ano apenas para depois do carnaval; a pizza de ketchup, adorada pelos paulistas; o funk carioca, com suas letras românticas; a excelência no ensino básico, vulgo aprovação automática, inventada pelo ex-prefeito Seu Barriga; a excelência no ensino superior, contemplado por universidades do nível da Estácio de Sá; o feudalismo na administração dos morros, inspirado num sistema já testado em países europeus; o carioquês, considerado o dialeto favorito dos assaltantes e flanelinhas. O povo carioca também é famoso pela sua hospitalidade, mas é sempre bom que o turista tome cuidado com o celular.

Em 2016, a capital fluminense sediou os Jogos Olímpicos de Verão, primeira edição do evento na América do Sul - antes dos argentinos - graças aos esforços diplomáticos do ex-presidente Lula. As obras realizadas no período trouxeram um grande legado olímpico para as contas bancárias do prefeito Eduardo Paes e dos ex-governadores Sérgio Cabral e Pezão, além de aumentar o fluxo de turistas na cidade, para servir de presas aos bandidos locais.

Clima

O clima é de medo e terror com chances de trovoadas de balas de AK-47 à qualquer momento, e as temperaturas são amenas. A temperaturas média é de 60°C no inverno e 78°C no verão. As chuvas no Rio de Janeiro são esparsas e de calibre variado.

Demografia

O total de habitantes é de 6 milhões, 666 mil e 666,66 habitantes. 0,6% desse total são moradores dos bairros sofisticados da cidade, como Ipanema e Leblon. A maior parte da população vive no subúrbio ou em favelas. Outros 66% da população são de turistas. O resto está dividido entre dengue, que ocupa 5,3%, marginais, com uma percentagem desconhecida (talvez a soma de tudo) e atores e atrizes com 7,7%. Durante a época de festas de fim de ano e carnaval, o número total pode chegar a 66 milhões. Nesta época, medidas de controle populacional são tomadas: chacinas, dengue, ações policiais em favelas e jogos do Flamengo sem segurança ocorrem no intuito de reduzir a densidade demográfica da cidade. Especificamente no carnaval, o governo distribui camisinhas que romperão durante o intercurso sexual, promovendo assim a disseminação de DSTs. O governo estuda o cancelamento desta medida, uma vez que 9 meses depois a população parece dobrar.

O Carioca

Típico cidadão carioca.

Não passam de pobres, negros de cabelo loiro que andam com bazucas e ficam tomando banho de "burraxa na laje". 100% dos cariocas gostam de praia, porém há duas espécies diferentes: cariocux laboriosus vagabundux e cariocux vagabundux vagabunduxxx. Os dois são naturalmente vagabundux, mas o primeiro migra para estados onde não existam praiax, afastando-se assim da tentação de trabalhar. O carioca é conhecido por considerar-se o mais ixperto de todos os habitantes dos 152 universos conhecidos. São conhecidos por ser um dos povos mais bairristas do Brasil, e amam dizer que o Rio é a "Cidade Maravilhosa", somente para competir com os paulistanos. Apodrecem o resto do Brasil com a sua cultura barata e imoral, tal como o funk que apenas exalta o poder dos favelados e a sua sede pela xoxota das cocotas.

A Carioca

Uma favelada cidadã carioca curtindo uma praia no fim de semana.

Meninas de 13 anos que já deram para a metade do morro, negras de cabelo duro que dão por poder do “dono da boca” (meninos de 13 anos também) Sua rotina é ficar tomando sol na laje de biquíni enfiado na bunda para se preparar para ir ao baile funk, ponto máximo de encontro entre os cariocas e onde ocorre o acasalamento. Entre o seu dialeto só se encontram palavras do tipo:

Coée tio sou seu lanchinho ou não?

Quem comanda a cidade?

Cquote1.svg No Rio de Janeiro, você nem precisa esperar Cosme e Damião pra ganhar bala. Cquote2.svg
Gil Brother sobre Rio de Janeiro

Ao contrário de São Paulo, aqui os bairros ricos que cercam as favelas.

