Rosita Bouchot

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
ESTE ARTIGO É SOBRE UMA EX-GOSTOSA!!

Se você acha que ela está enrugada, gorda ou morta e enterrada, é porque o Tempo, o grande comedor, também traçou esta. Respeite os veteranos e não vandalize este artigo! Gerações passadas já homenagearam na intimidade do banheiro esta

EX-GOSTOSA

Brigittebardot-sexy.jpg
Esta é a Rosita Bouchot na fase "ao ponto pra mais"

Rosita Bouchot é uma atriz mexicana, desconhecida por ter sido uma atriz de pornochanchadas mexicanas e por alguns papéis bem obscuros nos seriados Chaves e Chapolin Colorado. Entretanto, mesmo sendo uma total desconhecida, ela merece crédito por ter sido a versão da Paty do Chaves mais gostosinha, antes mesmo da Ana Lilian de la Macorra pensar em ser atriz, porém facialmente era meio narigudinha e não tão bonita quanto a versão mais famosa desta personagem da Ana Lilian. Mas eu não sou crítico, qualquer uma que, em seu auge de beleza, caísse em meu colo eu pegaria até pagando (não hoje que estão meio esbagaçadas).

Biografia[editar]

Rosita em seu papel mais famoso de toda sua carreira, a serva gostosa que fez todos os amantes de Cleópatra a assediarem

Durante o período que fazia suas participações de quarenta e sete segundos no máximo nos programas criados por Roberto Bolaños também atuava fortemente em produções latinas safadinhas, e também mostrava sua quesadilla em revistas pornográficas softcore, mesmo assim não conseguiu ser famosa com suas putarias e nem com suas extensas participações nos programas do Chespirito.

Carreira[editar]

Participou de filmes eróticos, de produções de novela, de revistas masturbativas e de Chaves e Chapolin, e é realmente menos desconhecida do público em geral (e em arquibancada) graças às aparições-relâmpago nestes seriados comicozinhos mexicanos.

Programas de Chespirito[editar]

Rola shit! Mas... essa é a Paty (de peruca loira), e ela é só uma criança!

Como fora dito na introdução, Rosita Bouchot foi uma das dezessete Patys do seriado Chaves, a mais gostosa de corpo e uma das mais bonitas de rosto, e que realmente valia a pena dar um pirulito ou um refresco geladinha em troca de um miserável beijo no rosto.

Já em Chapolin, no episódio da Cleópatra e Tripa Seca/Quase Nada, ela mais ou menos venceu em sua vida anônima. Ela teve dois papéis nesse episódio, o que foi o auge de sua carreira. Interpretou duas empregas gostosas; uma delas a empregada da "Menina" e a serva da própria Cleópatra, mas este último papel não tinha falas, o que não era novidade na carreira de Rosita; vaginas desnudas não precisam falar. Foi o último papel de destaque de Rosita Bouchot, que só era chamada pra fazer o tipo gostosinha muda.

Fim de carreira[editar]

Mesmo após as atuações em Chapolin e Chaves ela continuou fazendo suas pornografias, até o dia que seu físico e seu rosto já não suportaram mais a força do tempo, e ela teve que se aposentar. Resolveu ser uma atriz convencional, uma coroa pegável a depender da necessidade do momento.

Passando o tempo, Rosita Bouchot virou um maracujá de gaveta igual todas as demais atrizes ex-gostosas que participavam do programa Chaves. Hoje ela parece uma Luscious Lopez com filtro de idoso do FaceApp.