O Comando Vermelho, como o nome diz, comanda a cidade - principalmente através de sua principal filial esportiva, o Comando Vermelho e Preto, uma instituição criminosa futebolística com muito mais bandidos afiliados que a própria facção original. O governo carioca é feudal. Os traficantes controlam a vida cotidiana da cidade: fiscalizam o comércio, fechando em feriados de última hora, quando um traficante morre; cobrando impostos através de assaltos e sequestros; administrando o trânsito com falsas-blitz; prendendo, julgando, condenando e executando a pena de cidadãos não comprometidos com a confusão estabelecida. Na verdade, não passam de emos irritados com a própria mãe, que agora se renderam ao tráfico, e pensam que são reis com armas na mão aterrorizando pais de família e comendo cocotas. Em sua maioria, são garotos analfabetos de 13 anos que passam o dia todo na boca correndo dos policiais.
No nível religioso, várias igrejas disputam o controle pela alma financeira dos fiéis (Enriquecer em Cristo, Igreja Universal do Dinheiro de Deus, entre outras). Estas religiões capitalistas conseguem muito dinheiro vendendo terrenos no céu (um lugar onde não existem balas perdidas, assaltos, favelas, explosões, casal-garotinho e paulistas).
Outras corporações cuidam de outras esferas da vida social: a rede Bobo é a matriz do PUM (pensamento único da mídia) carioca.
O Rio de Janeiro também tem políticos, mas diferentemente dos traficantes (que roubam e governam a cidade), os políticos cariocas se limitam ao roubo. Os traficantes também patrocionam esporte do arrastão, quando eles próprios não o praticam.

Transporte Urbano

típico ônibus que circula os bairros do Rio de Janeiro

Carroças, charretes e sandálias sujas havaianas são o principal meio de condução do carioca. O metrô é uma ilusão que alguns chamam de transporte de massa. Alguns táxis amarelos (tentativa de cópia dos táxis de Nova York) circulam pela cidade, mas tomá-los é por sua conta e risco - e da sua seguradora também, mas de modo geral o carioca não tem dinheiro para isso, por isso vai na canela mesmo, ou buzões queimados. Na ausência de qualquer um dos meio de transporte relatados anteriormente é só entrar em contato com 190 e chamar o caveirão. É a polícia gerando fortes emoções e sempre pronta para atendê-lo.

Esportes

Símbolo dos Jogos Panamericanos de 2007, no Rio de Janeiro.

O carioca adora corrida com obstáculos, modalidade conhecida localmente como arrastão. A prática de tiro também é muito difundida entre os habitantes da favela e sucesso de diversão entre as crianças, depois de um churrasco na laje. Rinhas de galo e jogo-do-bicho são os esportes mais tradicionais da cidade. Os cariocas adoram muito todas as corridas de fundo. Quanto mais fundo, melhor. Salto-na-vara também é praticado pelos executivos enrustidos da cidade. A prática é estimulada nas escolas. Mas o carioca adora mesmo é o futebol, apesar dos seus times sequer terem um estádio próprio decente e seus principais astros serem exportados para a Europa. O Maracanã, palco da desgraça de 1950, pertence ao estado do RJ, e adivinhe quem paga a conta? Você, idiota! (que paga também pelas constantes reformas para consertar os estragos causados pela torcida do Comando Vermelho e Preto. Até os Jogos Rouboamericanos de 2007 era o único estádio mais ou menos da cidade. Agora, com o Engenhão, a cidade pode se orgulhar de ter um dos melhores estádios do Brasil. Até 2010, data em que o matemático Oswald de Souza previu como sendo o prazo de validade do estádio. A partir desta data o estádio vai se decompor até 2013, quando o RJ receberá verbas superfaturadas do governo federal para reformá-lo. E é claro que você, idiota e carioca, é quem vai pagar a conta.

Futebol

Um cidadão americano caga uma fla-merda no vasco sanitário e depois bostafogo no banheiro para o cidadão fluminense limpar.

É incrível como toda essa raça se acha superior, e ainda tem orgulho de torcer para times como Vasco Fluminense Botafogo e Flamengo, pois tais times nunca conseguem um título sequer. Um bando de bichichas vorazes que ainda se orgulham de seu péssimo desempenho no futebol. Jogos com clubes cariocas são verdadeiros espetáculos bizarros, onde o gol típico é algo grotesco (mas que para o carioca é um golaço). Normalmente acontece algo como: o zagueiro chuta a bola, ela acerta o juiz, sobe, volta em diração ao gol, sobem três zagueiros tentando tirar junto com uns dois atacantes do time adversário, a bola vai em diração à lateral, chega um, cruza, uns pulam, outros tentam cortar, a bola bate em todo mundo, o zagueiro dá um carrinho junto com o atacante adversário e a bola vai para o gol.

Times

Entendendo os times com Harry Potter:

Isso é o que dá tentar esquiar na bacia de Guanabara.
  • Sonserina é o Clube de Arregadas do Flamengo: Time (casa) nojento, que todos os adversários odeiam e que possui apenas torcedores de classe baixa, bandidos de toda espécie (vilões) e metidos (o que, resumindo, praticamente corresponde à população inteira da cidade), mas que na verdade não são simplesmente NADA (afinal, para ser torcedor é preciso antes ser cidadão - ou ao menor um ser humano). Também está sempre roubando nos jogos de Quadribol (futebol).
  • Lufa-Lufa é o Fluminense Futeboiola Club: Time (casa) dos excluídos, EmoS, gays e outros desmunhecados sem futuro. Nunca consegue nem passar das primeiras fases de Quadribol (futebol).
  • Grifinória é o Clube de Recauchutadas Viados Caindo na Grama: Time (casa) que só ganha quando está com seus grandes craques, porque sem eles é simplesmente uma grande merda.
  • Corvinal é o Bostafogo: Time (casa) dos inteligentes. Entretanto, por mais que lute nunca ganha nada (no livro a Corvinal sempre é eliminada do nada).

Maracanã

Pix.gif Hell de Janeiro: Paisagem Carioca entre as Favelas e a Baixada *
Welterbe.svg
Patrimônio Mundial da UNESCO

Hotelkracas.gif
Arquitetura carioca no seu esplendor.

País Bandeira do Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Tipo Habitat de povos primitivos
Critérios Presença de espaços culturais
Referência Rede Globo
Região América Latrina
Histórico de inscrição
Inscrição 2012 (fim do mundo)
* Incluídas mais cidades magníficas como Nilópolis

Inaugurado em 1950, às véperas da Copa do mundo, numa partida em que a Seleção Paulista arrasou a Carioca por 3 a 1. Os dirigentes se arrependeram de não ter chamado a seleção do Peru. "A cidade ficaria mais rosa com tanto perus entrando e saindo", disse um dirigente à época.

A única lembrança boa do estádio é o milésimo gol de Pelé.

O estádio também entrou para o Guinness Book por um recorde absoluto, considerado insuperável em qualquer parte do mundo: é o único local capaz de reunir tantos bandidos perigosos de uma só vez (o que só acontece em jogos do Flamengo).

Rio, a Meca gay

Deu no jornal que o Rio de Janeiro é o principal intestino gay, quer dizer, destino gay do mundo. Apesar disso não ser nenhuma novidade! O gay sempre foi recebido de braços (e outras partes da anatomia) abertos pelo povo carioca. Os gays fazem parte ativa (e passiva) da paisagem carioca. Os gays, assim como as temakerias, estão em toda parte. Se você observar bem o Cristo Redentor, vai perceber que a esbelta e sarada estátua ostenta uma invejável barriga de tanquinho.

Apesar do Caetano Velhoso achar mais hétero que Woody Allen, o Rio de Janeiro é uma cidade gay friendly e amiga da bicharada. Por isso mesmo a cidade virou a Disneylândia dos gays que chegam há pouco de fora (com cacófato, por favor). E ainda vai mais longe: o Rio ira homenagear os gays mudando o nome dos seus mais famosos bairros e logradouros públicos. O bairro do Catete vai passar a se chamar Cacête, e a Lagoa vai mudar de nome para Lagoa Rodrigo de Frutas. Jacarepaguá vai virar Jacarepagay, e por aí vai: Recreio dos Bundeirantes, Praia de Cupabacana, Praia de Ipaenema, Lebofe (onde passam as novelas do Manoel Carlos), Alto Sarado e Moreno da Boavista, Madugayeira, Cachambicha, José Méier, Empenho de Dentro, Vila da Peia, Peia Circular, Gayvea e Senta Teresa.

Welcome gays! Sejam bem vindos à Cidade Bandeirosa! Para recepcionálos, o Rio de Janeiro já tem até um aeroporto totalmente gay, o Santos Dumont, que, como todo mundo sabe, foi o Pai e a Mãe da Aviação simultaneamente e ao mesmo tempo também. Tudo junto misturado.

Hino da Favela (cidade)

mapa de localização das poucas favelas no Rio de Janeiro (Clique para ampliar)

Cidade calamitosa
Quase guerra civil
Cidade calamitosa
Cada um com seu fuzil
Cidade calamitosa
Quase guerra civíl
Cidade calamitosa
cada um com seu fuzil
Berço do funk e dos lindos canhões
que assombram a alma da gente
és o atirar nos nossos corações
que cantam tristemente
Cidade calamitosa
Quase guerra civil
Cidade calamitosa
cada um com seu fuzil
Cidade maravilhosa
Quase guerra civil
Cidade calamitosa
cada um com seu fuzil

Prós e Contras

Prós

Entre as vantagens do Rio de Janeiro estão:

  • O maior número de putas por metro quadrado do mundo.
  • O maior número de boates e casas de shows gay por bairro do Brasil pra tu ficar doidão e pegar uma AIDS legal.
  • Os contornos arredondados e a beleza incontestável das bundas arrebitadas das cariocas.
  • O grande número de bundas de fora na praia. Seja de dia, seja de noite.
  • Que o carioca nem liga mais para a violência, a bala entra por um ouvido e sai pelo outro
  • Que os cariocas não tem problema com habitação, é só achar um morro e se instalar.
  • Se você morrer, não tem custo o enterro pois os traficantes dão um jeito de desovar o presunto[3].

Contras

Uma pequena empresa carioca.

Entre os problemas mais graves enfrentados pela cidade estão:

  • O maior número de Travecos por metro quadrado do mundo
  • Megalomania - Cariocas acham que são único lugar com a legitima cultura brasileira.
  • Megalomania 2 - Cariocas acham que ainda são a Guanabara, antiga capital da Picaretalândia Brasil. Dada a situação das coisas por lá ainda poderia ser.
  • Funk (traduzidas pelos escravos no tempo colonial) - não definido sé é algum tipo de música ou cântico tribal
  • Corporações midiáticas Rede Globo - seus diretores ainda pensam que fazem a cabeça de todos os brasileiros.
  • Os times do Flamengo, Botafogo, Vasco e Fluminense
  • A Torcida do Flamengo (a mais numerosa e principal responsável pelo fato de o Rio ter as mais altas taxas de criminalidade do mundo)
  • A quantidade crescente e incalculável de flamenguistas (até porque não é possível calcular a população da favela)
  • Traficantes, gays,lésbicas, simpatizantes, pitboys, prostitutas e políticos
  • Carnaval - putaria que ocorre uma vez por ano para atrair turistas, várias mulheres peladas, pederastas e putas para alavancar os índices de contaminação por HIV
  • Sistema de governo feudal
  • A barbárie desorganizada - Aqueles que matam até seu parceiro na hora de ENCARAR OS HOMI DA LEI
  • Ausência de empresas - As poucas empresas existentes preferem transferir sua sede para o Acre ou Bolívia
  • Sistema de Saúde - Sudão e Congo enviam ajuda médica frequente para a cidade.
  • Localização - próximo de córregos e rios poluídos, a céu aberto (e os cariocas ainda se vanglorizam dizendo que a cidade-favela é mais bonita que São Paulo)

Jogos para PC inspirados no Rio de Janeiro

Geografia

No Rio de Janeiro, o Sol brilha feliz!

A cidade costuma ser descrita como espremida entre o mar e a montanha. De fato, o relevo da cidade foi formado durante o Cretáceo Superior, em que a ruptura da Pangea associada à Orogênese dos Andes PORRA, PARA DE OLHAR PARA A MODELO E PRESTA ATENÇÃO NA MONTANHA!!! causou o diastrofismo do placa tectônica sul-americana, o que pode ser constatado pela prevalência de rochas metamórficas na orografia carioca.


Flora e Fauna

Coleção verão 2020-2021..

Segue abaixo a lista de animais e plantas encontrados no Rio:

Culinária

A horrorosa excêntrica culinária carioca consiste basicamente na apropriação de pratos de outros estados (embora achem que vivem no "berço" da cultura brasileira), acrescentando aos mesmos o peculiar toque carioca, que transforma essas iguarias em merdas desprovidas de sabor, potencial nutritivo ou nem mesmo uma aparência próxima ao agradável. Exemplos:

  • Pizza: para desespero dos paulistas, a pizza carioca é feita com uma massa de 10 centímetros de espessura, mais 10 centímetros de queijo velho vagabundo e qualquer coisa de cobertura. Mas qualquer coisa mesmo. Os cariocas adoram sair para pizzarias rodízio onde se encontram pizza de jujuba, vatapá, batata-frita, prego, soldadinhos de chumbo e o que mais estiver ao alcance do "cozinheiro". Para a pizza ser tragada, só com muito ketchup (e maionese, se estiver em Niterói).
  • Churrasco: para desespero dos gaúchos, carioca adora um churrasquinho na laje. Se é que se pode chamar o churrasco carioca de churrasco, eles ficam horas servindo pão com alho (com mais maionese do que alho), e quando o povo já está com a cara cheia de cerveja é que começa a sair a carne: asa de frango carbonizada, linguiça vagabunda, e algum pedaço de boi na promoção do Mundial de nome impronunciável e que mais parece chiclete. Em churrasco de carioca, quem sai de barriga cheia é o cachorro da casa.
  • Açaí: para desespero dos paraenses, todo carioca preibói adora tomar um açaizinho depois de uma praia ou uma academia. Se é que dá pra chamar de açaí um negócio que mistura guaraná, banana, granola, morango, proteinato, albumina, taurina, red bull, maconha e o que mais os preibóis acreditam que faz "ganhar massa". Há lojas que já vendem o açaí sem açaí.
  • Pão-de-queijo: para desespero dos mineiros, as mesmas lanchonetes que vendem açaí sem açaí também vendem porções de pão-de-queijo que mais parecem aquelas bolinhas de borracha pula-pula. Ao contrário de Minas, no Rio o pão-de-queijo é bem pequenininho, para poder botar na boca de uma só vez - afinal, é impossível morder e arrancar um pedaço de um pão-de-queijo carioca sem perder algum dente. Aliado a um estilingue, servem como arma contra os ladrões de lanchonete.
  • Mate: para engolir o pão-de-queijo todo carioca precisa de um mate (novamente para desespero dos gaúchos), tomado bem gelado, aguado e com gosto de açúcar puro. No Rio, não há diferença nenhuma de gosto entre o mate, o guaraná "natural" (desespero dos amazonenses), o suco de caju, maracujá ou qualquer outra bebida "da casa" servida nas lanchonetes. Tudo tem gosto de água cheia de açúcar e corante.
  • Sushi: para desespero dos japoneses (sim, nem outros países escapam) o carioca faz sushi de morango, couve-mineira, maionese, alface e o que mais sobrar dos ingredientes da pizza. É sucesso nos self-services cariocas, onde os locais misturam o sushi com arroz, feijão, pão-de-queijo, churrasco e demais iguarias já mencionadas.
  • Feijoada: a única comida de fato carioca, a feijoada consiste em um panelaço de feijão onde se joga e cozinha tudo o que sobrou do porco no açougue: orelha, nariz, rabo, pênis, baço etc. Com gosto de lavagem, a feijoada só é tragável com muita cerveja nas ideias e chupando bastante laranja. A partir da feijoada se entende um pouco do psicológico carioca, pois é daí que nasceu a mania de se aproveitar todos os restos na culinária alheia.
  • Batata da Marechal: uma variedade da batata frita importada dos mongóis, onde um quilo de batata frita é posto em uma sacola de supermercado e recebe adicionais como maionese, cebola, calabresa, mostarda, ketchup, frango assado, um Scania 113, COVID-19, a cura da AIDS, carne seca, carne de sol, ovo frito, ovo cozido, uma fita de Super Nintendo, páginas da Bíblia, um pokémon, miojo, batata palha, salsicha, alface, tomate, sal, açúcar, pimenta, orégano e mais 254 ingredientes diferentes. Estima-se que um quilo de batata da Marechal tenha nutrientes suficientes para alimentar um ser humano por duas semanas.

Personalidades Cariocas Famosos

Novo uniforme da polícia carioca.
seu Creysson, grande intelectual da cidade do rio
Traje típico da mulher do Rio de Janeiro

Personalidades falecidas no Rio de Janeiro

Personalidades que perderam a virgindade no Rio de Janeiro

Bairros

Ver artigo: Lista de bairros do Rio de Janeiro

Baixada Fluminense

De tão insignificante, este conglomerado de cidades precisa se unir sob a mesma denominação para ser considerada como alguma coisa. Local utilizado para testes nucleares internacionais. Aqui temos um acúmulo de tricoletes maior do que em Laranjeiras (3,1 florilétricos por quilômetro). Apesar de ter tricoletes, é absurdamente dominado pela "milícia" (tráfico).

Ver também

Notas

  1. Desnotícias:Devido às boas condições da água, Dolly Refrigerantes mudará suas fábricas do Rio Tietê para a Baía de Guanabara. Portal Desnotícias. 14 de fevereiro de 2015
  2. Nova propaganda da Dolly no Rio de Janeiro. youtube.com 14 de fevereiro de 2015
  3. Atenção, ao optar por esse sistema, você pode ser cremado mesmo que não queira.
Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Rio de Janeiro (cidade) no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg